Sobrou emoção e faltou gol

Chapecoense 0×0 Santo André.

Foi a melhor apresentação da Chapecoense na Série C do Campeonato Brasileiro. Foi o maior volume de criação ofensiva da temporada. A Chapecoense massacrou o Santo André o tempo inteiro. Foram duas bolas na trave. Houve um pênalti sonegado. Foi o jogo de maior entrega da Chapecoense, em todos os aspectos, técnico e físico. Neném foi um gigante, jogou muito, foi o motor de meio de campo.

O goleiro Nivaldo foi um assistente de luxo, pois foi pouco exigido.

O que fez a diferença em prol do Santo André foi o goleiro Bonan. Foi uma atuação monumental deste goleiro é que o interior do Paraná e que teve o prazer de realizar um trabalho muito acima da média e seu pai esteve na Arena e pode ver seu filho ser escolhido o melhor do jogo com sobra.

O resultado não foi bom, mas a atuação da Chapecoense merece comemoração. A Chapecoense jogou solta, com capacidade criativa e com uma força ofensiva que até então não havia apresentado.

Esta mesma capacidade de produção pode sim ser repetida, não pode ser este um jogo de exceção.

Faltou para a Chapecoense neste jogo o homem terminal. Faltou o definidor, aquele que arremata e sai para a festa.

Com Rodrigo Gral em campo o jogo poderia ter sido diferente, mas sua ausência não pode ser o motivo do empate, mas é preciso reconhecer que sua falta merece uma analise.

Quanto ao Rodrigo Gral, o esforço é liberá-lo para o jogo contra o Vila Nova em Goiânia. Caso contrário será feito um esforço financeiro para a contratação de um atacante, pois com os que a Chapecoense conta não é mais possível seguir.

Um empate injusto, que privilegiou uma equipe que não veio para jogar, no caso o Santo André, que amarrou o jogo, e que teve apenas um jogador atuando, seu espetacular goleiro Bonan.

Arbitragem vergonhosa

O trio veio do Paraná. O trabalho de Leandro Hermes e do auxiliar Adair Carlos Mondini foi um fiasco.

Isento a atuação do segundo auxiliar, Moisés Aparecido de Souza, que fez o que devia.

No primeiro lance o árbitro já atrapalhou um ataque da Chapecoense. Depois o que se viu foi um repertório interminável de equívocos. Árbitro que não sabe se posicionar em campo não merece apito. Auxiliar que não sabe se impor não merece bandeira.

Um pênalti não foi marcado em beneficio da Chapecoense. Faltas foram marcadas em profusão histórica, amarrando o jogo e colaborando com o Santo André que veio só pelo empate.

A falta de qualidade da arbitragem foi determinante para este empate. Ficar sem reclamar não pode. O delegado escalado parece ter visto o mesmo jogo.

Uma palavra resume a arbitragem. Lamentável.

 Foto – Daniel Cavagnolli – ACF.

 

3 comentarios para “Sobrou emoção e faltou gol”

  1. jhe disse:

    SIM, MAS TÃO ELOGIANDO TANTO O GOLEIRO DELES, TEM QUE DESCE O PAU NOS NOSSOS ATACANTES QUE MAIS UMA VEZ NÃO FORAM COMPETENTES PARA POR A BOLA PRA DENTRO DO GOL…

  2. vanderlei disse:

    time sem ataque e isso , falei que tavamos liderando na sorte ,e agora pedreira se perder fora sabado ja saiem do g4 ,,,perderam pontos pro morto do tupi agora ta ai , dessa vez a desculpa foi o goleiro deles , cada jogo alguem paga o pato ,,,,,,,,

  3. silvio sz disse:

    Sugiro uma aproximaçao urgente do Pres Sandro Pallaoro com o Pres Delfim da FCF.
    O Jec subiu ano passado com muita facilidade. Os bastidores do futebol continuam importantes e sao definidores.

Deixe um comentario