Aventuras na Série C

Cobrir uma Serie C de Campeonato Brasileiro, de ponta a ponta, como faço pela terceira temporada seguida é uma espécie de Safári, uma expedição a terras distantes. Curiosidades não faltam. Estádios acanhados. Torcedores folclóricos. Cabines de transmissão adaptadas. Milhares de quilômetros de estradas e alguns aeroportos. Muito trabalho e experiências de vida muito ricas, que comprovam ser o futebol uma ferramenta de integração sem igual.

As cuecas

Dentro da linha de curiosidades da Série C, uma delas chamou a atenção no jogo de sábadoem Madureira. Perfiladas, presas no alambrado que separa as cadeiras do gramado, estavam onze cuecas, de várias cores. Elas permaneceram lá até o inicio do jogo. Repentinamente sumiram. Primeiro pensei ser apenas uma manobra do roupeiro, mas depois acreditei que poderia ser uma mandinga, uma simpatia, um contato com outros mundos para amarrar as pernas (ou quem sabe outras partes) dos atletas da Chapecoense. Se foi isso, deu certo. Sarava!

As pombas

Em Ituiutaba, Minas Gerais, na primeira desastrada tentativa de subir para a Série B, encontramos um estádio e as cabines de rádio dominadas pelas pombas. Elas podiam ser contadas as centenas. De todas as cores e tamanhos. Com farta alimentação elas comiam muito e conseqüentemente evacuavam em proporção geométrica. Ao chegar ao estádio fui atingido por uma mira certeira. Ao chegar as “cabines” tive a certeza de que ali era o banheiro delas. Foi neste ambiente insalubre que transmiti o jogo entre Ituiutaba e Chapecoense. O resultado foi o mesmo do objeto que a pompa me acertou.

Chave

Em Itápolis chegamos ao estádio antes dos administradores. Cabines fechadas. Obrigamos-nos a escalar uma parede e invadir as cabines pelas janelas. Nenhum pesava menos de 90 quilos. O mais “magro” foi içado pelos demais, como um guincho. A chave chegou uma hora depois.

O lado bom

O bom da Série C é conhecer pessoas e clubes que jamais conheceríamos não fosse por obrigação do oficio. Conhecer pessoas e suas distintas realidades serve para avaliar o Brasil de verdade em que vivemos. O brasileiro é um povo maravilhoso, independente de onde viva.

O lado ruim

O Brasil padece de infra-estrutura básica. Olhando este Brasil da Série C nos deparamos com situações que levam ao questionamento: Como podem eles viver aqui? Não fosse o roubo do nosso dinheiro a realidade seria outra. Alguns políticos merecem a prisão perpétua.

9 comentarios para “Aventuras na Série C”

  1. Marcos disse:

    Fernando gosto de ler seus comentarios, so que este neste momento nada condiz com a realidade da Chapecoense.
    Foi mal, contar historias em outra oportunidade. Abraço!!!

  2. fernando disse:

    Então leia o post anterior que fala sobre o desastre do jogo de domingo. Mas amanhã já tem mais porrada para vewr se este grupo acorda. Um abraço.

  3. Alessandro de Indaial disse:

    Fernando depois de sua terceira temporada na serie C, se prepare para a quarta, quinta e com sorte a sexta…. Depois vai voltar a cobrir a D.

  4. fernando disse:

    Está deste jeito o negócio?

  5. Luís Felipe disse:

    Seu post me fez ter a curiosidade de saber como será que os que aqui estiveram enxergaram nossa cidade e nosso clube.

  6. jhe disse:

    TÁ MAS VC FICOU MUITO TEMPO OLHANDO PARA AS CUECAS DOS CARAS?

  7. fernando disse:

    Boa colocação Luiz Felipe. Acredito que na maioria das vezes fomos elogiados. Mas é interessante sua colocação;

  8. fernando disse:

    Como não olhar 11 cuecas penduradas a cerca de 10 metros da sua cara? Ainda bem que levar embora logo. Uma cena lastimável, caro Jhe.

  9. Fabricio ccó disse:

    Mas vai melhorar ano que vem, Barueri tem um baita estadio, Ipatinga vcs ja conhece estadio de primeira, Bragança Paulista é uma cidade muito bonita, vai poder conhecer pessoalmente o Rivaldo, só filé.

Deixe um comentario