Arquivo para abril, 2013

O time e sua postura

terça-feira, abril 30th, 2013

Na coletiva de imprensa de hoje, o técnico da Chapecoense, Gilmar Dal Pozzo, Já deixou encaminhada a equipe para o jogo decisivo de domingo frente ao Figueirense, valendo vaga para a decisão do Campeonato Catarinense de Futebol e para a Copa do Brasil de 2014.

A expulsão de Fabinho Gaúcho no jogo de sábado em Florianópolis abre vaga imediata para Tiago Saletti (foto).

Pode aparecer na ala esquerda Neném, mas ele teria de escalar Dudu Figueiredo na meia cancha e desta forma mexeria em demasia na estrutura de time. A entrada de Tiago Saletti na vaga é mais simples e na verdade é a preferência do técnico.

O time: Nivaldo, Fabiano, Rafael Lima, André Paulino e Tiago Saletti, Wanderson e Diego Felipe, Paulinho Dias e Neném, Rodrigo Gral e Fabinho Alves.

Serão quatro zagueiros de oficio, três volantes, uma meia de ligação e dois atacantes.

A Chapecoense deve mudar, mas não muito, seu jeito de jogar em relação à atuação de Florianópolis, Vai buscar um gol na pressão de inicio de jogo. Se o gol acontecer, fecha o time e deixa o Figueirense se virar atrás do resultado, ainda mais se levando em consideração que o empate serve para a Chapecoense.

O jogo para a Chapecoense é um, para o Figueirense é outro. A marcação da Chapecoense será ainda mais impiedosa.

Foto – Junior Matiello. 

Coração forte

segunda-feira, abril 29th, 2013

Gilmar Dal Pozzo parece ter acertado um convênio com uma clínica de cardiologia, pois ele gosta de viver e de proporcionar fortes emoções.

A forma de jogar da Chapecoense causa no torcedor uma torrente de emoções. Será que precisa ser assim?

Gilmar Dal Pozzo é técnico adepto das grandes retrancas e tem preferência acentuada por zagueiros e volantes. Está jogando há bom tempo com um zagueiro clássico adaptado como ala.

Gilmar Dal Pozzo valoriza primeiro não sofrer para depois marcar. Não é técnico de goleadas. Faz parte de uma escola de profissionais que são assim mesmo. São aqueles que dizem: “Quer espetáculo? Vai ao circo!”.

Gilmar Dal Pozzo tem sua grande inspiração em Tite do Corinthians, mas têm muito de Dunga, Felipão e outros menos cotados. Boas referências!

O negócio é futebol de resultado, o tal de jogar bonito é coisa para os fracos, para os românticos!

Eu, sinceramente, vejo o futebol por outra ótica. Gosto mais dele jogado com a volúpia de um Avaí x Criciúma, mas é preciso reconhecer que a proposta de Gilmar Dal Pozzo está dando certo.

Agora a pergunta é: E aqui será a mesma coisa? Não creio que jogará tão fechado, mas não vai ser muito diferente não.

Deixa o Isordil na mão que viveremos fortes emoções no domingo!

Por falar em Isordil

Já está definido que a Chapecoense não jogará o Campeonato Brasileiro da Série B com Fabiano na ala direita. Anderson Pico foi contratado para o setor.

Fabiano voltará para a zaga, que é o seu lugar, que é a faixa de campo que sabe atuar e foi onde chamou a atenção de clubes grandes. Hoje, na ala direita, está pagando vale e levando notas como 3,5 de um grande jornal de SC, relacionada ao jogo contra o Figueirense.

Fabiano vai ficar na ala até o final do Catarinão. Isordil!

A meia cancha da Chapecoense, com a missão primeira de destruir, não tem ligado o ataque, ou seja, se transformou em elemento de defesa. O meia Athos precisa entrar no time para dar outra dinâmica no setor, para que os atacantes não morram de fome. Coitado do Neném! Em Florianópolis ele pegava a bola para ligar seus companheiros, que não apareciam para receber e estava sempre cercado por três adversários. Os outros times temem o futebol de Neném, mas Dal Pozzo está ajudando a anular seu melhor homem de meia cancha e em consequência, neste quesito, ajuda os outros, não a ele e a nós. Traz o Isordil!

