Faltou futebol

Figueirense 2×1 Chapecoense.

Segue um tabu que se arrasta desde 1977. Desde o século passado a Chapecoense não sabe o que é vencer no Orlando Scarpelli.

Não é possível vencer sempre e as derrotas trazem ensinamentos importantes. Certamente haverá uma leitura adequada daquilo que a Chapecoense não produziu em Florianópolis. Separando o jogo em quatro partes a Chapecoense jogou apenas no quarto final.

Levar um gol em apenas seis minutos é letal para qualquer projeto de vitória.

Marcação

A Chapecoense marcou muito mal quase o tempo inteiro. Deu espaços importantes para o Figueirense que soube aproveitar muito bem as oportunidades. Não houve a efetividade dos dois primeiros jogos. O técnico do Figueirense, Adilson Batista, estudou a Chapecoense, ou seja, respeitou o adversário e com isso ganhou o jogo.

O Figueirense soube neutralizar a saída de bola e com isso tirou da Chapecoense uma de suas maiores virtudes.

Muita calma

Não é hora de encontrar culpados. Foram duas grandes atuações contra dois times grandes e uma, contra outro grande, que não foi satisfatória. Ou seja, nada de achar que está tudo errado, quem ninguém presta, que está tudo errado, nada disso. Cobranças serão normais e elas fazem parte do contexto.

O jogo contra o Criciúma ganhou muita importância. Todos nós sabíamos que esta largada seria muito forte. No mínimo a Chapecoense termina esta primeira perna com 50% de aproveitamento, Ou seja, não é ruim.

 O próximo

Quarta-feira às 22 horas em Xanxerê a Chapecoense receberá o adversário de maior investimento e o representante catarinense na Série A. Tem tudo para ser o jogo mais complicado. O momento é de superação. Como será em todos os demais jogos. O torcedor tem parcela importante na noite que se aproxima.

Positivo

Adilson Batista soube neutralizar a Chapecoense. Estudou o Verdão e com seu elenco colheu uma vitória. É assim  que se faz. Jogou com experiência e sempre respeitou a Chapecoense.

Negativo

A postura defensiva da Chapecoense, apesar de bem povoada, não esteve com a segurança de outros jogos.

Não adianta ter mais de meio time na defesa se ela não é efetiva. Não defendeu e não soube sair jogando.

4 comentarios para “Faltou futebol”

  1. vanderlei disse:

    na verdade perderam para um time bom , time que sabe toca e dribla e com jogadores qualificados , faz parte , nao ia ganha sempre tbm , o negocio e mata o tigre quarta ,,, depois os grandes ficaram pra tras ,,,,,,

  2. Silvio SZ disse:

    Essa derrota tem q debitar para Gilmar Dalpozzo, tava ficando muito estrela, tanto que, nao apresentou nenhuma novidade no terceiro jogo, ele tinha que ter alternativa cfe cada jogo e cada adversario.
    Adilson Batista simplesmente viu o teipe dos 2 jogos anteriores e matou a charada.
    Enquanto isso, Dalpozzo em nada inovou.
    Figueirense ja sabia como a Chape ia jogar.
    Pobre treinador da C hape, achando que esse esquema iria durar até a ultima rodada.

  3. moraesão disse:

    A verdade é que o verdão não jogou absolutamente nada no primeiro tempo e foi ali que perdeu o jogo! O time estava irreconhecível, não conseguiam marcar, deixavam espaços, não ganhavam nenhuma segunda bola, estavam realmente perdidos em campo, sem contar que não conseguiam sair jogando devido a ótima marcação do time do figueirense. Levamos um banho de bola do figueira no primeiro tempo, isso é fato. No segundo melhorou um pouco e o jogo ficou mais equilibrado. Fabinho gaúcho por exemplo não conseguiu passar do meio campo…mas isso devido a excelente marcação do figueira que não deixava ele subir, aí comprometeu nosso saída de bola, paulinho dias muito mal, assim como o diego felipe….o erro do Dal Pozzo no meu ver foi deixar o diego felipe “solto” como nos outros jogos. Nesse jogo em específico ele deveria ficar mais atrás na marcação e deveríamos ter jogado com três zagueiros e um ala na direita. Era jogo pra 3-5-2. Mas enfim agora é partir pro próximo jogo, e tirar a lição da derrota.

  4. Roberto disse:

    O esquema “Pega Ratão” do Dal Pozzo não ia funcionar sempre… e uma derrota lá dá pra considerar normal, porém o que irrita é a teimosia de manter o Fabiano no time, sabe-se que é considerado um “investimento” mas além de não ajudar em nada, mais uma vez ele atrapalhou, ele não defende direito pela direita, não apóia, não sabe cruzar, enfim, é um a menos no time, se fosse pra improvisar alguém por ali, teria que ser o paulinho Dias entrando o Athos no meio.
    O time tá torto minha gente.. até a nona ve isso… meche na escalação Dal Pozzo, não seja teimoso… 4 4 2 com Athos de titular e Fabiano no banco…

Deixe um comentario