Voltando a trincheira

Após meu período de férias estou de volta a este valorizado espaço para comentar e analisar nosso esporte.

A Chapecoense entra na reta final de preparação para a estréia no Campeonato Catarinense contra o Avaí. Resultados de amistosos e a forma como toda a preparação foi concebida, deixa no ar um sentimento de muita confiança nas possibilidades da Chapecoense para esta temporada.

Nitidamente foi a melhor preparação de todos os integrantes da elite do futebol catarinense. As equipes estão sendo montadas ainda e desta forma cada atleta chega com um condicionamento físico, criando a necessidade de equiparação em busca de um padrão. Isso leva tempo. Como a Chapecoense iniciou sua preparação como muita antecedência existe a tendência de que neste quesito ímpar ela esteja mais bem posicionada.

Na Chapecoense, como sempre, não se fala em conquista estadual. Fala-se em correr por fora.

Posicionamento correto da diretoria. Porém, a meta se acessar a Série B é quase uma lei. O foco está muito voltado para este passo importante e inadiável na vida da Chapecoense. Querer a Chapecoense quer a cerca de três anos subir para a segunda divisão nacional. Faltaram-lhe qualidade e experiência nas oportunidades que se apresentaram. E mesmo assim chegou bastante perto.

Estará a Chapecoense madura para dar este passo? Parece que sim.

Para esta temporada já houve um incremento orçamentário na ordem de 20%. Quando chegar a Série B este mesmo orçamento terá a necessidade de chegar perto dos R$ 10 milhões, ou seja, quase dobar. Como forma de implementar um planejamento adequado para o futuro, espero que este quesito já esteja sendo avaliado.

De resto, vamos para os jogos oficiais, que realmente interessam a todos nós.

Maior visibilidade

Nas andanças de férias conversei com muita gente.

Impressiona positivamente o conhecimento daqueles que acompanham o futebol, sobre a Chapecoense. Esta visibilidade foi alcançada a base de muito trabalho e principalmente conquistas.

Desde 2007 a Chapecoense tem exportado talentos para equipes de ponta e isso tem colaborado neste sentido.

O mais recente tema de debate é a chegada de Douglas Grolli no Grêmio. Seu rendimento nos treinos tem chamado a atenção e o nome da Chapecoense está na berlinda.

 Cada vez mais a Chapecoense deve criar mecanismos para deixar a marca em evidência. Muito já está sendo feito.

Um comentario para “Voltando a trincheira”

  1. Marquinhos disse:

    Fernando Matos, trocou a equipe da chapeco pela oeste capital.
    quem vai ser os reportis,?

Deixe um comentario