Cuidado com o Grolli

A bola da vez na Chapecoense se chama Grolli.

Surgiu a informação de que haveria um interesse do Grêmio para contratar o jogador. Bom zagueiro, jovem, com tempo para ser lapidado e fisicamente atende as exigências do mercado.

Dentro da Chapecoense está existindo um momento de desencontro de informações. Integrantes da diretoria de futebol na estão falando a mesma língua.

João Carlos Maringá afirma que existe uma negociação em andamento. Já Cadú Gaúcho é categórico ao afirmar que não sabe de nada.

O fato de Grolli se transferir para o Grêmio é uma questão a ser analisada com muito cuidado. Em primeiro lugar a Chapecoense poderia finalmente estrear de forma oficial no mundo das negociações com esta transferência. Entraria um dinheiro e ainda ficaria um vinculo em futuras negociações. Tudo certo, tudo lindo!

Se ele se transferir imediatamente não haveria grandes problemas, pois para a zaga a Chapecoense tem várias e boas opções.

O que me preocupa é se a negociação não evoluir.

Com Dema foi um desastre. Veio à especulação do interesse do Grêmio pelo zagueiro. A noticia foi levada ao ar pela Rádio Gaúcha. O negócio não aconteceu. Coincidência ou não, Dema caiu vertiginosamente de produção. Dema já tem 33 anos e muita estrada já rodou.

Grolli é muito recente na vida de jogador profissional. Tem apenas 19 anos e já surge a noticia do interesse de um grande clube. E se o negócio não evoluir? A Chapecoense saberá tratar a parte psicológica de forma adequada? No caso de Dema não soube.

Muito cuidado com Grolli.

E seria interessante que a mesma língua fosse adotada no departamento de futebol. Torre de Babel não!

E tem mais

Se o negócio sair que se entregue a mercadoria imediatamente.

Sem essa de apresentar o jogador apenas em janeiro.

Certamente o menino vai perder o foco e não terá o mesmo vigor nas divididas e nas chegadas mais decisivas. É natural!

Jogando a dureza de uma Série C, em fase de acesso, com a cabeça já em 2012, será impossível manter a mesma qualidade.

Negócio fechado, jogador apresentado. A fila anda e já vai outro para o seu lugar.

Vamos lembrar de Thoni e seu acerto com o Criciúma.

 

Foto: Futebol Interior

3 comentarios para “Cuidado com o Grolli”

  1. Roberto disse:

    Totalmente inoportuna essa declaração do Maringá… estranho como alguém como ele, ex-jogador, não percebe que este não é momento para perdermos o foco, se há realmente uma negociação, que se mantivesse em sigilo enquanto fosse possível… dá impresão que a idéia é tumultuar mesmo! Até porque, esse tal “grupo de empresários” que supostamente está comprando o Grolli, provavelmente esteja encabeçado pelo “todo poderoso” que resolveu voltar… quanta inocência!!!

  2. Thiago disse:

    Só espero que o tal “grupo de empresários” não seja formado por gente que bota ou botou dinheiro no clube vindo com a desculpa “eu investi agora tenho direito” e utilizando de sua influência para facilitar negócio. Se for isso, não venham mais nos meios de comunicação dizer que fulano tira dinheiro do bolso para a Chapecoense “andar”, verdadeiros “salvadores”. Aliás, ambas as coisas são bem típicas do futebol daqui há muito tempo. Espero que as coisas tenham mudado. Abraço Fernando.

  3. Thiago disse:

    E outra: pensando em ser momento ou não de vendê-lo, penso que a Chapecoense há muito não VENDE um jogador que lhe pertence. Tenho convicção que acessando uma série B, essa se tornará uma rotina frequente no cotidiano do clube. Só espero que não esqueçam do futebol e dos interesses do clube e de seus torcedores. É fácil se perder quando as coisas envolvem bastante dinheiro. Que digam os torcedores dos extintos Grêmio Barueri, Ituiutaba, Guaratinguetá, dentre outros. O interesse financeiro deve haver, obviamente, pensando no desenvolvimento de patrimônio, mas jamais deve-se colocá-lo sobre a questão futebol. Afinal de contas o sócio paga para ver seu clube conquistando títulos. Se quisesse investir em uma instituição para lhe retornar dinheiro, investiria na Petrobrás, Vale, Pão de Açucar… e não na Chapecoense. Abraço

Deixe um comentario