Arquivo para novembro, 2012

Novos Planos de Sócios

sexta-feira, novembro 30th, 2012

A Chapecoense divulgou  os novos valores para os planos de sócios. Confira as modalidades.

Conselheiros: R$ 120,00. Cadeiras: R$ 80,00. Cobertas R$ 50,00. Geral: R$ 38,00.

Sênior Cadeiras: R$ 50,00. Cobertas: R$ 30,00.

Sênior Geral: R$ 20,00

Plano empresa: Geral: R$ 30,00. Cobertas R$ 40,00.

Cadeiras: R$ 60,00. A empresa deverá ter no mínimo 10 colaboradores.

Muito bom

Os valores estão muito acessíveis e deixa aberta a possibilidade para todas as camadas da população se associar.

É só fazer o calculo e fica fácil determinar que ser sócio é um grande negócio. Você estará antecipando receita para a Chapecoense e economizando um bom dinheiro em comparação a compra de ingressos na bilheteria.

O plano empresa é ainda mais vantajoso. Ficou de bom tamanho.

Na rua

É preciso agora montar uma boa equipe de vendas para motivar o torcedor a associar-se. Visitas às empresas também devem ser realizadas. A meta é chegar aos oito mil sócios imediatamente. Uma meta alcançável, mas desde que se corra atrás dos sócios. Ficar esperando não vai surtir efeito. O momento é o melhor possível para alavancar o quadro social.

No foco

Seria interessante que a Chapecoense formatasse uma parceria com o Shopping Pátio. A colocação de um quiosque para a venda de planos seria uma iniciativa que certamente traria resultados. O Shopping cede um espaço e a Chapecoense paga à conta com uma placa na Arena.

Neste período de final de ano o movimento no local será ainda maior e desta forma a Chapecoense ganhará muita visibilidade. E por que não dar de presente de Natal um plano de sócios quitado para toda temporada? Fica a dica.

 

Fica ou sai

quinta-feira, novembro 29th, 2012

Confirmações de agora a tarde em coletiva de imprensa na Chapecoense

Ficam: Nivaldo, Juliano, Gustavo, Cesar, André Paulino, Fabiano. Rafael lima, Wanderson, Neném, Thurram e Marco Vinicius.

Em tratativas: Athos, Dudu Figueiredo, Henrique, Jô, Galiardo, Paulinho Dias e Rodrigo Gral.

Saem: Souza: Wanderlei, Rafael Mineiro, Cristiano, Dema, Chicão, Dudu Lima, Eliomar, Gilton, Lê e Leonardo.

Assembleia

quarta-feira, novembro 28th, 2012

Gilson Vivian, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense.

Na noite de hoje o Conselho Deliberativo da Chapecoense se reúne para confirmar a chapa Sandro Pallaoro e Ivan Tozzo, para presidente e vice, dando sequencia na administração da Chapecoense para o biênio 2013/2014.

Pode ainda haver uma decisão se a escolha, mesmo com uma chapa apenas, se dará no voto ou por aclamação.

O que realmente importa é dar a nova diretoria uma base sólida para trabalhar nas próximas temporadas. Os desafios que vem por aí são grandes e eles merecem apoio de todos os setores.

Amadurecimento

Sandro Pallaoro tem dito com frequência que a imprensa esportiva de Chapecó amadureceu. É verdade. A cada ano que passa a imprensa esportiva tem demonstrado crescimento, seja em qualidade ou em postura profissional. Ela também está se renovando, com a chegada de uma nova geração.

Sandro Pallaoro também mostra que amadureceu. Aceita as criticas com mais equilíbrio, está mais ponderado nas suas colocações e desta forma deixa o ambiente mais tranquilo. Todos nós amadurecemos.

Gramado

Começa hoje a esperada obra de troca do gramado da Arena Condá. Alvo de críticas dos mais afoitos, que acreditavam que a Prefeitura de Chapecó pudesse apenas prometer e não cumprir. Se toda cidade tivesse uma prefeitura como a de Chapecó, que investe pesado no esporte e que nos presenteia com uma Arena como a que temos, o futebol seria muito diferente. Parabéns prefeito José Claudio Caramori. Palavra empenhada, promessa cumprida. Teremos um gramado de primeiro mundo a partir da próxima temporada. Chapecó merece!

