Ainda sobre a RBS

Mesmo sem procuração para defender ou deixar de defender os profissionais da RBS em SC, gostaria de fazer algumas ponderações, ainda na esteira da opinião emitida ontem, e que gerou muitas manifestações dos leitores e blogueiros.

Na saída da cabine, após o jogo de domingo, perguntei ao Cleiton César, editor de esportes da RBS TV Chapecó, se os gols haviam sido mandados para a Globo, bem como o famoso pedido musical. Ele me disse: – Fizemos a nossa parte. Resta saber se a Globo irá utilizar.

Coloco-me na pele dos profissionais locais. Para eles, emplacar uma matéria em nível Estadual já é uma vitória. Imagine uma em nível nacional!

Existe sim um esforço dos profissionais locais na busca da divulgação da Chapecoense. Nos espaços de Chapecó, que ainda estão reduzidos em relação ao restante de SC, a Chapecoense recebe um tratamento diferenciado.

O problema está em nível de diretoria, de visão de espaço, de importância das praças em relação ao contexto geral.

Quanto à importância de a Chapecoense ter conquistado o Campeonato Estadual de 2011, por si só, o espaço já deveria aparecer naturalmente. Mas sabemos que as coisas não acontecem desta forma. Aqui mesmo em Chapecó, por parte da própria Chapecoense, a conquista foi extremamente mal aproveitada. Faturaram pouco em cima do feito.

De alguma forma esta barreira deve ser quebrada. A mais fácil é subir para a Série B. Fica com este comportamento, considerado discriminatório, evidenciada a importância de subir de nível. É o tal do “cresça e apareça”.

Mais uma vez quero aqui, indistintamente, destacar que os profissionais dos veículos da RBS, os lotados aqui em Chapecó, tentam sim cavar mais espaços, mas também tem encontrado seus obstáculos. A situação vai se resolver em nível de diretoria, com a tomada de um posicionamento mais igualitário e desta forma estabelecendo uma meta de valorizar SC no contexto nacional através da noticia. Meu respeito aos colegas da referida empresa de comunicação e o desejo de que os diretores da mesma tenham vontade e sucesso na mudança deste jogo em que estamos perdendo.

O comentarista

As rivais mais ferrenhas em audiência televisiva em SC têm adotado posturas diferenciadas. A RIC/Record tem utilizado em seus programas estaduais a presença do comentarista Sérgio Badá Badalotti. É só viajar com o Badá para saber que outras cidades o conhecem, e muito. Sua imagem está ligada a Chapecó e a Chapecoense.

Na RBS, as maiores cidades têm seu comentarista esportivo. Chapecó não tem. O Cleiton César aparece comentando quando chegamos a uma decisão. Fora isso…

O Jornal do Meio Dia da RIC é todo feito aqui. O Jornal do Almoço ainda divide com o Estado as noticias. Nós recebemos muitas matérias de lá, mas daqui poucas fazem o caminho inverso. É uma questão de postura.

5 comentarios para “Ainda sobre a RBS”

  1. Silvio SZ disse:

    Vamos fazer nossa parte novamente. Começando já no proximo jogo na Arena Condá.
    Todos cantando juntos aquela famosa musiquinha para essa emissora que tanto nos discrimina.

  2. Everton disse:

    Por mim que essa rbs feche as portas. Não assisto isso ai nem por decreto.

  3. vande disse:

    viagem pra pelotas no jogo do verdao 60 pila antecipado pelo tel 99327200 f com o vande temos 18 vagas anda

  4. Fábio Sangue Verde disse:

    O pior que nao é a RBS q faz isso..
    é a propria globo.. que prefere mostrar uma pessoa falando merda só pq se axa a adolecente de 99 anos doque por algo que o povo goste.
    Sobre o fato de ser “o ” ou “a” chapecoense… segundo consulta que algem fez… dizem que foi feito uma padronização dentro da famosa globo para chamar os times por “O” … mas fica aquela…. sera q eles chamam “O” portuguesa? ou “A” portuguesa’????
    axo que falta um pouco de vergonha do povo tbm … começar a reciclar oque e em que emissora assite… ai derepente começam a colocar mais material produtivo pra assistirmos.

  5. Fabio - Candoi-PR disse:

    Fernando isso não é exclusividade de SC. No RS os clubes do interior não tem espaço na midia nacional. A unica maneira do RS ter Clubes fortes foi fechar em dois e o resto é divisões inferiores. Em SC se faz muita MEDIA com as regiões e por isso não temos nada. Não temos unidade nem na politica, muito menos no esporte. O povo do litoral reclama da RBS pois veio do RS e passa programas de TV como Fogo de chão que é um chicote no lombo do catarina. Trata a dupla Grenal como se fosse a ultima bolacha do pacote. Por isso ainda existe um anti-RS muito forte no litoral de SC. Tem gente que prefere os Argentinos (Canasvieiras, Balneario Camboriu e Itapema) tem muitos. Mais isso vem melhorando com o passar dos anos. Até pq a gauchada, adora criticar o RJ mais sonha em morar na praia. Os antigos diriam “A inveja é uma merda!”

Deixe um comentario