Na casa da Macaca

Coluna postada em 29/05/2015 por fernando

Direto de Campinas-SP

 

A Chapecoense joga na tarde de sábado,18:30, no Estádio Moisés Lucarelli em Campinas, quando enfrentará a boa equipe da Ponte Preta comandada pelo Guto Ferreira, um técnico que ainda busca afirmação no mercado, mas que já realizou e está realizando um bom trabalho.

Será com certeza um jogo duro, pois mesmo com jogo de Copa do Brasil no meio de semana, a Ponte Preta priorizou a Série A e jogará com força máxima em campo, porém com um detalhe importe que pode sim beneficiar a Chapecoense. O estádio estará vazio. Portões fechados para cumprir pena referente a uma briga na última rodada da Série B do ano passado, em Joinville. Fica o exemplo a todos os torcedores.

Na tarde de ontem a Chapecoense treinou no CT da Ponte Preta (foto), em um gesto de cordialidade do time local, quando Vinicius Eutrópio reafirmou que escolheu Hyoran para a meia cancha no lugar do lesionado Camilo, mas mantém uma dúvida no ataque. Ele ainda não escolheu entre Roger e Edmilson e disse que vai levar a dúvida até minutos antes do jogo.

O técnico da Chapecoense quer uma equipe compacta em campo, ou seja, com as peças próximas umas das outras e com forte marcação em todos os setores.

A grande preocupação de Guto Ferreira da Ponte Preta está relacionada com os avanços de Apodí. Ele deve receber uma atenção especial. O técnico da Macaca também acredita em uma Chapecoense fechada. Não creio.

 

FOTO – Cleberson Silva-Assessoria de Imprensa Chapecoense. 

A vez de Hyoran

Coluna postada em 29/05/2015 por fernando

O jovem jogador da Chapecoense não pode reclamar de falta de oportunidades. Sem a carga de experiência para ser um titular indiscutível, ele tem recebido boas oportunidades de Eutrópio para mostrar seu futebol, para a Chapecoense e para o mercado.

Pois Hyoran é a escolha para começar o jogo contra a Ponte Preta no sábado, devido a mais uma lesão de Camilo.

A provável formação da Chapecoense para o jogo: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Vilson e Dener; Elicarlos, Bruno Silva, Gil e Hyoran; Ananias e Roger.

Desta forma Vinicius Eutrópio não muda a forma de jogar e deixa o time dentro do mesmo esquema que tem dado certo, evitando em um primeiro momento uma formação mais resguardada com mais um volante na meia cancha.

Uma oportunidade importante para Hyoran, pois Camilo deve ficar de dois a três jogos fora, quem sabe até um pouco mais. Com uma boa atuação em Campinas o rapaz certamente crava sua escalação para a quarta-feira quando o Joinville vem jogar aqui.

Interessante também é a escalação de Bruno Silva. Ele que jogou o Campeonato Paulista pela Ponte Preta, fez muita força para sair de lá e voltar a jogar na Chapecoense, não tem nenhuma cláusula ou acerto verbal que impeça sua escalação contra seu antigo clube. Melhor para a Chapecoense.

FOTO – Não tive acesso aos créditos da mesma. Por isso solicito ao colega que a produziu que me passe seu nome para valorizar seu talento. Bela foto.  

Aprecie moderadamente

Coluna postada em 27/05/2015 por fernando

 

A Chapecoense adota uma posição de cautela em relação a sua atual condição na Série A. O começo empolga, mas excessos devem ser evitados e a Chapecoense trata do assunto com maturidade.

É preciso reconhecer os esforços, as virtudes, os números alcançados, mas tudo dentro de uma realidade e com foco nas metas traçadas no começo da temporada, que visam em primeira ordem alcançar a pontuação para escapar do rebaixamento, para somente depois traçar novas metas.

O bom começo da Chapecoense já chama a atenção e no noticiário esportivos o humor muda conforme o vento.

Em uma semana o atleta passa da condição de limitado para o de jogador imprescindível.

O desafio é manter o equilíbrio, saber lidar com os humores da crônica e dos torcedores e principalmente nos momentos de melhor desempenho jamais sucumbir aos bajuladores.

Os bons momentos devem ser apreciados com moderação e as crises mais severas devem ser enfrentadas com blindagem especial para não deixar a casa cair.

A Chapecoense está sabendo lidar muito bem com o momento atual que é de destaque e de primeira página de classificação na Série A.

 

A volta do Gringo

Coluna postada em 26/05/2015 por fernando

 

O técnico Gilmar Dal Pozzo está de volta ao batente. Terminou o inferno astral. Fechou contrato com o ABC de Natal.