Critério e You Tube

segunda-feira, novembro 26th, 2012

Na temporada 2012 a Chapecoense sofreu com contratações que não deram certo e que desta forma criaram um descompasso no caixa.

Sempre houve a intenção de acertar. Jamais a Chapecoense contratou atletas por impulso ou para agradar este ou aquele. Sempre foi na base da informação repassada ou mesmo por conhecimento do departamento de futebol, mas o fato é de que houve erros e esta avaliação merece uma analise bastante criteriosa.

Mercado

Quando se joga a Série C as contratações de maior qualidade esbarram na falta de recursos e na falta de interesse de muitos empresários em colocar seus atletas em uma divisão que ainda sofre pela falta de exposição e credibilidade no mercado.

Com a Série B a situação muda radicalmente. Atleta que não fecha com a Série A, joga fácil a Série B, pois a exposição de mídia é muito grande e com isso muitas portas se abrem.

Pontualmente

A Chapecoense vem sofrendo muito com a falta de qualidade e as improvisações no ataque e nas alas. Foram várias as tentativas. Para estes setores as contrações são muito especificas e demandam de um investimento maior. Será necessários prospectar o mercado de forma muito especifica e se possível apostar em nomes que já provaram qualidade e, portanto, são confiáveis. Apostas, não mais.

Vai chover

Se já chovia jogador de DVD agora teremos uma tempestade. O que vai aparecer de craque de You Tube!

A direção de futebol tem experiência e creio, saberá passar a peneira. Muitos empresários aportarão por aqui também. Mesmo com as dificuldades financeiras inerentes ao futebol profissional, a Chapecoense tem boa imagem no mercado. O futebol da Chapecoense vai trabalhar como nunca até o final do ano.

Fim de festa

sexta-feira, novembro 23rd, 2012

Oeste 0×0 Chapecoense. Com o resultado combinado de vitória por 1×0 do Oeste em Chapecó o time do interior de SP fica com a vaga na final e vai decidir o título contra o Icasa do Ceará e por merecimento.

Foi um jogo de baixa qualidade técnica, com erros de finalização bisonhos e que somente poderia ter encerrado sem gols. Uma bola em Chapecó decidiu esta vaga para a decisão. Na verdade a Chapecoense chegou ao seu limite e mesmo assim a tão esperada e sonhada vaga para a Série B veio e isso é o mais importante.

Querer mais

Todos queriam a vaga para a decisão. O jogo final seria em Chapecó e por isso fica um gosto amargo. O torcedor reclama e com razão. Ninguém está diminuindo a conquista do acesso, mas quando se tem a possibilidade de se buscar uma faixa no peito é preciso querer e sob este aspecto o Oeste teve mais querer em suas atitudes de campo. Faltou volúpia para a Chapecoense nesta reta final.

 

Dal Pozzo

A chegada de Dal Pozzo foi determinante para a mudança de rota e para a conquista do acesso, porém, na semifinal o técnico da Chapecoense se enrolou completamente em suas soluções e deixa o torcedor com a pulga atrás da orelha, pois suas escolhas foram muito equivocadas. Merece o aplauso pelo acesso, mas também errou muito na semifinal.

 

Começou

O ano de 2013 já começou para a Chapecoense. Férias para os jogadores, mas para a diretoria tem muito trabalho pela frente. É época de contratações e dispensas. Teremos uma mudança de foto bastante significativa neste elenco.

Cerca de 12 ou 13 devem ficar, mas a necessidade de mudar é grande. Alas e ataque devem merecer uma atenção especial.

Positivo

O ano valeu pelo acesso. Foi uma conquista que merece ser enaltecida sempre e reforça os acertos do ano. As reclamações são normais, mas é preciso agradecer o emprenho de todos, indistintamente, pelo fato de a Chapecoense estar entre as 40 mais importantes equipes brasileiras. Todo o esforço e os investimentos da temporada estão justificados.

