Arquivo para janeiro, 2011

Marcelo Ramos está fora

segunda-feira, janeiro 31st, 2011

Eu sinceramente não acreditava na rescisão de contrato de Marcelo Ramos com a Chapecoense. Pois o ato foi consolidado no final da manhã de hoje (31/01).

Segundo me disse o presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, houve comum acordo na decisão. Na tarde de domingo estiveram reunidos o técnico Mauro Ovelha, o diretor de futebol João Carlos Maringá e o presidente Pallaoro para deliberar sobre o tema. Chamaram Marcelo Ramos para uma conversa e o mesmo expôs razões de ordem pessoal que estão atrapalhando seu desempenho profissional e em comum acordo decidiram pela rescisão do contrato. Marcelo Ramos recebeu apenas o mês de janeiro trabalhado e foi embora. Nada de multa. Pois ele havia assinado um documento quando da reintegração após o ato de indisciplina que já previa esta possibilidade.

A Chapecoense aceitou sua reintegração depois que todo elenco e mais a comissão técnica assinaram um documento com a solicitação. As três expulsões neste inicio de temporada abalaram a permanência de Marcelo na Chapecoense. Houve quebra de confiança.

Cheguei a afirmar que ele não seria dispensado, pois ouvi de um nome de influencia sobre a direção sua admiração pelo futebol de Marcelo Ramos. Este nome não esteve presente na reunião.

Reafirmo o que escrevi. Marcelo Ramos precisa de ajuda. Nada adianta pedir para sair. O problema não é a Chapecoense e sim ele, um ser humano em conflito, que precisa buscar o equilíbrio para seguir vivendo e jogando. Que tenha sorte.

Marcelo Ramos necessita de uma atenção especial

domingo, janeiro 30th, 2011

O zagueiro da Chapecoense foi novamente expulso no jogo de sábado contra o Joinville. A derrota não pode ser atribuída a ele, mas a repetição do fato merece atenção especial.

A diretoria da Chapecoense gosta de Marcelo Ramos e do futebol dele. Posso garantir que ele não será afastado.

É preciso tratar este atleta com atenção especial. Psicologicamente existe algo errado com Marcelo. Em 30 segundos ele parece apagar e acaba cometendo faltas em seqüência que o levam ao cartão vermelho. Já existe um trabalho sendo realizado para resolver este problema, mas será necessário investir mais forte. Marcelo Ramos também precisa se ajudar.

Foto: Sirli Freitas-ClicRBS.

Uma derrota injusta na chuvosa Manchester catarinense

domingo, janeiro 30th, 2011

Joinville 2×1 Chapecoense. O placar foi injusto. Se algum time merecia vencer este time era a Chapecoense.

Foi à melhor apresentação coletiva da Chapecoense no campeonato até aqui, mesmo jogando com 10 desde os 31 da primeira etapa quando houve a expulsão de Marcelo Ramos.

O resultado de vitória para o Joinville está diretamente ligado aos vários erros de conclusão da Chapecoense e aos quatro inacreditáveis gols perdidos, dois deles por Cleverson, que podem figurar no quadro Inacreditável Futebol Clube.

A máxima de que a Chapecoense perdeu o jogo que poderia perder valerá apenas se na quarta-feira vencer o Figueirense, a equipe a ser batida.

Alguns detalhes importantes do jogo: Juliano falhou no primeiro gol com uma saída equivocada.

Marcelo Ramos foi expulso pela terceira vez na temporada. O rapaz precisa de orientação psicológica.

Aloísio joga muito. Quem acredita que pode taxá-lo de individualista que trate de jogar a altura do melhor nome do time.

Se Cleverson não sabe concluir que trate de armar. Errou dois gols impressionantes.

Leandro sofreu uma distensão no adutor da cocha. Está fora do jogo de quarta-feira.

Rafael Bittencourt estreou e mostrou qualidades. Tem espaço no time para ele.

De Lazzari realizou sua melhor partida pela Chapecoense.

