A mágoa que ficou

Volto a tocar neste ponto sem a intenção de querer criar um ambiente hostil entre quem quer que seja.

Inegável a mágoa que ficou entre dirigentes da Chapecoense para com o técnico do Criciúma Guilherme Macuglia. Existe entre as partas além da motivação do profissional e do dirigente um algo a mais que envereda pelo campo pessoal. Particularmente tive com Guilherme Macuglia na sua mais recente passagem por Chapecó uma convivência das mais agradáveis. Para Macuglia a classificação servirá como uma espécie de cala a boca. Para dirigentes da Chapecoense uma pequena vingança pela não classificação para a Série B e tudo mais que veio depois. O emocional faz parte desta decisão.

Deixe um comentario