Arquivo para junho, 2013

Antes do churrasco é futebol

sexta-feira, junho 28th, 2013

A Chapecoense jogará às 10 horas da manhã deste domingo o amistoso contra o sub-23 do Atlético Paranaense, na Arena Condá.

A ideia era realizar o jogo as 15:30, mas o adversário pediu que o jogo fosse realizado no horário atípico, mais conveniente aos visitantes, que devem jogar, almoçar e pegar a estrada de volta para a bonita Curitiba. Tudo certo, pois o mais importante é movimentar o elenco e dar a ele ritmo de jogo, já que na sexta-feira, às 21 horas, a Chapecoense encara o ASA em Arapiraca, Alagoas.

Acredito que as opções de time de Gilmar Dal Pozzo devem ser as mesmas a compor a relação de 18 atletas que vão para a viagem.

Quanto aos ingressos a Chapecoense informa que os sócios, como sempre, tem acesso garantido e aqueles que desejarem acompanhar o amistoso devem levar para a Arena um quilo de alimento não perecível.

A Rádio Chapecó AM 1330 transmite o jogo, abrindo trabalhos às 09:45, com narração do meu amigo Fernando Mattos e demais integrantes da equipe.

O sub-23 do Atlético Paranaense foi à equipe que defendeu as cores do time da baixada no campeonato estadual e sagrou-se campeão, ou seja, tem qualidade e valoriza o amistoso e o teste.

Que bom voltar a Arena. Folga é bom, mas quando é demais enjoa.

Pico e Paixão

Anderson Paixão, grande preparador físico da Chapecoense, profissional correto que mais uma vez mostra sua qualidade e seriedade. Quando Anderson Pico chegou, muito acima do peso, disse que se o atleta realmente quisesse voltar o resultado seria positivo.

E Pico aceitou o desafio e fez aquilo que Paixão planejou. O resultado é um importante ressurgimento para o futebol.

Quando você não está feliz no local em que trabalha, sua vida só faz atrasar. O grande remédio de Pico se chama Chapecoense, misturada com Paixão.

 

 

Grande Debate Esportivo

quarta-feira, junho 26th, 2013

Na terça-feira, recebemos no Debate Esportivo da Rádio Chapecó AM 1330 (18:10 as 19:00), a visita do técnico da Chapecoense, Gilmar Dal Pozzo. Ele está visitando todos os veículos de comunicação que cobrem o dia a dia da Chapecoense, aproveitando o período sem viagens, deixando sua mensagem e se aproximando do torcedor.

O Debate Esportivo de terça-feira foi de alto nível, com perguntas bem formuladas pelos ouvintes e com clareza de raciocínio por parte de Dal Pozzo.

Falou abertamente em relação ao assédio sobre ele e sobre alguns atletas do seu elenco. Confirmou ter recebido uma ligação de seu amigo Tite, técnico do Corinthians, que perguntou sobre Alan. Disse que seu projeto é ficar na Chapecoense no mínimo até o final do contrato.

Falou das possibilidades de vários atletas e da forma como está estabelecida a salutar concorrência por posições, pois a qualidade do elenco propicia esta realidade.

Gilmar Dal Pozzo amadureceu muito desde sua chegada a Chapecó e hoje adota uma forma de jogar com a Chapecoense que surpreende muitos adversários, com um poder de marcação muito forte e presente, mas sem abdicar do ataque, não é armar retranca, é marcação aplicada, encurtando o campo.

Dal Pozzo salientou também a grande capacidade que o time tem em roubar bolas. Tanto nos treinos, como nos jogos, o levantamento aponta está como sendo uma das principais virtudes da Chapecoense.

Todos na Chapecoense estão demonstrando muita maturidade neste momento de destaque nacional.

Ser líder, após seis rodadas, chama a atenção e volta os interesses do futebol nacional para Chapecó.

Oscilações irão acontecer, será natural na caminhada e está sendo alertado a todo o momento. Sem euforia com as vitórias, mas sem crise nas derrotas. Serão 36 jogos até o final da temporada.

Futebol e justiça

segunda-feira, junho 24th, 2013

A bola pune. No futebol não tem justiça. Justiça seja feita, venceu o melhor. A derrota foi uma injustiça. Frases feitas, largamente utilizadas no jargão do futebol.

Pois agora, em Chapecó. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), uma das mais importantes entidades brasileiras, através de sua subseção local, mobilizou-se no sentido de criar o Consulado dos Advogados Torcedores da Chapecoense. Que bela iniciativa!