Mauro Ovelha mostra evolução jogo a jogo. Está mais confiante no futebol ofensivo. A fama de retranqueiro não é merecida.

A Chapecoense mostrou uma evolução coletiva muito consistente. Precisa melhorar o aproveitamento nas conclusões.

Foto: Futebolsc.com

Analisando a rodada

sexta-feira, janeiro 28th, 2011

Figueirense x Concórdia: É impossível tirar do Figueirense o favoritismo. Tem muito mais time. Tem pinta de goleada.

Metropolitano x Avaí: O Metrô precisa se reabilitar. O Avaí vive uma crise sem precedentes no Estadual. Jogo duro e com forte pressão dos dois lados do campo. Pode parecer exagero, mas o Avaí já deve começar a se preocupar com o rebaixamento.

Imbituba x Criciúma: O Imbituba vem embalado pela vitória em cima do Avaí na Ressacada. O Criciúma tem mais time, mas ainda apresenta instabilidades. Jogar na Zimba é complicado. Tem cara de empate.

Marcilio Dias x Brusque: Jogo de definição para os dois.

Na metade do turno eles estão com cinco e quatro pontos respectivamente. Empate mata os dois. Quem perder está fora da briga. Encontro de forte rivalidade. O fator local pode interferir.

Joinville x Chapecoense: É o grande jogo da rodada. O JEC precisa vencer para entrar na briga. Derrota pode representar o fim do turno. Para a Chapecoense não tem resultado ruim, joga sem pressão. Vitória da Chapecoense é classificação antecipada e coloca ainda mais fogo no jogo de quarta-feira com o Figueirense.

O líder na festa do coelho

sexta-feira, janeiro 28th, 2011

O Joinville Esporte Clube comemora 35 anos de fundação neste sábado em que recebe a Chapecoense, líder da competição, na bonita Arena Joinville. Teremos muita festa hoje na Manchester catarinense. Certamente será um fator motivador para o JEC, mas nada que impossibilite a Chapecoense de colocar água no chopp do coelho.

Vai ser jogo duro, como sempre foi jogar em Joinville.

A Chapecoense mostrou bom rendimento no excelente gramado da Ressacada. Do gramado da Arena Condá reclamam da altura da grama que prejudica o passe. Em Imbituba ele esteve muito pesado.

No gramado bom da Arena Joinville não haverá desculpas para os inúmeros passes errados que observamos no jogo contra o Metropolitano.

Com o Joinville tendo a necessidade extrema da vitória ele obrigatoriamente terá de sair para o jogo. É justamente este o ambiente propício para as investidas do veloz ataque da Chapecoense.

A equipe comandada por Mauro Ovelha tem se mostrado madura e é justamente esta maturidade que pode fazer a diferença.

Jogo difícil sem dúvida, mas a carga de responsabilidade está nas costas do Joinville, seja pelo dia de festa ou pela posição intermediária na tabela. A Chapecoense deve explorar esta pressão.

Uma corrida contra o tempo

quinta-feira, janeiro 27th, 2011

Jogo da Chapedoense é na Arena Condá

Até segunda-feira, dia 31 de janeiro, Chapecoense e Prefeitura de Chapecó terão obrigatoriamente de entregar o laudo estrutural da Arena Condá para a Federação Catarinense de Futebol, para que esta remeta ao Ministério Público de SC e desta forma libere a praça esportiva para a seqüência do Campeonato Catarinense, caso contrário a Arena será interditada e o jogo contra o Figueirense não será realizado em Chapecó.

Solicitações de menor porte que foram apontadas pelo Corpo de Bombeiros e por parte da Policia Militar e são de fácil resolução. Documentações que devem ser emitidas pela Prefeitura de Chapecó são mais fáceis ainda.

Porém, este laudo estrutural é bem mais complicado.

No setor de Planejamento da Prefeitura de Chapecó me disseram que a Chapecoense cuidará do laudo. Na Chapecoense me garantiram que o laudo feito no ano passado vale até o inicio de 2012. O engenheiro que é responsável pelo laudo me disse que a validade é até fevereiro deste ano. Acredito em quem?  