A Chapecoense está jogando muito recuada. Marcar atrás da linha da bola é uma situação. Marcar atrás da linha de meio de campo é outra. O técnico Gilmar Dal Pozzo está deixando a Chapecoense formar um bloco de 10 homens, todos dentro do campo de defesa e apenas o Rodrigo Gral ou outro atacante assistindo o jogo. A Chapecoense tem a melhor defesa, méritos, mas é jogo com o adversário o tempo inteiro na cara do gol. Isordil!

Muitos dizem que quando é mais sofrida, a conquista tem um gosto melhor. Vai ter vocação para masoquista lá no Azerbaijão.

Um grande resultado

domingo, abril 28th, 2013

Figueirense 1×1 Chapecoense (primeiro da semifinal) 

Foram dois tempos de meia linha.

O Figueirense atacado e a Chapecoense se defendendo.

O mais surpreendente foi um gol da Chapecoense com 12 segundos de bola rolando, em um ataque fulminante de Fabinho Alves. Começava a ser desenhado um jogo planejado por Gilmar Dal Pozzo.

Ele, em conjunto com seu elenco, determinou que a saída de bola fosse a grande jogada. E foi. Este foi o momento mais preciso da Chapecoense no jogo. A partir daí tudo aquilo que foi planejado pelo Figueirense caiu por terra. Foi o mesmo que determinar que o jogo já tivesse seu inicio em desvantagem. Como se um primeiro jogo já tivesse sido realizado. Depois, o que se viu, foi um Figueirense tentando, com pouca objetividade, atacar e uma Chapecoense, com muita competência, se defendendo. Uma bola mal afastada pela zaga determinou o resultado de empate. Nivaldo (foto) foi brilhante em uma defesa, que pode ser tida como a bola do jogo, pois, se ela tivesse o objetivo desejado, o resultado teria sido de vitória magra, mas vitória, do Figueirense.

Nivaldo, no branquear de seus cabelos, no auge dos seus 40 anos, vive uma fase extraordinária.

Mesmo com a imensa parte de jogo em seu favor, com posse de bola excessiva, o Figueirense construiu um chamado falso domínio. Muitas bolas laterais, pouca efetividade e acima de tudo, baixa eficiência ofensiva.

Duas propostas diferentes e um resultado de empate.

Ficou de muito bom tamanho para a Chapecoense.

 

As opções de Dal Pozzo

quinta-feira, abril 25th, 2013

Positivamente o técnico da Chapecoense, Gilmar Dal Pozzo, deixa uma dúvida no ar, em relação à escalação da equipe que enfrentará o Figueirense, amanhã.

A dúvida, se é que ela realmente existe, está no ataque.

Rodrigo Gral está escalado, mas ao lado dele poderão entrar ou Fabinho Alves ou Bruno Rangel. A equipe muda de postura ofensiva com a entrada de um ou de outro.

Fabinho Alves promove maior correria no ataque. O problema está na sua efetividade, pois se movimenta muito e não produza na mesma proporção.

Já Bruno Rangel é jogador de área, mais fixo, chama mais o zagueiro para a marcação e tem mais presença física para o combate.

Minha opinião é a de que Bruno Rangel deva começar o jogo. Se houver necessidade de promover maior movimentação no ataque, que Fabinho Alves entre na sequencia do jogo.

De resto o time está definido e concentrado para quebrar um tabu de muitos anos, o de não ganhar no Orlando Scarpelli em jogos de Campeonato Catarinense.

Um pena que o azarado Soares acabou sofrendo uma lesão que o deixará afastado no mínimo 15 dias. Seria sua grande oportunidade na busca de renovação de contrato. Mesmo assim, acredito que ficará para a Série B.

Arbittragem dos jogos de ida da semifinais do Catarinão 3013

quinta-feira, abril 25th, 2013

SEMIFINAIS – JOGOS IDA – CATARINENSE CHEVROLET 

Jogo Nº 91 – Figueirense  X  Chapecoense

Data – 27/04/2013 – Sábado  – às 18:30 hs – Estádio: Orlando Scarpelli – Florianópolis

Arbitro: Célio Amorim – ESPECIAL – CBF
Assistente 1: Carlos Berkembrock – ESPECIAL – CBF
Assistente 2: Helton Nunes – CBF
4º Árbitro: Edmundo Alves do Nascimento – CBF
Avaliador: Vayran da Silva Rosa
Delegado Especial: Junior Moresco – CBF
Sorteio: Heber Roberto Lopes – FIFA

