Coluna Fernando Doesse. 29.01.10

Cada um no seu quadrado

Jogando bem ou mal a Chapecoense tem necessidade de apoio incondicional do torcedor neste domingo. O Brusque é mais time do que o Juventus e além de respeito merece cuidados. De 12 pontos em seqüência que estou analisando a Chapecoense já conquistou três. O Brusque segue a contagem para depois enfrentar o Criciúma lá e o Imbituba em casa. Tudo isso para tirar do compromisso o enfrentamento contra o Figueirense em Florianópolis e a sempre encardido jogo contra o Joinville que será aqui na Arena. A tabela é boa para a Chapecoense no turno desde que ela faça a sua parte. Aos trancos e barrancos vai pavimentando seu caminho. Ganhando todas em casa e com um empate fora já estará entre os quatro com folga.

Ficar fora do G4 é inadmissível pelo investimento que está sendo feito.

Bom lembrar que se uma mesma equipe vencer turno e returno ela fará a final contra aquela que apresentar o melhor índice técnico. Pontuar é preciso.

Ganhando domingo a Chapecoense entra no grupo de elite. Jogo de vital importância.

Lesões e mais lesões

Existe uma explicação para esta série de lesões que acompanha a Chapecoense? Impressiona o volume de serviço no Departamento Médico. As novidades são Émerson Cris com entorse de joelho, Nivaldo com uma contratura e João Rodrigo com uma luxação na mão.

Azar? Sei lá!

Todos os técnicos de futebol têm a necessidade de saber lidar com este problema, mas para Mauro Ovelha parece ser maior a encrenca.  

A Chapecoense possui um DM montado e seria interessante um estudo sobre as causas de tantas lesões para que se corrija esta situação. Não acuso aqui a preparação física, já que esta série de acontecimentos vem de antes de Clauter de Barros assumir a responsabilidade.

Blitz no gole

A norma de proibição de venda de bebidas alcoólicas em jogos de futebol em SC vai muito além do estádio. Em um raio de 400 metros a venda é vedada duas horas e mais duas horas após o espetáculo. Muitos pensaram que a Policia Militar jamais iria fiscalizar a situação. Pois na quarta-feira de Chapecoense x Juventus bares foram visitados e constada a venda as portas se fecharam para desespero de muitos. Exagero ou não esta e a lei e lei é para ser cumprida. O Sindicato dos bares e restaurantes deveria se movimentar para garantir aos proprietários o direito a exercer seu ganha pão. Muitos estabelecimentos estão neste raio de ação da lei aqui em Chapecó.  

E o som?

Ano assado tínhamos na Arena o sistema de som que informava e orientava os torcedores e executava com qualidade o Hino Nacional. Neste ano o serviço foi desativado. Não escuto mais a voz bonita do Paulinho Heck nem mesmo a qualidade do som do Valério. O que houve?

Viola

Inegavelmente uma atração à parte. Viola estará em Chapecó no domingo vestindo a camisa do Brusque. Trata-se de uma das maiores figuras folclóricas do futebol brasileiro. Faz gols como cunha frases memoráveis e cria polêmicas que mexem com o noticiário. Será o foco das atenções. Tomara que sem gols.

Deixe um comentario