Fechando a semana

Coluna postada em 24/10/2014 por fernando

Na Semana dos Campeões do Mundo a Chapecoense recebe na tarde deste sábado o Santos, O Time da Vila Famosa, um dos maiores formadores de craques do futebol brasileiro.

O Santos atingiu a marca de 45 pontos, ou seja,  não está mais ameaçado pelo rebaixamento e está com chances reduzidas de alcançar o G4. Volta suas atenções para a Copa do Brasil, que pode lhe dar a vaga para a Libertadores da América.

Na Vila Belmiro é evidente que o discurso é de que todos querem jogar em Chapecó e que time tem condições de acessar o G4, como realmente tem, mas as atenções estão voltadas para o meio de semana e para a semifinal da Copa do Brasil, quando o Santos joga sua primeira cartada contra o Cruzeiro e o jogo será em Minas Gerais. As dúvidas em relação à escalação do Peixe são grandes e certamente jogadores importantes serão poupados. As escolhas são de total responsabilidade de Enderson Moreira.

Os Santos têm como característica um futebol de velocidades e com muita utilização das alas. Foi pelos lados, principalmente pelo lado direito de ataque que eles construíram com facilidade a vitória na Vila Belmiro.

Será um jogo desgastante, de entrega por parte dos dois times, principalmente se o Santos poupar atletas, pois aqueles que ingressarem poderão jogar a pleno.

Afinal de contas é o Santos que jogará aqui em Chapecó.

A pontaria e a movimentação

Coluna postada em 24/10/2014 por fernando

O técnico da Chapecoense, Jorginho (foto), está preocupado com a pontaria do seu ataque e com a qualidade do último passe. A preocupação procede.

O comandante da Chapecoense é um técnico que trata os fundamentos do futebol com a devida importância. Desde o início da temporada esta tem sido uma preocupação marcante, mas é preciso reconhecer que melhorou muito desde a chegada de Jorginho, mas ainda é preciso evoluir, o que não deve mais acontecer, pois a temporada está no final.

Comparando como uma escola de samba a Chapecoense melhorou muito a sua evolução dentro de campo. Está mais bem distribuída, as conexões acontecem com mais qualidade, a transição está sendo executada com mais naturalidade, faltando ainda o acabamento das jogadas, que mesmo abaixo do que deseja o técnico, também melhorou muito é só comparar os números.

Lembrando o pacto feito pelo elenco da Chapecoense, que projetaram seis vitórias em sequencia , alcançando a marca até aqui de duas vitórias, uma derrota e um empate, eles tem agora a obrigação de vencer em casa no final da tarde de sábado o Santos. Pactos são feitos para serem respeitados.

Dizem que a sorte brilha para quem trabalha duro. Eu acredito muito nisso. A Chapecoense tem tido a sorte ao seu lado e os resultados paralelos tem contribuído para ficar afastada da zona de rebaixamento.

Chapecoense x São Paulo

Coluna postada em 21/10/2014 por fernando

É natural que nos jogos em que a Chapecoense joga contra gigantes do futebol brasileiro, análises mais detalhadas sejam feitas, principalmente sobre as qualidades do adversário. Faz parte e trata-se de um exercício exigido para o momento.

Para este jogo entre Chapecoense e São Paulo, creio que a Chapecoense necessite mais de observações do que o time do extraordinário Muricy Ramalho, um dos caras mais sérios e limpos do nosso futebol.

A Chapecoense necessita melhor o posicionamento defensivo pelo lado direito. Na meia cancha os erros de passes de Dedé não podem se repetir. Para o jogo de hoje a cota de gols perdidos de Camilo foi estourada em Minas Gerais. O atacante Leandro está precisando de parceiros para que possa efetuar a finalização de seu trabalho.

Não será necessário sequer mudar o time. Será necessária sim uma mudança de postura e uma conscientização de que é preciso simplificar com eficiência, evitando firulas e sendo o mais objetivo possível.

O São Paulo joga assim, sem malabarismos e com objetividade.

A pergunta do momento: A Chapecoense pode ganhar do São Paulo? Assim como já ganhou no Morumbi (referência da charge no site do Milton Neves), pode ganhar aqui, mesmo sendo este um momento diferente na competição.

Noite de Rogério Ceni na Arena Condá

Coluna postada em 21/10/2014 por fernando

Na noite desta quarta-feira, pisará o gramado da Arena Condá o maior goleiro da história do futebol brasileiro e um dos maiores do mundo.