Jogo Nº 92 –  Avaí  X  Criciúma

Data – 28/04/2013 – Domingo – às 16:00 hs – Estádio: Aderbal Ramos da Silva – Florianópolis

Arbitro: Heber Roberto Lopes  - FIFA
Assistente 1: Kleber Lucio Gil – FIFA
Assistente 2: Thiago Americano Labes – CBF
4º Árbitro: Jefferson Schmidt – CBF
Avaliador: Luis Carlos Espindola
Delegado Especial Fabio Marcel Nogueira
Sorteio: Paulo Henrique de Godoy Bezerra – CBF

Anderson Pico confirmado

terça-feira, abril 23rd, 2013

O ala Anderson Pico está contratado pela Chapecoense. Deve se apresentar na quinta-feira, realizar exames médicos e depois, na segunda-feira assinar contrato.

Ele chega para ser o nome da ala direita. Reitero que é para a ala direita, na Chapecoense, Dito isso pela direção de futebol. Anderson Pico deverá receber atenção especial na preparação física e o fato de Anderson Paixão ser o responsável por este departamento pesou na sua vinda e o Grêmio deve repassar uma série de informações sobre os trabalhos que eram realizados no clube gaúcho.

O grande problema de Anderson Pico é sua capacidade de ganhar peso, de estar forma da sua melhor forma. O grande desafio é recuperar o atleta.

Ele chaga carregado de desconfiança. É o que se capta via redes sociais. Já a direção de futebol da Chapecoense acredita que a repercussão foi positiva.

A ideia era trazê-lo já para a semifinal do Campeonato Catarinense, mas o acerto demorou em acontecer, devido a um posicionamento do Grêmio. Agora, sem contrato, ele acertou com a Chapecoense.

Anderson Pico foi escolhido o Bola de Prata da Série A. Futebol ele tem, resta saber se realmente está ciente de que necessita recuperar sua carreira.

Com sua contratação para atuar na ala direita fica certo que a Chapecoense contratará um ala pela esquerda e já está prospectando o mercado.

Outro que já está contratado é o volante Glaydson, que estava no São Bernardo e já atuou por Joinville e Criciúma. Virão mais quatro.

Foto – futebolgaucho.com

Ganhou e carimbou

segunda-feira, abril 22nd, 2013

Chapecoense 1×0 Atlético de Ibirama.

O futebol ainda não é aquele que a crônica esportiva e que os torcedores desejam, mas é preciso reconhecer que a Chapecoense realizou uma campanha de liderança, chega credenciada pelos 35 pontos e se chegar à decisão, traz para Chapecó mais uma decisão.

Se o nosso campeonato fosse realizado em sistema de pontos corridos a Chapecoense seria campeã.

Agora surge um novo momento, um novo campeonato. Trazer para Chapecó os jogos decisivos pode sim fazer a diferença, mas não garante nada.

Nenhum reparo a ser realizado quanto à montagem da semifinal com Chapecoense e Figueirense fazendo um duelo e o outro entre Avaí e Criciúma. A grande decepção é o Joinville, que perdeu seu último jogo, demonstrando toda sua falta de forças.

Boa noticia para a Chapecoense é que o grupo chega inteiro, com vontade e carregando uma vitória para dar ao grupo a moral necessária para decidir.

O técnico da Chapecoense, Gilmar Dal Pozzo, terá de realizar um trabalho especifico para melhorar alguns fundamentos do time, caso da bola parada, que anda de mal a pior.

Não creio em grande mudança de produtividade e mesmo do jeito de jogar. Muito trabalho pela frente.

A palavra do técnico

Gilmar Dal Pozzo disse ao final do jogo que não via a hora de terminar o returno que, segundo ele, serviu apenas para passear e estressar o elenco. E está certo o técnico.

O regulamento do Campeonato Catarinense é um absurdo, que não possibilita ganhar turno e returno e ser campeão.

Voltou a reclamar do gramado da Arena Condá e da falta de melhor adaptação. Não está errado, mas o gramado traz dificuldades para os dois lados.

Na sua entrevista coletiva Dal Pozzo fez questão de enaltecer a forma unida como o grupo chega ao momento mais importante da competição.

Sempre faz questão de dividir virtudes e chamar a responsabilidade para seu trabalho. É do seu estilo.

Quanto à atuação do torcedor que vaiou o time ao final da primeira etapa ele disse que isso tem atrapalhado a atuação do time. Disse que ele tem o equilíbrio para assimilar, mas que alguns jogadores se ressentem disso.

