Arquivo para novembro, 2011

Angeloni Futebol Clube

quarta-feira, novembro 30th, 2011

O Criciúma bateu o martelo e deixa nas mãos do Grupo Angeloni a administração do futebol e a gestão de patrimônio pelo período de 10 anos.

Antenor Ângelo conta experientes 77 anos de vida. Homem de grande sucesso na vida empresarial, com a vida mais do que ganha e mesmo assim encara um desafio gigantesco nesta fase da sua existência.

Merece o reconhecimento e serve de exemplo para todas as gerações que muitas vezes ficam a reclamar a falta de oportunidades e deixam a vida para em branco.

Antenor Angeloni vai revolucionar o Criciúma. O poder de investimento dele é gigantesco e sua influencia no setor empresarial é incomparável.

Vai organizar desde as escolinhas até o produto final.

Está nos planos de Angeloni a construção de um novo estádio, de um shopping onde hoje se localiza o Heriberto Hulse, mas acima de tudo entrar no ramo de compra e venda de atletas e claro, a formação.

Angeloni começa a erguer um novo conglomerado empresarial, uma fábrica sem chaminé.

Para o Criciúma não havia outra saída a não ser aceitar a proposta de gestão capitaneada por Antenor Angeloni. Dizer não seria perdê-lo para sempre.

Minha visão sobre este comodato é a de que ele corre risco após sua conclusão, de fazer o clube subir ao céu e despencar ao inferno com a rapidez de um meteoro.

Ficar dependente de um nome ou de apenas um grupo se torna perigoso.

Na Chapecoense a gestão é compartilhada, assim como os investimentos. Não se carrega o fardo sozinho, a carga é dividida e desta forma se estabelece uma parceria mais duradoura.

Seria muito bom ter um Angeloni por estas bandas, mas também é importante que outros segmentos façam parte do projeto.

De qualquer forma Antenor Angeloni merece calorosos aplausos por estar investindo no esporte, dedicando tempo e dinheiro ao futebol, quando perfeitamente poderia estar em um local paradisíaco, nadando em uma piscina de dinheiro.

Foto: Denis Luciano/Engeplus.

O desafio do CT da Água Amarela

terça-feira, novembro 29th, 2011

O fechamento de um contrato entre Chapecoense e a família Baldissera por 20 anos para a estruturação do CT da Água Amarela foi um grande passo dado pela atual diretoria.

Porém, a edificação de refeitório e alojamentos é um segundo passo que pode demorar.

A primeira questão é dotar o local de um gramado condizente com a necessidade e depois, quem sabe, implantar um sintético para o rodízio e os dias de intempéries.

Acredito que a diretoria já tenha em mente alguma campanha especifica para organizar o local conforme as necessidades de uma equipe de futebol profissional, mas é sempre bom lembrar que os torcedores, a comunidade chapecoense terá de ajudar a pagar esta conta.

A cada semana de organização de calendários de treinamentos era um sufoco. Agora esta situação fica no passado.

Com a assinatura deste contrato o que se estabelece é uma nova exigência financeira para a Chapecoense. Não sei exatamente os termos de remuneração do contrato, mas com ele, além do aluguel, vêm os encargos inerentes da transação, a manutenção, as despesas de água e luz, funcionários destacados para sua preservação e tudo mais.

Era uma exigência inescapável, mas que gera despesas.

Vejo em alguns Centros de Treinamentos de grandes clubes placas publicitárias, realização de eventos como as famosas peneiras e outras fontes que possam gerar receita.

Quando se aumenta a casa às despesas aparecem.

Mas fica mais uma vez o reconhecimento pelo importante passo dado e por tudo de positivo que ele vai trazer.

O Flamengo que é o maior do Brasil vendeu tijolos aos seus torcedores. É um bom exemplo.

A Chapecoense tem tudo a ver com a Água Amarela.

 

Foto: Assessoria de Imprensa Chapecoense.

No caminho certo

sexta-feira, novembro 25th, 2011

As mais recentes iniciativas da direção da Chapecoense demonstram uma preocupação com a parte estrutural da associação.

Medidas que já deveriam ter sido tomadas há muito tempo, mas que chegam agora e devem ser enaltecidas, seja pela importância ou pela coragem que os atuais dirigentes estão demonstrando.

A retomada do projeto da escolinha foi à primeira delas e já elogiada neste espaço.

Agora chega a informação de que está em estágio adiantado um contrato de comodato por 20 anos dos campos da Água Amarela, de propriedade da família Baldissera, que possibilitará a implantação do esperado e necessário Centro de Treinamentos. Este é um passo concreto em direção a estruturação necessária para que a Chapecoense chegue, como se quer, a uma Série B de Campeonato Brasileiro.

Tais iniciativas demandam não apenas de coragem e espírito empreendedor. Exigem também planejamento financeiro para que se concretize.

Hoje estão pensando a Chapecoense muito além do campo de jogo. Esta nova ordem deve ser comemorada e valorizada. Aplaudir somente não resolve. Para que estes empreendimentos estruturais se confirmem é necessário que o torcedor corresponda se associando e desta forma dando seu quinhão de contribuição.