Quando aqui cheguei, ouvia muito que havia na bilheteria um Oficial de Justiça para penhorar parte da renda em beneficio de um reclamante, seja trabalhista ou por contas não pagas.

Ouvi histórias também de várias ações que foram julgadas a revelia, pois pouco se importavam em defender as causas, pois sequer havia um advogado contratado.

Os tempos definitivamente mudaram. Quando falam em advogado, alguns presidentes da Chapecoense já se arrepiavam, pois sabiam que lá vinha mais uma plantação de abacaxis para descascar.

Agora, a OAB local, mostra estar cada vez mais presente na vida da cidade e monta seu consulado.

A instalação oficial do referido consulado será no próximo sábado, dia 29, na sede a OAB local, claro, com um belo almoço para comemorar. Dirigentes, integrantes da comissão técnica e atletas estarão presentes. A diretoria é composta pelo presidente Vinícius Matana Pacheco, pelo vice-presidente Gilson Roberto Thomé Vieira, pelo primeiro secretário Rodrigo Brandão, pelo segundo secretário Gilberto Batistello, pelo primeiro tesoureiro Miguel Antonio Civlikas Junior e pelo segundo tesoureiro Matheus Oro de Menezes. Assumem a Diretoria de Marketing do consulado, como diretor Jonatas Matana Pacheco e como vice-diretor Juriê Sangalli. O Conselho Fiscal é composto pelos advogados Adriana Gotardi, Jocelito Krzyaniak e Pedro Airton Soares de Camargo. Já a Comissão de Eventos é integrada por Ângela de Oliveira, Eduardo Destri Schwengberg, Genir de Almeida e Rodrigo Coser.

Parabéns pela iniciativa!

Terminou a folga

quarta-feira, junho 19th, 2013

A Chapecoense recomeça nesta quita-feira os trabalhos para a sequência da Série B. Próximo jogo é dia 5 de julho em Arapiraca, interior de Alagoas, contra o ASA.

Clima de mudanças e acertos para o grande calendário que vem por aí.

A saída de Alan, a chegada de Danilinho, o interesse do Atlético Paranaense por Rafael Lima e os acertos com o técnico Gilmar Dal Pozzo. Assunto é o que não falta.

A saída de Alan será preenchida com a estreia de Anderson Pico. Segundo dizem, ao final da parada para a Copa das Confederações, ele estará pronto.

A chegada de Danilinho não empolga o torcedor. Alguém inventou que seria uma contratação de impacto, como forma de valorizar o noticiário e criar um furo. Furou mesmo. Danilinho não empolga, mas é jogador que pode render bem aqui. O atual Figueirense não serve de base de avaliação.

Uma possível saída de Rafael Lima preocupa, pela qualidade e liderança do atleta. Seu futebol hoje é de Série A. O Interesse é do Atlético Paranaense. Ontem me ligaram da Rádio Banda B de Curitiba para trocar informações. A informação procede, mas está na fase dos contatos.

Existe ainda a possibilidade de o Internacional solicitar a volta de Augusto. Se pedir a Chapecoense terá de liberar imediatamente. Bruno Rangel também está na berlinda. É isso. O preço que se paga por ser líder e estar em alta.

Chapecó ensinando a FIFA

terça-feira, junho 18th, 2013

A concepção dos velhos estádios de futebol está dando lugar para as novas arenas. Locais de múltiplos eventos e que deixam os torcedores muito mais próximos dos gramados, dos espetáculos. Do lado de dentro tudo certo. O problema está na no lado de fora.

As novas arenas servem apenas para o futebol e para eventuais espetáculos musicais, que apesar dos enormes espaços, cobram ingressos aviltantes.

Bilhões de reais, dólares ou euros são investidos, com recursos públicos na sua maioria, para erguer gigantes de concreto armado, muitas vezes localizados em áreas conflagradas ou em cidades ou estados que pouco tem expressão no futebol. A FIFA pouco se importa, ela apenas quer um palco gigantesco para seus eventos.

O Governo do Brasil investirá R$ 33 bilhões na Copa do Mundo. A FIFA deve lucrar R$ 5 bilhões.

Em Chapecó a Arena Codá está sendo erguida com recursos públicos, de todas as origens, mas com uma concepção inovadora e sem igual no Brasil. Dentro é para o futebol e para outros eventos, espaço dos torcedores e de todos. Do lado de fora estão abrigadas secretarias municipais e outros órgãos ligados a Prefeitura de Chapecó. O que era aluguel vira casa própria.

