A saída de Ivan Carlos

Ivan Carlos Agnoletto confirmou ontem o que já era sabido. Ele deixa o cargo de Secretário de Esportes e Lazer de Chapecó no dia de hoje (31/03), exatamente às 17h45min.

Na coletiva de ontem, Ivan Carlos, distribuiu a imprensa um relatório de suas realizações no período em que comandou o esporte chapecoense. Os números impressionam positivamente.

Mas afinal de contas porque Ivan Carlos deixa este cargo importante e justamente em uma área em que ele é um entusiasta? Segundo ele para cuidar de projetos pessoais ligados a família e a crônica esportiva.

Ficou no ar a questão envolvendo a Lei da Ficha Limpa, pois Ivan Carlos responde um processo antigo, datado de 2003, da época em que era administrador do Presídio de Chapecó. Pois para quem não sabe ele também é agente prisional. Liguei para o Ivan Carlos no inicio da noite de ontem e ele me disse que esta situação não pesou na sua decisão de deixar o cargo. O Projeto Ficha Limpa Municipal está aprovado, mas como houve uma decisão do STF que faz valer a Lei da Ficha Limpa Nacional somente para 2012, à ordenação municipal deveria acompanhar esta decisão maior, mesmo porque uma lei que foi aprovada neste ano, por interpretação legal, valeria apenas um ano após sua promulgação. Este é um elemento básico do direito.

Quanto ao processo referido, Ivan Carlos segue respondendo-o na justiça, mas segundo ele e seu advogado a crença é muito grande na vitória e na recuperação dos direitos políticos para a eleição do ano que vem. Ivan Carlos está cotado para ser candidato a prefeito pelo partido que preside (PSDB). Portanto, uma situação é sua decisão de deixar o cargo de secretário e outra é o processo que responde na justiça relacionado às horas trabalhadas por presidiários em sua época como administrador do chamado “Ergástulo Público” e que tem um valor irrisório sendo discutido, mas que pesa                                                 muito na área política. Ivan Carlos e outros que vivem a mesma situação ganharam mais prazo para suas defesas.

Não quero neste momento analisar acertos e erros de sua administração no esporte de Chapecó. Deixarei este capítulo para, quem sabe, outra oportunidade. Fiz questão apenas de dedicar uma coluna completa a este episódio político/esportivo de grande relevância.

Ao Ivan Carlos desejo sucesso nos seus projetos vindouros e reitero meu respeito ao colega de profissão, que jamais deixei de elogiar ou criticar quando acreditava ser oportuno na analise do seu desempenho na função pública.

Deixe um comentario