É um profissional correto e de talento e que não merecia ficar fora do mercado. Ele mirava a Série A e um salário certamente na faixa acima dos R$ 100 mil mensais. O mercado não entendeu desta forma e tratou de deixa-lo no limbo.

Após um longo e tenebroso inverno, Gilmar Dal Pozzo, volta a trabalhar, mas em uma equipe de Série B e com salário compatível a realidade.

Fiquei sabendo de pessoas próximas, que ele fez uma reflexão profunda de sua carreira e tratou de traçar novas metas. Mudou o foco, desceu do pedestal e recomeça sua carreira em uma equipe de boa torcida e que pode recoloca-lo no mercado de ponta em breve.

O que Gilmar precisa é ser melhor assessorado. Menos pompa e circunstância e mais trabalho de resultado. Competência ele tem, mas não combina com salto alto.

 

Grande vitória

Coluna postada em 25/05/2015 por fernando

Chapecoense 1×0 Santos.

Ganhar do Santos é uma façanha. Um  time que tem Robinho, que sozinho ganha R$ 1 milhão e que tem outros grandes jogadores e que é o atual campeão paulista, merece ser respeitado pela história impecável e pelo grande time que possui.

Pois a Chapecoense mostrou mais uma vez que sabe encarar time grande e que não amarela frente a grandes nomes.

A Chapecoense jogou com maturidade e marcou aos 21 minutos da etapa inicial com um gol exuberante de Apodí que foi o nome do jogo.

Outro que mostrou que está de volta e inteiro é o goleiro Danilo. Ele fez uma defesa em uma bola de Robinho que teve o tamanho de um gol. Danilo foi decisivo, mais uma vez.

O time está evoluindo a cada jogo. É preciso reconhecer méritos do técnico Vinicius Eutrópio, que tem se mostrado aberto a opiniões externas e não se acha o dono da verdade como boa parte dos técnicos de futebol.

O começo da temporada nacional é muito, mas muito melhor do que a do ano passado, mostrando que a equipe é realmente mais qualificada do que a de 2014.

A Chapecoense está merecendo sua posição na tabela.

Chapecoense contrata Wolverine

Coluna postada em 21/05/2015 por fernando

E a Chapecoense confirmou a contratação de Tiago Costa, lateral esquerdo. Ele estava no Santa Cruz. Está com 28 anos, 1,75 metro e tem o apelido de Wolverine. Mas que diabo de apelido é esse!?!?!?!?

Jogou em alguns times sem expressão nenhuma, mas de 2012 para cá atuou no Santa Cruz e no Ceará.

Chega para compor grupo e ganha a grande chance de sua carreira.

Não tive acesso aos valores negociados, mas pelo cartel não deve ser jogador caro.

E a sua opinião, qual é? Pode ser mais um que a Chapecoense revelará para o futebol ou é tiro no pé?

 

Acesse o link e descubra a origem do apelido: http://globotv.globo.com/rede-globo/globo-esporte-pe/v/jogador-mutante-tiago-costa-e-considerado-o-wolverine-do-arruda/3668972/

Bota atacante Eutrópio

Coluna postada em 18/05/2015 por fernando

Nos anos 80, no começo da década, o humorista Jô Soares dava vida a um personagem chamado Zé da Galera, que cobrava o então técnico da Seleção Brasileira, Telê Santana, para que ele colocasse pontas no time do Brasil, que começava a adotar um estilo diferente de jogar.

Vivíamos na época a Copa do Mundo de 82.

Adaptando realidades e épocas, vai aí um: “Bota atacante Eutrópio!”.

Está na hora de cobrar dos atacantes da Chapecoense mais eficiência ou promover a entrada de Edmilson, por exemplo. O time se mobiliza em campo, atua com intensidade e na hora de fechar a jogada, nada acontece.

O aproveitamento da Chapecoense nos pênaltis na eliminação da Copa do Brasil foi um desastre.

Tenho certeza que a entrada de Edmilson no jogo contra o Santos pode ocasionar um fato novo e criar uma competição interna saudável em torno de quem comanda o ataque da Chapecoense.

A fase de Roger é ruim. A de Bruno Rangel ficou na Série B de 2013. É hora de sangue novo. Ou ele foi contratado para treinar?

Jogador quer jogar e Edmilson veio no embalo, vinha jogando, já deve saber em que cidade está morando e qual o nome do time que defende. Então, coloca o moço para jogar.

Bota o Edmilson Eutrópio!

Injustiça

Coluna postada em 17/05/2015 por fernando

Corinthians 1×0 Chapecoense

 

No jogo da bonita Fonte Luminosa em Araraquara a Chapecoense não mereceu ser derrotada pelo Corinthians.