Deveria ser assim em todas as outras arenas, mas não é.

Andei por algumas e apenas encontrei um estádio moderno, localizado longe dos torcedores, com sérios problemas de mobilidade urbana e atrelados apenas ao futebol. Chapecó ensina o mundo.

Chapecó ensinando a FIFA II

Como seria bom ver as novas arenas brasileiras abrigando escolas, centros de saúde, espaços culturais, creches e outras estruturas nos seus vãos abertos e nunca utilizados.

Em uma sacada inteligente, o ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, ergueu o Sambódromo no Rio e na parte externa utilizou os espaços para salas de aula.

Aqui em Chapecó, se planeja agora a edificação da ala Leste da Arena Condá. O maior de todos os setores. O projeto está encaminhado. A captação de recursos também. Quando ela estiver pronta, na sua parte externa, teremos um espaço fabuloso destinado ao esporte amador, as mais variadas modalidades, para a Secretaria de Esportes e para outras estruturas de governo. Não será apenas uma parede de concreto por fora e as arquibancadas lá dentro.

É assim que se faz. Respeito ao cidadão e ao nosso dinheiro. Obra sustentável é muito mais do que captar a água da chuva e devolvê-la para os vasos sanitários.

Obra sustentável é aproveitamento de espaço, é dar ao projeto ocupação total, é dar vida ao concreto.

Todo o real investido na Arena Condá se justifica pela pluralidade da obra, por sua concepção moderna, ela pode ter seus defeitos e erros, mas tudo dentro de uma proposta de inovação.

Se a Arena Condá fosse apenas um estádio de futebol, quantos terrenos mais seriam necessários para abrigar tudo o que ela abriga? Quanto tudo isso custaria mais para a Prefeitura de Chapecó?

A Arena Condá é uma obra inovadora e o projeto merece ser concluído o mais rápido possível.

Bom ou ruim

sexta-feira, junho 14th, 2013

A parada das competições nacionais para a Copa das Confederações é boa ou ruim?

A pergunta é feita a toda hora. Eu analiso da seguinte forma.

Para a Chapecoense ela será benéfica. Fechou a primeira parte da competição na liderança e com um futebol de primeira linha, mas os atletas estão estourados pela sequencia de jogos, muito mais na parte psicológica do que propriamente física.

O grupo não teve um dia de folga sequer entre o Campeonato Catarinense e a Série B. É hotel, é treino, é viagem, é jogo e pouco tempo para a família e amigos.

Uma parada será muito salutar sob este aspecto. Bom destacar que nem todos ganharam a regalia de uma semana de folga. Os que estão em alto nível ganharam a merecida folga, mas aqueles que estão ou no departamento médico ou ainda na preparação física estão todos trabalhando pesado para equiparar as condições.

O planejamento está muito bem elaborado e nas mãos de profissionais de gabarito.

O próprio técnico Gilmar Dal Pozzo disse na entrevista coletiva no jogo contra o Paysandu, que não via seu pai há três meses e que estava precisando ficar com a família.

Por todos estes motivos acredito que a parada será positiva para a Chapecoense.

A Caixa e o caixa

quarta-feira, junho 12th, 2013

O desejado e aguardado patrocínio nacional da Caixa está bem encaminhado. Após uma visita de lideranças empresariais de Chapecó a direção nacional da Caixa em Brasília, ficou claro que os acertos finais estão em andamento e que realmente o investimento deve ser confirmado.

Um acerto quanto ao posicionamento da marca também está acontecendo, já que a Aurora Alimentos está justamento no local desejado.

A Chapecoense tem direito a duas placas de publicidade dentro de campo. Uma delas já é da Aurora e a outra está reservada para a Caixa, que também deve ter a sua disposição um camarote. Deverá ser destinada a Tribuna de Honra para tal.

Uma premissa importante no fechamento do contrato é a de que a Prefeitura de Chapecó tivesse suas contas de salários vinculadas com o banco. Já estão e faz algum tempo, a exemplo da Câmara de Vereadores.

Sem falar no potencial imobiliário de Chapecó que só faz crescer com forte impacto nas atividades econômicas da carteira de habitação da Caixa.

Não se trata de jogada política. É negócio e dos grandes. Sobre valores não tive acesso. O blog já havia adiantado detalhes sobre a negociação ainda no ano passado.

