O dia de quebrar um tabu

HH, novamente o palco.

A história conta que a Chapecoense não vence em Criciúma há 11 anos. É muito tempo! Neste lapso ganhou um titulo lá dentro do Heriberto Hulse, em 2007, mas foi com um empate em 2×2 com o gol histórico de Fabio Wesley. Agora o empate não serve. O único resultado é a vitória para dar a Chapecoense à condição de seguir adiante. Estes dados históricos servem apenas para retratar a passagem do tempo, mas não reflete o agora. O hoje diz que o Criciúma chegou à frente da Chapecoense com a única diferença do numero de gols sofridos. Foram nove pelo Criciúma e 16 pela Chapecoense. Este número preocupava até a 8ª rodada. Após as modificações e reforços no setor defensivo a situação melhorou para a Chapecoense. Em assim sendo erra quem determina que o Criciúma é muito melhor do que a Chapecoense.

Reconhecer virtudes no Tigre é uma obrigação, assim como na Chapecoense. Deixar de assinalar defeitos em ambos também é um erro. O que realmente pode pesar nesta decisão é o fator local e de que forma a Chapecoense vai lidar com ele, como será a atuação de Célio Amorim e de que forma o Criciúma vai atuar com prováveis dois desfalques (Rogelio e Roni).

Mauro Ovelha está fazendo certo mistério na escalação da equipe. Colegas que acompanharam o treino apronto acreditam em um 3-6-1 com Cleverson chegando mais a frente.

O certo é que a Chapecoense vai cozinhar este jogo o que der. O empate serve para o Criciúma e este fator pode criar a sensação de superioridade e numa escapada a vaga pode ser decidida. Será um jogo de dois times qualificados.

4 comentarios para “O dia de quebrar um tabu”

  1. Roberto disse:

    Agora, convenhamos… este regulamento deve ser único no mundo! Uma semi-final em partida única e com vantagem do empate para o time da casa… pior é saber que quem define a fórmula são os clubes e portanto, a Chapecoense aceitou isso…
    Espero que para o próximo ano se reflita sobre isso e não se repita este absurdo.
    Na minha opinião,a melhor e mais justa fórmula foi a de 2009, com turno, returno, quadrangular semi-final e finais… mais jogos, mais emoção, mais justiça.

  2. fernando disse:

    Compartilho da mesma opinião, Mas fazer o que se nossos dirigentes aceitam estas barbaridades.

  3. fernando disse:

    Compartilho da mesma opinião, Mas fazer o que se nossos dirigentes aceitam estas barbaridades.

  4. Verdão disse:

    É brincadeira mesmo, o unico campeonato do mundo em que um time pode vencer dois turnos e não ser campeão, Mais esses presidentes sem voz nenhuma concordam com essas bizarrices, Tomara que o Pallaoro começe a questiona algumas coisas, pq senão vai ser sempre essa draga.

Deixe um comentario