Negativo

Reitero que faltou explosão para o elenco da Chapecoense na semifinal da Série C. A esperança de levar uma decisão nacional para casa deixou uma frustração no ar. É mais um tabu a ser derrubado, a de não chegar a uma decisão nacional. Ela escapou pela segunda vez. Mas valeu.

 

Ele acredita

quinta-feira, novembro 22nd, 2012

Recebi na manhã de ontem uma ligação do presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Gilson Vivian.

Ele me disse, que após ler a coluna de ontem, gostaria de fazer um reparo em relação a um comentário, que analisava a questão de consenso ou da aproximação de alguns nomes da chapa que declinou da eleição, quando escrevi que o assunto estava encerrado. Gilson Vivian ainda acredita que alguns nomes poderão compor a próxima diretoria. Gilson acredita também de que Izair Gambatto ainda possa fazer parte da nova executiva ou no mínimo ser um colaborador da mesma. Gilson não jogou a toalha.

Mordidos

O elenco da Chapecoense está magoado com a atitude de alguns torcedores que vaiaram o time na derrota para o Oeste quando chegaram ao exagero de gritar Olé!

O sentimento de muitos é de tristeza e até de revolta.

Que usem como combustível para vencer o Oeste em Itápolis e que levem a Chapecoense para a decisão.

Foi realmente um exagero de parte da torcida.

Fim de papo

terça-feira, novembro 20th, 2012

A chapa tida como de oposição, que tinha como grande nome o empresário Izair Gambatto, retirou a inscrição da mesma para a eleição da Chapecoense, marcada para o final deste mês. Um acúmulo de situações levou o grupo a tomar tal decisão. A primeira situação é a de que eles não aceitavam a denominação de oposicionistas. Falei com Izair Gambatto na tarde de hoje e como sempre, de forma muito clara e ponderada, esclareceu o posicionamento do grupo. Um dos pontos diz respeito a uma solicitação de relatório referente à situação financeira da Chapecoense, que segundo Gambatto, até o momento não foi repassado. Situação esta que deveria em detalhes ser relata, referente à situação da folha de pagamento, passe do atleta Fabiano, pagamento de obrigações sociais e outros itens. Gambatto me disse também que a chapa estava montada há bastante tempo e que foi levada em consideração a declaração de que a atual diretoria, ao final do atual mandato, não mais concorreria. O confronto não estava nos planos do grupo comandado pelo adversário.

Uma reunião na noite de segunda-feira determinou a retirada da chapa.

Quanto à possibilidade de consenso que estava sendo proposta, o empresário sentiu que na manhã de quarta-feira lhe seria ofertada apenas a possibilidade de captar recursos e que o restante dos cargos ficaria com a chapa denominada de situação. Fato este que jamais seria aceito por Izair Gambatto e seus demais integrantes.

Está encerrada uma página na história da Chapecoense. Izair Gambatto poderá um dia voltar, mas em outra condição que não seja de enfrentamento e animosidades.

Perde sim a Chapecoense. Izair Gambatto demonstrou grande capacidade de captação de recursos, de saneamento financeiro, de poder político na Federação Catarinense de Futebol e em outros setores da vida pública de SC.

Fracassou retumbantemente a tentativa do Conselho Deliberativo em unir as partes. Começou bem, mas terminou muito mal.

O grupo que seguirá comandando a Chapecoense tem condições sim de tocar o projeto, mas eles próprios sabem da capacidade do empresário Izair Gambatto e o quanto ele foi importante na história recente da entidade.

Faltou reconhecimento a um agente importante para a Chapecoense. Faltou habilidade para contornar a situação. O que está feito está feito e a vida segue. A Chapecoense não fecha suas portas, mas uma grande oportunidade foi desperdiçada.

Na prática

segunda-feira, novembro 19th, 2012

O retrospecto da Chapecoense fora de casa na Série C não anima o torcedor e deixa a imprensa muito desconfiada.

E existe razão para a falta de crença de que o elenco tenha a capacidade de reverter à situação, que é de desvantagem, pequena, mas ela existe, possa ser revertida.

