No ritmo de Mestre Pereirão

 

 

 

 

 

O carnaval na Chapecoense é de muito trabalho.

Mestre Pereirão está colocando a rapaziada na avenida sem a menor folga.

Uma demonstração inequívoca de profissionalismo e foco naquilo que todos desejam que é a conquista do turno e a vaga para a semifinal.

Pode acontecer de a vaga não ser consolidada agora, mas trabalho e dedicação não estão faltando.

Gilberto Pereira se encaixou muito bem no estilo de jogar dos melhores times da Chapecoense e o grupo tem correspondido ao menos nos resultados.

O melhor expediente para não atravessar o samba e para que a harmonia não fique comprometida é muito treino, muito ensaio.

Futebol e escola de samba têm muito para ser comparado.

Em ambas, quando uma ala ou um setor não correspondem, todo o conjunto da obra se recente, se desequilibra.

Muitas vezes são pequenos detalhes que comprometem, mas que na soma da campanha ou do desfile, o adversário pode estar melhor e desta forma leva o troféu.

Uma escola de samba ou uma equipe de futebol treinam durante um longo período para uma apresentação final, apoteótica, nesta caminhada os ajustes são necessários.

Comprometimento é uma palavra obrigatória, não apenas na sua existência, mas muito mais na sua essência.

O técnico é o mestre da bateria, os jogadores os ritmistas, a direção de futebol e a diretoria executiva a comissão de frente, os demais departamentos forma as alas, e todo este complexo caleidoscópio forma um produto final, que pode ser belo e vencedor, como pode ser um imenso e desafinado desastre.

O futebol e os desfiles das escolas de samba são exemplos para muitos setores. Quando os projetos se mostram eficientes se transformam em pura magia.

Ver um aglomerado humano de quatro mil pessoas desfilando na passarela, organizado, pulsando energia, segurando o ritmo com competência é algo espetacular.

Ver um time de futebol atuando de forma organizada, com um futebol vertical e envolvente é apaixonante.

O futebol e as escolas de samba busca beirar a perfeição, ou no mínimo a máxima eficiência. Para se chegar a este nível de excelência é preciso muito ensaio.

Bom trabalho neste carnaval, Mestre Pereirão e seus ritmistas.

Deixe um comentario