Mudanças no Catarinense

A Associação de Clubes Profissionais de SC já se reuniu para deliberar sobre mudanças urgentes no Campeonato Catarinense de Futebol para as temporadas 2014/2015.

A principal delas é dar ao campeão do turno e do returno o título de campeão estadual, sem a necessidade esdrúxula de passar por semifinas e mesmo uma decisão. Ganhando os dois turnos é campeão, como manda o bom senso.

Outra mudança sugerida está relacionada à nomenclatura das divisões, hoje muito confusa, passando a se chamar Séries A, B e C, na esteira das competições nacionais.

Uma pauta que ganha força em todas as federações estaduais está relacionada à volta da venda de cerveja, com álcool, nos estádios. Se pode na Copa do Mundo, pode também nos demais certames. O jurídico da Federação Catarinense de Futebol, Dr. Rodrigo Capella, um dos mais respeitados na sua área, vê com bons olhos e acredita que a medida passe, trazendo mais torcedores para os estádios e aumentando o faturamento dos clubes.

Na Copa das Confederações venderam cerveja nos estádios e não deu confusão.

Já está acertado que a Série A do Campeonato Catarinense terá 10 equipes. Sugeriram 12, mas é inviável, seja por datas ou mesmo pela qualidade dos elencos que em nada somarão. Pensaram até em realizar com 11 times, mas também foi rechaçado. Serão 10 e ponto final.

Resta agora aguardar para que a CBF defina o calendário de 2014, ano de Copa do Mundo, para que se tenha a possibilidade de encaixar datas e desta forma montar a nova copetição.

As ideias são muito boas e o Campeonato Catarinense vai ficar melhor e ainda mais competitivo.

Outras ideias para o nosso futebol

Uma sugestão que vem do Avaí abre a possibilidade de realização de uma Copa SC bem diferente. A ideia é montar um calendário de junho até novembro, abrangendo as 30 equipes de todas as três séries, utilizando apenas três atletas com mais de 23 anos em cada equipe, regionalizando a primeira fase e fazendo com que o calendário estadual tenha jogos durante toda a temporada. A competição daria uma vaga para a Copa do Brasil.

Seriam captados recursos federais, junto ao Ministério dos Esportes, com base na amplitude social da Copa SC, que daria muitos empregos ao longo de toda a temporada.

Um levantamento existente cita a soma de R$ 4 milhões para sua realização, desonerando as equipes de uma série de taxas e outros custos. Interessante.

Outra sugestão é a contratação de uma empresa de marketing esportivo para a valorização das competições estaduais e desta forma, através da Associação de Clubes, promover a venda da marca das competições, tornando os eventos aos menos autossustentáveis.

Está havendo uma movimentação muito positiva, aliás, nunca antes vista, no sentido de profissionalizar nosso futebol também na sua gestão coletiva. É por aí.

Foto – Site Associação de Clubes Profissionais de SC. 

2 comentarios para “Mudanças no Catarinense”

  1. VOLPATTO disse:

    Boas novas.
    Aguardemos ver o que se concretiza.

    E SÁBADO VAMOS LOTAR A ARENAAAA!
    PRA CIMA DELES, ÍNDIOOO GUERREIRO NÃO SE ENTREGA SEM LUTAR!!!

  2. Walter Naves disse:

    Parabéns pelo artigo!
    Manter as coisas simples é um passo para o sucesso. Para o futebol se profissionalizar é necessário bom senso.

Deixe um comentario