A mão pesada da lei

Os clubes de SC que participam da divisão de elite, todos os 10, foram multados pela não observância dos prazos para a entrega dos laudos dos estádios.

A multa foi calculada com base no poder econômico. O Criciúma levou uma multa de R$ 70 mil, os quatro da Série B, entre eles a Chapecoense, R$ 50 mil, os demais R$ 30 mil.

O Tribunal de Justiça Desportiva pegou pesado. São multas correspondentes a grandes rendas que quase nunca se confirmam no nosso campeonato. Pode parecer pesado, mas tudo está amparado na lei do futebol.

A aplicação das multas parece ter um caráter didático, ou seja, pegou pesado agora para que nunca mais se repitam as indolências de outras oportunidades. É como se a Federação Catarinense de Futebol colocasse os clubes no cantinho do castigo. A gritaria é grande e não poderia ser diferente. O ineditismo da medida deixa claro que não se admite mais negligência na concessão dos alvarás liberatórios dos estádios catarinenses. A pergunta que fica é: Aprenderam?

O efeito desejado somente será sentido se não reformarem a decisão. Caso isso aconteça, será apenas mais um show para inglês ver.

11 comentarios para “A mão pesada da lei”

  1. Bento disse:

    agora sim esses jogadores do verdon vão avolá e avolá de avião. Eu lembro que na série D foram de onibus até Alto Araguai quase 4 mil Km pela BR 163, aquela mesma que vai a Goiabá a Santarrem, foi de chorrra aquela viagem. Dai o Palmassola, que é meu amigo, na oportunidade foi avolá de avião até rondonópolis num téco téco e depóis foi no jogo e quase morreu de medo, o avião do palmassola virava de gambota e ele me dizia no Téco Téco, essa eu sabia que ia vira, na segunda, disse tambem que sabia que ia da outra gambota, mas terceria o palmassola não se aguntou e disse que essa não sabia que a merda ia sair pelo colarinho da camisa. são históris de sacrificio que é bom a gente recordar.. como mudaram as coisas pro verdon gente do céu

  2. Gustavo Cruz disse:

    Fernando, você tem algum email para contato? Sou estudante de jornalismo da UFSC e estou escrevendo sobre a Chapecoense. Gostaria de poder lhe fazer umas perguntas rápidas a respeito do clube e da campanha no Campeonato Estadual, se possível. Caso você não queira divulgar aqui publicamente, pode me enviar um email para gcsilva91@hotmail.com
    Grato desde já
    Gustavo Cruz

  3. fernando disse:

    Olá Gustavo. Pode mandar para fdoesse@gmail.com
    Terei imenso prazer em colaborar.

  4. Gustavo Cruz disse:

    Obrigado!
    Já lhe enviei o email. Abraço.

  5. Thiago disse:

    Fernando, quem sabe assim os clubes aprendam a não deixar mais para a ultima hora… Por que sempre foi assim… todos os anos é a mesma novela, faltando 1 dia para começar o Catarinense tem estadio sendo liberado…

  6. fernando disse:

    É exatamente isso Thiago. Todos os anos é a mesma história. Um abraço.

  7. Justamente por este fato que o Thiago disse, é que desta vez não deixaram os clubes passar impunes. O povo só costuma agir quando arde no bolso.

  8. Cristiano disse:

    e os laudos da Arena Condá ja foram entregues ? alguem sabe ?

  9. Bento disse:

    agora sim esses jogadores do verdon vão avolá e avolá de avião. Eu lembro que na série D foram de onibus até Alto Araguai quase 4 mil Km pela BR 163, aquela mesma que vai a Goiabá a Santarrem, foi de chorrra aquela viagem. Dai o Palmassola, que é meu amigo, na oportunidade foi avolá de vião até rondonópolis num téco téco e depóis foi no jogo e quazi morreu de medo, o avião do palmassola virava de gambota e ele me dizia no Téco Téco, essa eu sabia que ia vira, na segunda, disse tambem que sabia que ia da outra gambota, mas terceria o palmassola não se aguntou e disse que essa não sabia que a merda ia sair pelo colarinho da camisa. são históris de sacrificio que é bom a gente recordar.. como mudaram as coisas pro verdon gente do céu

  10. fernando disse:

    Thiagão, a matéria apenas reforça a boa fase do profissional e também a forma como já estão tratando de sua imagem no mercado, O assédio já será grande após o estadual.

Deixe um comentario