Que sofrimento danado

Chapecoense 2×1 Camboriú. Decisão de jogo aos 48 da segunda etapa.

A Chapecoense não jogou bem, foi na verdade a pior das três atuações até aqui.

O time esteve muito desorganizado e deu muitos espaços para um adversário que é humilde no orçamento, mas que tem sim suas qualidades.

Gilberto Pereira mexeu mal na equipe no intervalo de jogo e acabou entortando o time de deu ainda mais espaços ao Camboriú, que felizmente não soube aproveitar.

Nomes estão voltando do departamento médico e desta forma terão obrigatoriamente lugar no time, notadamente Jean Carlos, Diogo Roque e Marcos Alexandre.

Não quero aqui avaliar a qualidade de atletas que estão no mercado há tanto tempo em apenas três jogos, mas os momentos de alguns nomes remetem a esta necessidade.

Notei da cabine de transmissão que faltou sim uma pegada mais forte por parte de alguns e que destoam em campo.

Outra preocupação está relacionada contra ao excessivo numero de passes errados da Chapecoense. Faltou posse de bola e novamente a ligação direta tem sido uma ferramenta largamente utilizada.

A Chapecoense possui nomes para suprir as deficiências até aqui detectadas. Internamente já se tem a possibilidade de resolver com qualidade estes problemas. Virtude de um grupo numeroso.

Sem citar nomes, mas alertando sobre as posições deficientes, temos problema de comando de ataque, ala esquerda, meia de criação e a atuação dos volantes.

Nem tudo está errado, mas é inegável a necessidade de fazer o time crescer e tornar-se confiável.

Não credito apenas a sorte as três vitórias em seqüência, ela esteve sim presente, mas a bola parada, tão deficiente no ano passado, está fazendo a diferença. Sem falar no zagueiro Fabiano que marcou três dos quatro gols marcados até aqui.

 

Foto – Daniel Cavagnolli/ACF.

Um comentario para “Que sofrimento danado”

  1. Luci disse:

    …por enquanto a vitória está vindo…basta saber quanto tempo a defesa vai conseguir segurar…e ainda bancar o ataque….

Deixe um comentario