O desafio do CT da Água Amarela

O fechamento de um contrato entre Chapecoense e a família Baldissera por 20 anos para a estruturação do CT da Água Amarela foi um grande passo dado pela atual diretoria.

Porém, a edificação de refeitório e alojamentos é um segundo passo que pode demorar.

A primeira questão é dotar o local de um gramado condizente com a necessidade e depois, quem sabe, implantar um sintético para o rodízio e os dias de intempéries.

Acredito que a diretoria já tenha em mente alguma campanha especifica para organizar o local conforme as necessidades de uma equipe de futebol profissional, mas é sempre bom lembrar que os torcedores, a comunidade chapecoense terá de ajudar a pagar esta conta.

A cada semana de organização de calendários de treinamentos era um sufoco. Agora esta situação fica no passado.

Com a assinatura deste contrato o que se estabelece é uma nova exigência financeira para a Chapecoense. Não sei exatamente os termos de remuneração do contrato, mas com ele, além do aluguel, vêm os encargos inerentes da transação, a manutenção, as despesas de água e luz, funcionários destacados para sua preservação e tudo mais.

Era uma exigência inescapável, mas que gera despesas.

Vejo em alguns Centros de Treinamentos de grandes clubes placas publicitárias, realização de eventos como as famosas peneiras e outras fontes que possam gerar receita.

Quando se aumenta a casa às despesas aparecem.

Mas fica mais uma vez o reconhecimento pelo importante passo dado e por tudo de positivo que ele vai trazer.

O Flamengo que é o maior do Brasil vendeu tijolos aos seus torcedores. É um bom exemplo.

A Chapecoense tem tudo a ver com a Água Amarela.

 

Foto: Assessoria de Imprensa Chapecoense.

3 comentarios para “O desafio do CT da Água Amarela”

  1. Daniel disse:

    Eu compraria um tijolo facil, adoraria ter uma lembrança dessas em casa!

  2. Jean Sandrini disse:

    A idéia de buscar o apoio da população é fantástica e passa pelas mãos de um excelente trabalho de marketing que deverá ser feito. Venda de tiljolos personalizados como foi feito na campanha de construção do CT do Flamengo, é uma grande sacada, pois permite que o torcedor comum participe, pois o valor de cada tijolo é acessível. Esta seria uma das frentes. A outra seria com empresários de Chapecó, que ganhariam o direito de expor suas marcas no CT, mas aí estamos falando de contratos longos e de grande valor, aparecendo em todas as imagens dos treinamentos e entrevista com jogadores.
    Jogos amistosos , jogos treino e das categorias de base poderiam acontecer neste local e servir como fonte de arrecadação.

  3. cesar luis de andrade disse:

    kkkakakakakakakaka

Deixe um comentario