Como cronista esportivo, tenho acompanhado uma série de iniciativas que me deixa particularmente feliz.

A Chapecoense está evoluindo como instituição. Até mesmo o surgimento de um grupo de oposição deve ser lembrado. Até pouco tempo para que alguém assumisse a presidência da Chapecoense era necessário quase que uma ameaça. Hoje temos homens de bem comandando seus destinos e mesmo assim existe contraponto de visão.

Quando existe oposição ou concorrência, a tendência é de que se realize um trabalho ainda mais esmerado.

O caminho que está sendo trilhado é o mais correto.

Parabéns senhores diretores.

Escolinha do Verdão

quinta-feira, novembro 24th, 2011

A diretoria da Chapecoense está apostando forte na montagem da escolinha. Iniciativa que resgata a história e vai correr atrás do tempo perdido.

A imprensa recebeu o seguinte e-mail para auxiliar na divulgação:

Prezados da Imprensa!

Nosso objetivo é propiciar as crianças e adolescentes, a prática do Futebol, visando desta uma melhora do bem-estar físico e mental, destacando que, pela disciplina, o esporte promove cidadania, caráter, responsabilidade e acima de tudo a formação de uma pessoa digna de estar inserido na sociedade onde vivemos e também não deixando de lado a aprendizagem técnica e tática do Futebol, visando quem sabe a formação de um atleta de alto nível, gerando desta forma esperança e vontade de uma carreira com perspectiva de sucesso profissional e acima de tudo pessoal.

Estamos novamente solicitando o apoio de todos para ajudar a divulgar a primeira

Escolinha de Futebol da Chapecoense,  para criança de 8 a 15 anos.

As inscrições estão sendo feitas na sede do clube, localizado na Arena Condá, os professores são os mesmos que treinam as categorias de base da Chapecoense, o Julio Cesar e o Giovani Rigotti.

O Inicio dos treinamentos é dia 1° de dezembro, mas as inscrições vão até dia 5 de dezembro de 2011.

Na inscrição, o material esportivo é gratuito.

A mensalidade é apenas R$ 50,00.

Local de treinamento na Sede Amigos da Bola, que fica na Rua Quatorze de Agosto, 3750 no Bairro Líder.

Maiores informações no telefone (49) 91097431.

Para qualquer dúvida estamos à disposição.

Nota: Nossa obrigação é dar todo o apoio a esta iniciativa.

Além de garimpar novos talentos, teremos na escolinha crianças que não seguirão a carreira de atleta profissional, mas que terão um vinculo eterno com a Chapecoense. A escolinha formará atletas e torcedores.

 

Pereira, Pereirinha ou Pereirão?

terça-feira, novembro 22nd, 2011

Que tal?

Avalio como tranqüila a reação dos torcedores da Chapecoense quanto ao anúncio do nome do novo técnico, Gilberto Pereira.

Por se tratar de uma novidade e por termos pouco poder de avaliação, estamos todos na situação do “pagar pra ver”.

A maior aposta é do diretor de futebol Cadú Gaúcho. Este sim está jogando suas fichas na contratação.

Cadú assumiu verdadeiramente sua condição de principal homem dentro do futebol da Chapecoense e age de forma mais efetiva desde a saída da antiga comissão técnica.

Três jogos, não mais do que os três e clássicos jogos serão suficientes para se estabelecer a queda da desconfiança e uma quase certeza de que a contratação feita é a mais correta, dentro daquilo que o mercado oferecia no momento, ou para o inferno mudar de endereço e adotar o forte calor do verão oestino como sua casa de veraneio.

A atuação de Cadú Gaúcho será mais importante do que nunca neste momento de adaptação e de implantação de uma nova filosofia de trabalho.

Acredito que a troca será salutar. A Chapecoense começava a entra em um circulo vicioso de uma mesma estrutura e fonte fornecedora de atletas. As mudanças, se bem conduzidas, fazem bem e dão uma oxigenada no ambiente e faz aqueles que estão na zona de conforto saírem pro calor do sol.

Já se começa a discutir o esquema de jogo que o novo técnico deverá adotar. Pelo pouco que conheço dele, adota um 4-4-2, com forte articulação de meio de campo.

Porém, o estilo de jogo será definido pelo perfil do elenco a ser montado e não pelas convicções do técnico.

Se o que ele terá a disposição não se adaptar ao seu estilo ele tem duas possibilidades. Pega a mala e procura outro clube ou se adapta ele a realidade oferecida.

Futebol é a coisa mais simples do mundo. E é justamente a busca da simplicidade que resulta em sucesso.

Inventor não tem lugar neste esporte.

Qualquer coisa chama o Pereirão da novela das nove da Globo.

O nome é Gilberto Pereira

segunda-feira, novembro 21st, 2011

Em reunião que durou uma tarde inteira, a Chapecoense definiu o nome do novo treinador para a temporada vindoura.

Gilberto Pereira tem 46 anos e desde 1999 é técnico profissional. Tocou sua carreira em clubes do Paraná do de Goiás. Chama a atenção uma passagem pelo Palmeiras B, no Coritiba e uma estágio com Wanderley Luxemburgo no Real Madrid.

