Uma sacola sem fundo

Estamos fechando o mês de março e a Chapecoense segue com a necessidade de contratações. Esta sacola sem fundo deve estar custando os olhos da cara, Aliás, toda incompetência custa caro. Na prospecção de mercado até que existem opções, porém, quando o atleta se depara com a situação da Chapecoense ele pede três vezes o que acha que vale e muitas vezes querem dinheiro vivo no desembarque. Será que adianta ficar refém do mercado?

Não está na hora de dar uma dura de verdade neste elenco com posições concretas que possam mostrar que a bomba está para explodir e que eles poderão também sair perdendo? Nenhuma mordomia foi cortada. Nenhuma cobrança pública aconteceu. O vestiário da Chapecoense é uma pirâmide. Apenas lembro que pirâmides servem para guardar mortos.

Deixe um comentario