Na tarde de ontem (27/01) houve uma reunião entre Chapecoense e engenheiros da Prefeitura para buscar uma solução para o caso.

Com base nas exigências feitas pelo laudo de 2010 foi ampliado um contrato com uma empresa que já está prestando serviços na Arena Condá para a toque de caixa realizar as melhorias e atender as exigências de segurança nela apontadas.

 Perguntas que não calam

 Se este laudo existe desde o ano passado e nele estão apontadas necessidades sérias de segurança, porque afinal de contas já não realizaram este trabalho?

Porque deixar sempre para a última hora, criando constrangimento e custos maiores?

Não existe explicação para este tipo de comportamento.

Mais uma vez estão tentando empurrar para frente à solução de problemas crônicos e de longa data.

Se a Arena é da Prefeitura Municipal e é administrado pela Secretaria de Esportes, que este órgão municipal seja cobrado e responsabilizado por não atender as demandas do Ministério Público.

A Arena Condá foi liberada para estes primeiros dois jogos devido a uma interferência direta de Delfin Pádua Peixoto Filho, não fosse ele a Chapecoense estaria sem casa.

Ouvi alguém envolvido na resolução do problema dizer: “A maioria do que foi pedido é frescura!”.

Frescura é algo fútil, sem importância e desta forma deveria ser simples resolver, mas mesmo assim não conseguem. É incompetência ou não é?

Chaga destes discursos vazios e desta embromação e vamos partir para a solução dos problemas.

Menos política, menos conversa mole e mais trabalho.   

Virtudes administrativas

A Prefeitura de Chapecó está investindo na nova Arena de forma muito inteligente. Não é apenas um estádio de futebol. Esta obra terá múltiplas funções. Temos aí muito dinheiro do Município e do Estado sendo investido.

Não podemos esquecer o que o prefeito José Claudio Caramori está fazendo e o muito que fez o ex-prefeito João Rodrigues. Bom lembrar para não parecer que sou ingrato e que não valorizou as boas iniciativas

 Mas e o zelador como fica?

O prefeito nomeia alguém responsável por cada uma das áreas estratégicas do município. Seus secretários são pagos para resolver problemas e criar projetos.

O Secretário de Esportes de Chapecó, Ivan Carlos Agnoletto, é o administrador da Arena Condá. Como “zelador” deste patrimônio ele falha ao deixar para a última hora o atendimento destas exigências. Obra feita em cima da hora é obra mal feita e custa mais caro. Obras pagas com nosso dinheiro. Muito de bom foi feito via Secretaria de Esportes, mas esta mania crônica de deixar para a última hora questões importantes deve ser modificada.

O Secretario de Esportes é cronista esportivo. Se estivesse do outro lado do balcão também estaria cobrando providências. Não existe cunho pessoal nas criticas, apenas o desejo de que não tenhamos mais à necessidade de passar por este tipo de situação e que a diretoria da Chapecoense possa trabalhar somente com futebol.

Perguntei ao presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, se em caso de interdição da Arena ele já teria um plano B.

Resposta: “Não quero nem pensar nesta possibilidade”.

Pallaoro está indignado com a situação.

E o tempo marcha!

Foto: futebolsc.com

Mais uma vez foi na base do sofrimento

quinta-feira, janeiro 27th, 2011

Em primeiro lugar tivemos um jogo sofrível tecnicamente nesta vitória magra de 1×0 da Chapecoense sobre o Metropolitano, mas uma vitória de muita importância.

Enaltecer apenas a vitória e deixar de lado as deficiências apresentadas é simplista.

A Chapecoense está ainda desentrosada. Fisicamente tem mostrado força, mas a distribuição dentro de campo proposta por Mauro Ovelha ainda não foi assimilada.

O esquema tático ainda está indefinido entre o 3-5-2 ou o 4-4-2. Em qualquer um deles a Chapecoense ainda não está firme. É preciso melhorar e todos na Chapecoense não escondem esta necessidade.