 

Foto montagem – Juliano Baggio Di Sopra. 

 

 

Ligado e desligado

quarta-feira, junho 12th, 2013

A preocupação relacionada à possível perda de algum jogador da Chapecoense para outros clubes e mesmo um assédio sobre o técnico Gilmar Dal Pozzo é real e está sendo comentada pelos torcedores.

A campanha exuberante da Chapecoense eleva alguns nomes a um patamar de destaque, o que é absolutamente natural. Preço a ser pago pelo bom trabalho executado.

Na entrevista coletiva após a vitória de 3×2 da Chapecoense sobre o Paysandu, em um jogo para não ser esquecido, Gilmar Dal Pozzo disse que vai sair para a folga e a primeira providência será desligar o celular, em uma alusão clara de que até pode receber convites, mas que pretende mesmo é ficar.

Já o goleador da Série B. Bruno Rangel (foto), perguntado sobre o celular, se ele ficaria ligado ou desligado, disse que vai deixar ele ligado sim, e se receber alguma proposta, vai avaliar com seu procurador.

Se Bruno Rangel disse isso é porque já teve alguma sondagem. Tudo dentro da normalidade do mercado que já está aquecido.

Agora é uma questão de avaliação, tanto da Chapecoense quanto dos profissionais.

Vale a pena sair da Chapecoense para outro clube? Qual é o clube? Qual é a proposta? Eles pagarão em dia como paga a Chapecoense? Perguntas que buscam respostas.

Espetacular

quarta-feira, junho 12th, 2013

Chapecoense 3×2 Paysandu.

Uma noite memorável para a Chapecoense se manter na liderança da Série B do Campeonato Brasileiro em noite de gala de Alan e Bruno Rangel, este que marcou os três gols da vitória do Verdão.

O Paysandu não merece estar na parte debaixo da tabela como está agora, pois tem sim um bom time e um grande comandante que se chama Givanildo Oliveira, mas o futebol que a Chapecoense está jogando é algo extraordinário.

Time com alma e que não desiste um minuto, sempre buscando a jogada aguda e que atua de forma vertical, jogando pra cima, com qualidade e efetividade.

Este foi um jogo de nível de Série A.

A primeira perna da competição, antes da parada para a Copa das Confederações deixa a Chapecoense na liderança e com o goleador.

Foi de arrepiar ver o time levando o gol de empate a 43 da segunda etapa e mesmo assim tendo a capacidade de buscar a vitória naquela que seria a última bola do jogo. E foi.

Nem mesmo uma arbitragem atrapalhada conseguiu estragar o espetáculo.

Nem mesmo um gol de cabeça do veterano Iarley conseguiu estragar a festa da Chapecoense.

Jogo para guardar para sempre.

 

Foto – Aguante/Chapecoense. 

Solidariedade e o verde de volta

segunda-feira, junho 10th, 2013

A Chapecoense mandou nota dando conta de que a Campanha do Agasalho será estendida até o jogo de amanhã à noite contra o Paysandu.

Contêineres serão disponibilizados em vários pontos da Arena para que o torcedor possa depositar suas doações.

Faça sua parte e colabore com a Campanha do Agasalho e faça da Chapecoense uma grande arrecadadora.

E por falar em roupas, a Chapecoense tem se notabilizado em atuar nesta Série B de branco, utilizando o fardamento de número três, predominantemente branco com um verde diferente daquele original, mais puxando para o verde limão. Ficou bonito o fardamento, mas ele é o terceiro e não o primeiro.

Contra o Paysandu, seria interessante recuperar o verde total e apresentar para o Brasil o bonito fardamento número um da Chapecoense, que a notabilizou como o Verdão do Oeste.

Alegar que o terceiro está dando sorte pode servir para quem acredita em sincretismos populares, eu já prefiro acreditar em jogada de marketing para aquecer as vendas do fardamento novo, no que não existe nada de errado, mas a Chapecoense é verde e não branca.

Outra sugestão que gostaria de deixar na coluna é a organização de um espaço mais adequado para que o conhecido Rato possa expor seus produtos licenciados da Chapecoense. Sempre ele faz da tela em frente às cadeiras seu varal, para pendurar toda sua linha de produtos da Chapecoense. Já que o Rato é o cara que está tocando a “loja da Chapecoense” ele já merecia um espaço mais adequado e organizado para seguir sendo o parceiro que é. A Rato Chape Store já merece uma sede.

 

Foto – Facebook Memória Chapecoense.