Marcelo Ramos está fora

Eu sinceramente não acreditava na rescisão de contrato de Marcelo Ramos com a Chapecoense. Pois o ato foi consolidado no final da manhã de hoje (31/01).

Segundo me disse o presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, houve comum acordo na decisão. Na tarde de domingo estiveram reunidos o técnico Mauro Ovelha, o diretor de futebol João Carlos Maringá e o presidente Pallaoro para deliberar sobre o tema. Chamaram Marcelo Ramos para uma conversa e o mesmo expôs razões de ordem pessoal que estão atrapalhando seu desempenho profissional e em comum acordo decidiram pela rescisão do contrato. Marcelo Ramos recebeu apenas o mês de janeiro trabalhado e foi embora. Nada de multa. Pois ele havia assinado um documento quando da reintegração após o ato de indisciplina que já previa esta possibilidade.

A Chapecoense aceitou sua reintegração depois que todo elenco e mais a comissão técnica assinaram um documento com a solicitação. As três expulsões neste inicio de temporada abalaram a permanência de Marcelo na Chapecoense. Houve quebra de confiança.

Cheguei a afirmar que ele não seria dispensado, pois ouvi de um nome de influencia sobre a direção sua admiração pelo futebol de Marcelo Ramos. Este nome não esteve presente na reunião.

Reafirmo o que escrevi. Marcelo Ramos precisa de ajuda. Nada adianta pedir para sair. O problema não é a Chapecoense e sim ele, um ser humano em conflito, que precisa buscar o equilíbrio para seguir vivendo e jogando. Que tenha sorte.

Deixe um comentario