O gol foi de pênalti aos 43 da segunda etapa o que mostra maneira como esta vitória foi construída.

Um fator positivo é a defesa que pela primeira vez não sofreu gol.

A Chapecoense em muitos momentos foi envolvida pelo esquema defensivo do Metropolitano que se mostrou bastante compacto. O maior erro da equipe de Blumenau foi promover em muitos momentos o anti-jogo. Jogar para empatar na maioria das vezes vira derrota.

A Chapecoense tem agora pela frente o Joinville na casa do adversário. Será com certeza um teste muito forte para avaliar de uma vez por todas quem está apto a seguir na equipe. Foi uma vitória de seis pontos, mas que deixa claro que é preciso evoluir.

Foto – Gol da Chape.

Contagem regressiva para mais uma vistoria na Arena

terça-feira, janeiro 25th, 2011

A Chapecoense, junto com a Prefeitura de Chapecó, tem até o dia 31 de janeiro para entregar uma série de documentos e para realizar algumas adequações para que a Arena Condá possa ser definitivamente liberada pelo Ministério Público e desta forma figurar como uma praça esportiva legalizada para o Campeonato Catarinense de 2011.

Conversei hoje (25/01) à tarde com Carlinhos Almeida, que é o homem responsável pelo encaminhamento destes últimos e importantes detalhes. Segundo ele tudo caminha muito bem para a liberação.

O que realmente está preocupando é a confecção de um laudo assinado por um engenheiro e que ateste que a cobertura da ala das cadeiras da Arena Condá está em plenas condições de abrigar o público e que não há risco de acidente.

Foi feito um orçamento para recuperar a estrutura. O valor seria de R$ 60 mil. Trata-se de uma obra que demanda algum tempo e tempo é justamente o que a Chapecoense e a Prefeitura de Chapecó não dispõe neste momento.

Um engenheiro foi contatado para emitir o laudo, mas primeiro ele quer realizar alguns testes.

Você já deu uma olhada para o estado daquela estrutura? É de dar medo! Alguém em sã consciência assinaria um laudo desses somente no “olhometro”? O tempo está esgotando.

Confira os jogos desta 4ª rodada do Catarinense 2011

terça-feira, janeiro 25th, 2011

26/01 – 19:30

Quarta-feira | Augusto Bauer
Brusque x Criciúma

26/01 – 20:30

Quarta-feira | Arena Condá
Chapecoense x Metropolitano

26/01 – 20:30

Quarta-feira | Domingos Machado Lima
Concórdia x Joinville

26/01 – 22:00

Quarta-feira | Hercílio Luz
Marcílio Dias x Figueirense

27/01 – 19:30

Quinta-feira | Ressacada
Avaí x Imbituba

Em defesa do futebol coletivo

terça-feira, janeiro 25th, 2011

Mauro Ovelha não esconde de ninguém que algumas atitudes de individualismo estão lhe tirando do sério neste inicio de temporada da Chapecoense.

Aloísio e Cleverson andam batendo boca dentro de campo. No jogo de Imbituba Cleverson chegou a atrapalhar Aloísio em uma conclusão dentro da área adversária.

Outras atitudes irritaram o técnico. Em alguns momentos se vê a possibilidade de um bom passe, mas determinado jogador prefere a conclusão a gol sem a melhor colocação.

É bom mesmo que Mauro Ovelha comece a domar de cara o espírito de individualismo de algumas peças e os façam entender que o importante é a Chapecoense e não este ou aquele se transformar em destaque da equipe.

O grande exemplo a ser seguido é o de Thoni. Conhecido como garçom ele sobressai justamente por ser o maior parceiro dos atacantes com seus passes de muita qualidade. Posso até ter interpretado de forma equivocada, mas em Imbituba, quando do belo gol de Everton Cesar, vi um jogador da Chapecoense, enquanto que os outros comemoravam bater as mãos nas pernas, como se estivesse reclamando por não ter participado pela jogada.

É bom cortar as asas de alguns logo na largada.