Os números de Rogério Ceni são impressionantes.

A começar pelos 41 anos de idade e jogando em alto nível. Sinal de total entrega profissional.

Começou no Sinop no interior do Mato Grosso e em 1990 foi para o São Paulo. Está lá até hoje e será no São Paulo que fechará sua vitoriosa carreira.

Nasceu aqui perto, em Pato Branco, mesma cidade do presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro.

Como goleiro marcou 123 gols, algo sem precedentes na história do futebol mundial.

Sempre foi um líder nato, chamou responsabilidades, ganhou e perdeu com elegância e colaborou para forjar uma casta de bons goleiros. Quando se aposentar vai abrir uma das vagas mais cobiçadas do futebol brasileiro.

Na noite de hoje o gramado da Arena Condá vai receber uma das maiores legendas do futebol em todos os tempos.

Olhando a galeria de prêmios que Rogério Ceni recebeu, seria necessário reservar o espaço de toda uma coluna para enumerá-los.

Tenho muito apreço pelo histórico da carreira de Rogério Ceni. Vejo nele um exemplo maravilhoso para jovens atletas e um incentivo gigantesco para aqueles que no começo pensam em desistir. 

Derrota e calorão

Coluna postada em 20/10/2014 por fernando

Atlético Mineiro 1×0 Chapecoense.

A Chapecoense sofreu duas estocadas fortes durante todo o jogo. Uma aos 28 da primeira etapa e o gol de Guilherme em falha de marcação do lado direito da Chapecoense e outra na segunda etapa com Dátolo com grande defesa de Danilo da Chapecoense.

A segunda etapa foi da Chapecoense. Foram inúmeras oportunidades, mas todas desperdiçadas, especialmente por Camilo, que em tarde de péssima mira, errou gols incríveis. O goleiro Victor também efetuou uma grande defesa.

O aproximar do final do jogo marcou uma aflição por parte dos torcedores do Galo que viam o empate como iminente e até mesmo uma virada de jogo por parte da Chapecoense como algo real, mas a incompetência no ataque determinou a vitória do Atlético Mineiro.

Ao final do jogo os dirigentes da Chapecoense enalteceram a aplicação do time e projetaram que mesmo com a derrota, a forma como atuaram deixa evidente a possibilidade de vitória sobre São Paulo e Santos nesta semana na Arena Condá.

A Chapecoense de Jorginho joga com mais alegria e do meio pra frente é mais organizada e agressiva. Uma pena que os gols perdidos determinaram a vitória do adversário.

A Atual Chapecoense não joga apenas por uma bola.

Em Minas perdeu o jogo, mas deu um calorão no Galo!

Galo vingador

Coluna postada em 16/10/2014 por fernando

O Atlético Mineiro deu uma demonstração de força frente ao Corinthians que impressionou o Brasil. Com futebol de qualidade, teve personalidade para reverter o placar negativo do primeiro jogo e reescrever a história mesmo com placar adverso na segunda partida.

Aqui em Chapecó o Atlético Mineiro empatou o jogo no último minuto. Em seus domínios e após a grande vitória da Chapecoense sobre o Internacional, a postura não será outra e a aplicação deverá ser semelhante à apresentada frente ao Corinthians.

A Chapecoense deve apenas jogar o que vem jogando nos últimos jogos. Simplicidade e efetividade no ataque, sem se encolher e com a personalidade de um time que sabe jogar com a casa do adversário cheia ou no mínimo com boa presença de público.

O técnico da Chapecoense, Jorginho, destacou que o Atlético Mineiro vive um grande momento e que não tem essa de cansaço devido à atuação no meio de semana.

O zagueiro e capitão da Chapecoense, Rafael Lima, já disse que uma das grandes virtudes do Atlético Mineiro é a velocidade. Os mineiros possuem uma transição muito veloz e tem uma efetividade nas conclusões muito grande.

E sempre lembrando que o Galo Mineiro é 4º colocado na competição, com 47 pontos e está na briga pelo título e com a missão mínima de se manter no G4.

Um adversário muito credenciado e jogando no momento o melhor futebol da competição.

Os números

Coluna postada em 14/10/2014 por fernando

Olhando a tabela de classificação da Série A do Campeonato Brasileiro, a Chapecoense está mais inclinada para figurar na primeira página do que para a zona de rebaixamento. É uma sutil inclinação, mas ela existe.