O placar de 1×0 para os mandantes foi mentiroso, pois acharam um gol e nada mais do que isso.

A Chapecoense foi superior a maior parte do tempo, tirando apenas os tradicionais 15 iniciais em que o Corinthians se impôs de forma mais incisiva, fora isso, o volume de jogo maior foi do visitante.

Posse de bola Chapecoense 55% contra 45% do Corinthians. Finalizações 11×10 para a Chapecoense. Roubadas de bola Chapecoense 18 contra 12 do Corinthians, mas daí entra na matemática as chances reais de gol que apresenta um placar de 5×2 para o Corinthians, que teve a sorte de uma bola entrar e ganhou o jogo.

O grande e preocupante problema da Chapecoense está nas finalizações. O time erra muito não somente na finalização das jogadas, mas na hora do último passe a situação não está fluindo como desejado. Problema que se arrasta desde janeiro, pois tem sido uma observação constante do técnico e uma reclamação de todos nós.

No jogo de sábado Vinícius Eutrópio efetuou suas três mudanças, com as entradas de Nenén, Hyoran e Bruno Rangel. Nenhum deles foi aquilo que se esperava. O time não melhorou nada. E para piorar Vinicius foi expulso e estará fora do banco no jogo contra o Santos. Reclamou de forma mais acintosa de uma falta e foi excluído. É preciso ter uma postura mais equilibrada, mesmo encarando os erros de uma arbitragem caseira.

O placar de 0×0 seria o mais justo. Duas equipes que se movimentaram bem, mas que foram muito mal nas suas finalizações. Injustiça a derrota.

 

Noite de Corinthians

Coluna postada em 15/05/2015 por fernando

 

Na noite de sábado vamos conhecer a Arena Fonte Luminosa em Araraquara, na segunda rodada da Série A.

O adversário é o Corinthians, sempre forte e temido, mesmo tendo sofrido no meio de semana uma dura derrota para o Guarany do Paraguai na Copa da Libertadores da América.

O jogo será realizado no interior paulista devido a uma punição sofrida na última rodada da Série A do ano passado. Torcedores se utilizaram de sinalizadores e acabaram por prejudicar seu time.

A Arena Fonte Luminosa foi toda reformada e está em ótimas condições e é administrada por uma empresa da área de construção civil.

O Corinthians jogando em Araraquara ou em Ibirubá é sempre uma equipe gigantesca e tem torcedores em todas as cidades do Brasil. Parada dura em qualquer lugar.

A Chapecoense também chega abatida pela derrota e eliminação na Copa do Brasil. Será um jogo de recomeços.

O Corinthians vive ainda uma fase de reformulações financeiras, pois a ideia é diminuir em muito a folha de pagamento de R$ 8 milhões, a começar por Guerrero, que foi acusado de mercenário por torcedores e passa também por Sheik, que sempre é uma fonte de polêmicas.

Que tipo de Corinthians a Chapecoense vai encontrar? O ambiente interno deles é péssimo, mas o peso da camisa é enorme.

Deu pra bola

Coluna postada em 14/05/2015 por fernando

Sport 2×0 Chapecoense (4×2).

 

A Copa do Brasil parece não ter sido feita para a Chapecoense, pois mais uma vez foi eliminada na segunda fase. Desta fase jamais passou.

Tudo ia muito bem até os 22 minutos da segunda etapa, quando o Sport fez os dois gols em quatro minutos e levou a decisão para as penalidades.

Nos pênaltis foi um desastre. Vitória dos donos da casa por 4×2 com uma cobrança errada de Bruno Rangel e uma execução terrível de Maranhão que quase mandou a bola para fora da Ilha do Retiro.

A viagem pesada, de 28 horas, para a Chapecoense chegar em Recife teve seus efeitos, mas faltou malandragem ao time que não soube fazer o tempo passar.

A atuação de Roger foi medonha. Tudo bem que estava cansado, mas ele errou quatro gols que seriam decisivos.

O goleiro Danilo não foi uma vez sequer na bola nas cobranças de pênalti, mostrando que precisa mais treino.

A bola parada da Chapecoense é ruim e já sabemos disso, mas agora descobrimos que nas cobranças de pênaltis também somos muitos ruins.

Os gols errados pela Chapecoense foram fatais e a bola cobra e cobrou alto, pois perdeu uma vaga, um prêmio de R$ 560 mil e mais uma boa renda.

Entendo o cansaço do time da Chapecoense devido aos contratempos da viagem, mas poderia ter sido contornada com o aproveitamento ofensivo que foi negativo.