De minha parte vejo a necessidade do técnico trabalhar a bola parada, que anda beirando o ridículo. Nada acontece quando a Chapecoense tem uma falta ou um escanteio para cobrar. Nada!

Fundamentos básicos estão sendo ignorados ou mal trabalhados e Dal Pozzo precisa reconhecer.

E ele terá tempo para isso? Tempo existe, resta saber se o elenco sabe que a bola parada não está produzindo nada e que o fundamento precisa ser recuperado.

Outra questão está relacionada ao posicionamento da zaga, notadamente de Fabiano, que anda ficando sozinho em duelos com alas e atacantes e tem levado a pior.

A Chapecoense tem a melhor campanha, mas não significa que tudo está certo.

 

Foto – Diego Carvalho/Aguante Comunicação. 

Mauro Ovelha não é fraco

sexta-feira, abril 19th, 2013

O técnico Mauro Ovelha (foto), mais uma vez, mostra sua qualidade como comandante de uma equipe no Campeonato Catarinense de Futebol.

Novamente leva o Atlético de Ibirama, até a última rodada, vivo e em condições de conquistar vaga a semifinal, vaga a Série D e até mesmo o returno.

A campanha desta temporada não tem o mesmo brilho de outras, mas ele novamente mostra sua qualidade ao levar uma equipe, de uma cidade com cerca de 20 mil habitantes ao patamar que outras não alcançam mesmo tendo torcida mais numerosa e mais dinheiro para investir.

Falta ainda para Mauro Ovelha ampliar seu horizonte na contratação de atletas, prospectar mais o mercado e quem sabe, qualificar ainda mais seu trabalho.

Na parte tática, de armação de time dentro de campo e de compreensão daquilo que podem fazer seus adversários ele é muito bom.

Uma pena que no Avaí tenha sido engolido pela desorganização da instituição.

Aqui em Chapecó já provou a qualidade do seu trabalho com acesso e título.

Mauro Ovelha é trabalhador e muito sério na condução da sua atividade profissional. Mesmo tendo o poder econômico de Ayres Marchetti ao seu lado, levar um time de cidade pequena sempre para a parte de cima da tabela, é trabalho para poucos e bons. Mauro Ovelha conhece.

Foto- Pesquisa internet/site Avaí. 

Um domingo e tanto

sexta-feira, abril 19th, 2013

O próximo domingo marcará a formatação da semifinal do campeonato e decidirá a vaga para a Série D, na luta entre Atlético de Ibirama e Metropolitano de Blumenau.

Tudo já está bem encaminhado, mas os resultados podem conferir as equipes, mais ou menos poder de fogo para a hora decisiva, aquela que vai determinar os participantes a Copa do Brasil de 2014, aqueles que vão decidir o titulo.

O jogo entre Chapecoense e Atlético de Ibirama carrega histórias fortes e algumas verdades a serem estabelecidas.

Ambos querem a vitória. O Atlético de Ibirama necessita dela para fazer valer a temporada ou fechar as portas para este ano. Para a Chapecoense vale como força moral para encarar a semifinal a trazer definitivamente a torcida para o seu lado e para quebrar de vez com qualquer desconfiança sobre aquilo que aconteceu em 2010.

Criciúma x Metropolitano é outro jogo quente. O Metrô pode mais uma vez nadar e morrer na praia, portanto, tenta se livrar da fama ruim que construiu ao longo das temporadas, de amarelar na hora mais importante. Missão dura, pois hoje, o Criciúma apresenta o melhor futebol em SC. Atlético de Ibirama e Metropolitano viverão um domingo daqueles. Um jogo entrelaçado com outro, com regulamento ainda dando margem para leituras diversas sobre a vaga para a Série D e todos os componentes de um campeonato competitivo como o nosso.

Se Metropolitano e Ibirama vencerem seus jogos, o primeiro vai ganhar a vaga para a Série D e o segundo ganha o returno, vai para a semifinal, mas fica sem calendário nacional na temporada. O regulamento do Campeonato Catarinense é uma obra prima em homenagem à falta de inteligência!

Quem pode surpreender? Façam suas apostas!

Atenção: Saiu a tabela detalhada da Série B 2013 até a décima rodada

quinta-feira, abril 18th, 2013

Acesse o link: http://www.cbf.com.br/Notícias/2013/04/18/Veja%20tabela%20detalhada%20de%2010%20rodadas%20da%20Série%20B%202013