Graduadoem Educação Físicae com cursos de especialização na área.

O nome não empolga, é bem verdade. Tampouco é uma garantia de sucesso. Mas qual técnico é garantia de conquistas? Nenhum! Vide Felipão no Palmeiras.

Cadú Gaúcho, diretor de futebol da Chapecoense, se mostrou muito empolgado com a contratação, ontem, quando participou do Debate Esportivo da Rádio Chapecó AM 1330.

A lista inicial era grande. Foi diminuindo por falta de identificação com o projeto ou por representar um salário muito acima da realidade. Julinho Camargo era o número um da lista. Disse ele que não queria assumir compromisso agora por estar aguardando um OK da Arábia Saudita. Julinho está tranqüilo, pois vai receber salários do Grêmio até o final do ano que vem. Que beleza! Parabéns pro Grêmio.

Gilberto Pereira deve se apresentar na quinta-feira.

Souza já está contratado para a zaga, Um lateral direito da Série B também. Mais sete contratações deverão ser anunciadas.

Gilberto chega ganhando menos do que ganharia Mauro Ovelha. Pelas informações que tenho e fazendo um calculo aproximado, seu salário deve ser de uns R$ 10 mil.

Virá com ele apenas um auxiliar técnico, com nome ainda a ser definido.

È um técnico atrás de oportunidade. Está recebendo a maior de sua vida.

Conhecemos Gilberto Pereira dá época que treinava o Londrina e foi adversário da Chapecoense na Série D. Fazia aquele time jogar com três meses de salário atrasado e com muitas limitações técnicas.

Bom sorte pra todos.

Novidades no Verdão

quarta-feira, novembro 16th, 2011

Que Mauro Ovelha não é mais técnico da Chapecoense já está postado.

Nomes apenas no âmbito da especulação.

Jurídico da Prefeitura aprovou projeto para troca do gramado. Prefeito Caramori terá de enviar projeto para a Câmara de Vereadores, que deverá aprovar e depois começa a troca.

Deixe a sua sugestão de nome para assumir a Chapecoense.

Mauro Ovelha no Avaí

quarta-feira, novembro 16th, 2011

A notícia foi confirmada na tarde de hoje.

Mauro Ovelha deixa a Chapecoense e se apresenta amanhã no Avaí.

A diretoria marcou coletiva de imprensa para as 16 horas de hoje. Na coletiva saberemos se já existe um novo nome para o cargo.

Mauro Ovelha chega ao Avaí em um momento de rebaixamento e de anúncio de cortes de investimentos para a temporada 2012. Será, com certeza, o grande desafio de sua carreira.

Mais detalhes em instantes.

Chapecoense na toca do Tigre

domingo, novembro 13th, 2011

O Rapaz da foto se chama Jonathan Klabunde, ou simplesmente Chapecó, para seus amigos aqui de Criciúma.

Ele cursa Sistemas da Informação na Facierg e mora no mesmo hotel em que estamos hospedados para a cobertura dos JASC, o Gion.

Quando cheguei ao hotel, na noite de sexta-feira, logo avistei o Jonathan com uma camiseta da Torcida Jovem da Chapecoense, entidade que ajudou a fundar e da qual é diretor de patrimônio.

Jonathan é filho do Jorge e da Elisangela e irmão do Diogo e do Felipe. A família reside no bairro Bela Vista.

Guri educado e discreto, mas com grande facilidade de fazer amigos, está totalmente ambientado na Capital do Carvão. Gosta de jogar uma bola com os parceiros que residem no Gion.

Jonathan é mais um jovem que compõe esta casta importante de torcedores que tem apenas a Chapecoense como time do coração. Morando longe de casa ele veste quase que diariamente uma camiseta da Chapecoense e se transformou em uma espécie de embaixador do nosso Verdão.

O Jorge e a Elisangela podem ficar tranqüilos que o filho está sabendo aproveitar a chance de buscar uma formação acadêmica e está sendo muito bem cuidado pela simpática e eficiente turma do Gion.

Os caminhos do esporte e suas constantes viagens nos dão o privilégio de conhecer pessoas como o Jonathan, que carrega no coração uma paixão forte pela Chapecoense e que é um divulgador nato do Verdão e da nossa cidade.

Prazer em conhecê-lo, guri.

Bocha quadrada

sábado, novembro 12th, 2011

Silvênio Mergen, técnico da bocha feminino de Chapecó, em conjunto com as atletas, reclama da qualidade das bochas que foram disponibilizadas pela Fesporte.

As equipes investem em ternos de bochas vindos da Itália, de qualidade superior, mas a Fesporte optou por obrigar as equipes a utilizar bochas de qualidade muito inferior.

A reclamação, pasmem, é de que as bochas não são redondas, são tortas. Quando perde velocidade no acabamento da jogada elas acabam desviando da trajetória desejada.

Todos estão reclamando. Quando as canchas do Mampituba, elas estão sendo elogiadas.

Silvênio Mergen destacou também que o nível da competição neste JASC está muito alto. Parada dura para a excelente equipe de Chapecó.