O aproveitamento no returno deu a Chapecoense uma nova condição, que ainda não é tranquila, mas que projeta a manutenção na Série A, para 2015.

Com a aproximação do final da temporada os cálculos começam a ficar mais detalhados e os matemáticos estão sendo convocados para os levantamentos.

Entre os três de SC o professor Kamarão, que é daqui, cravou que a situação da Chapecoense é tranquila, do Figueirense com sinal de alerta ligado e do Criciúma seria crítica. Tudo baseado na matemática e nas projeções. O professor Kamarão tem se mostrado com ótimo nível de acerto nos últimos anos.

O fato é que desde a chegada de Jorginho ao comando técnico da Chapecoense os números melhoraram significativamente e as projeções da mesma forma.

É preciso agora manter a média e se isso acontecer, a Chapecoense realizará uma campanha bem acima daquela que foi projetada.

O campeonato está muito equilibrado e duas vitórias em sequencia fazem qualquer equipe subir significativamente na tabela.

Hora de começar a fechar as contas.

Vitória na Boa Terra

Coluna postada em 12/10/2014 por fernando

Bahia 0×1 Chapecoense

Uma vitória marcante da Chapecoense, contra adversário direto e na casa deles. Outro ingrediente foi à expulsão de Thiago Luiz. Ele tirou um coelho da cartola ao marcar o gol na primeira etapa. Comemorou tirando a camiseta o que é uma infantilidade e depois, no início da segunda etapa, ele cometeu uma falta fora do lance e acabou expulso.

A Chapecoense se desarrumou após a expulsão e sofreu um assédio forte do Bahia, menos mal que o Bahia tem uma incrível fragilidade no seu ataque.

Marcante também foi à aplicação e a entrega da Chapecoense durante todo o jogo, que foi desgastante fisicamente, mas a atuação merece reconhecimento.

O técnico Jorginho tomou conta do vestiário definitivamente. O tempo era necessário para sua adaptação assim como a rapidez para conhecer seus comandados.

Uma nota especial sobre o goleiro Danilo. Ele vive uma fase magnífica. Deve ser assediado em breve, no que pese sua idade, mas suas qualidades estão realmente impressionando e ele foi decisivo mais uma vez para que a Chapecoense conquistasse uma vitória que pode ser a diferença ao final da temporada.

Os números da Chapecoense fora de casa ainda são ruins, mas esta vitória tem grande peso na soma geral.

 

Velho Cronista

Coluna postada em 10/10/2014 por fernando

Enviado em 10/10/2014 as 13:50

Salve, meu caro Doesse. Estou escrevendo aqui porque não encontrei um campo de contato no seu site. Enfim, o fato é que eu gostaria de compartilhar contigo e com a torcida da Chape uma crônica que acabo de escrever sobre a vitória abissal de ontem. Se puder, por favor dê uma olhadinha. Cá está: http://velhocronista.com/o-que-o-tempo-nao-esquece/

Grande abraço, Velho.

O massacre

Coluna postada em 10/10/2014 por fernando

Chapecoense 5×0 Internacional

Um resultado que ninguém esperava, mas que foi construído na base da superação e acima de tudo com futebol de qualidade.

A Chapecoense foi exata como ainda não tinha sido nesta temporada.

Ontem eu escrevi que a Chapecoense precisaria jogar seu melhor jogo na temporada para superar o Inter. E foi assim que ela jogou.

Uma entrega incrível, uma efetividade no ataque impressionante, atuação perfeita no âmbito tático, a Chapecoense não recebeu um cartão amarelo sequer, ou seja, jogou contra um grande time e jogou limpo e na bola.

Uma vitória que reabilita a Chapecoense na competição, a tira da zona de rebaixamento, mas acima de tudo deixa uma enorme esperança nos torcedores e anima a todos para a sequência.

O técnico Abel Braga do Inter, disse que este é um dia para esquecer. O pensamento resume muito bem o que a Chapecoense fez com o Inter.

Gostei também da entrevista do presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, que comemorou a vitória, mas que pediu pés no chão, pouca comemoração e concentração para encarar o Bahia. É isso mesmo.

Uma vitória histórica e que será lembrada por muito, mas muito tempo.

Que noite maravilhosa!

Agora, pés no chão, pois a salvação ainda não está confirmada.