No discurso sempre houve mobilização que partiu do vestiário, mas em campo ela não se concretizou até aqui. Com Gilmar Dal Pozzo no comando não houve vitória fora de casa. O melhor momento, o único momento para reverter é na sexta-feira em Itápolis.

Limite

É ganhar e seguir em frente ou empatar ou perder e encerrar a temporada. Que já é muito boa. Um bom prêmio está estabelecido pela conquista. Sugiro a diretoria que transforme o restante do prêmio como ganho se o elenco levar a Chapecoense a decisão, quitando mesmo antes de uma conquista nacional. Trata-se de um gesto apenas, que vale dinheiro, mas que certamente encontrará parceiros para sua concretização. Mais um gesto arrojado da diretoria que poderá fazer muita diferença.

Visibilidade

Trazer a decisão da Série C para Chapecó, quando todo o restante do calendário nacional já estiver concluído, representa uma exposição muito importante, gigantesca, para o futebol de SC. Todos os esforços são válidos neste sentido. O grupo quer, eu sei, mas um empenho a mais pode representar a diferença entre seguir e parar.

Mais uma força, mais um gás, mais um gesto de desprendimento. Agora é à hora.

 

Ilustração – Retirada do face de Marcelo Kako Onofre. 

Derrota em casa

domingo, novembro 18th, 2012

Chapecoense 0×1 Oeste.

A Chapecoense perdeu seu primeiro jogo em casa na Série C na tarde de sábado. O Oeste de Itápolis construiu uma vantagem interessante para o jogo da volta, no interior de São Paulo, mas não uma vantagem definitiva ou inalcançável. A proposta de jogo do Oeste foi de forte marcação, que acabou anulando muitas jogadas de armação da Chapecoense, que se obrigou a abrir o jogo pelas alas fazendo com que as jogadas de ataque perdessem muito de sua eficiência. Dois detalhes determinaram esta derrota. Um gol perdido por Athos a um minuto de jogo. Gol daqueles que a gente batiza de “feito”. E uma bola na trave de Neném. Teve ainda uma grande defesa do goleiro Fernando Leal, do Oeste.

Faltou efetividade para a Chapecoense fechar o jogo com uma vitória. Analisando o primeiro tempo, destaco a atuação insegura do setor defensivo. A saída de bola da Chapecoense esteve muito amarrada, com muitas bolas recuadas e com dificuldade de conexão devido a forte marcação, muitas vezes desleal inclusive, operada pelo Oeste.

Gilmar Dal Pozzo foi envolvido por Luiz Carlos Martins na parte tática. O técnico da Chapecoense não conseguiu desatar o nó apresentado por seu oponente.

Pareceu-me que o Oeste estava mais focado na vaga para a decisão. Querendo mais que a Chapecoense.

Nada está definido. O jogo de volta pode reservar surpresas. O Oeste não poderá jogar lá como jogou aqui. Terá de sair mais para o jogo. Resta saber se a Chapecoense vai finalmente jogar futebol fora de casa, coisa que não fez ainda na temporada. A vaga para a Série B está na mão, mas todos querem mais, Queremos o título nacional. Por isso as críticas. A festa pelo acesso já terminou.

Frente a frente

quinta-feira, novembro 15th, 2012

Na semana que vem às duas chapas que concorrem na eleição da Chapecoense ficarão frente a frente. A iniciativa é do presidente do Conselho Deliberativo, Gilson Vivian. É a derradeira tentativa de evitar o confronto. Uma iniciativa válida e que já foi aceita pelas partes em uma demonstração de equilíbrio e maturidade. A tentativa de aparar arestas vem para somar. É bom que neste período, os mais afoitos, fiquem calados e colaborem para o bom andamento do processo.

Projetos

Os torcedores andam afoitos na busca de saber quais os planos para o futuro da Chapecoense. Até aqui nada foi falado abertamente, muito por conta do período que clamava por atenção apenas para o futebol.

Agora é hora de o tema começar a ser abordado de forma mais aberta. Tenho conhecimento de algumas boas ideias, mas vou esperar as manifestações oficias. A Chapecoense subiu um importante degrau e com isso as exigências aumentaram significativamente.