Arquivo para agosto, 2013

Qualidade x quantidade

sexta-feira, agosto 30th, 2013

A Chapecoense não possui um elenco muito numeroso, como possuem grande parte das equipes do cenário das séries A e B, mas a qualidade está presente. É neste quesito que a Chapecoense está fazendo a diferença.

Para este jogo contra o Icasa as necessidades de trocas serão bastante severas e a qualidade do elenco se apresenta.

No gol Nivaldo está fora e entra Rodolpho. Nivaldo é um símbolo, mas Rodolpho tem muita qualidade.

A dupla de ataque está fora devido às lesões. Para o lugar de Fabinho Alves deveremos ter a entrada de Soares, que sinceramente, tem muito mais qualidade. Para o lugar de Bruno Rangel a sequencia de Caion. Nesta mudança perdemos muito, mas é o possível para o momento.

O mais importante em todo o processo é que o conjunto seguirá respondendo positivamente.

O jeito de jogar seguirá o mesmo, o que pode mudar é a velocidade das jogadas e a forma de transição.

O espírito de grupo está muito reforçado pela permanência de Gilmar Dal Pozzo no comando, após a oferta poderosa do Criciúma.

Hoje a Chapecoense tem na sua reserva atletas de qualidade e Dal Pozzo tem possibilidade de escolher com muita versatilidade.

Jogo fácil não existe, mas a Chapecoense tem boas ferramentas para enfrentar as dificuldades de uma competição nacional.

Dal Pozzo diz não ao Tigre e fica na Chapecoense

quinta-feira, agosto 29th, 2013

Gilmar Dal Pozzo (foto) disse não para o Criciúma.

Sondado para ser o novo treinador do representante catarinense na Série A e com uma oferta quatro vezes maior do que recebe na Chapecoense, com multa contratual alta e com contrato até o final de 2014, mesmo assim, disse não e fica na Chapecoense.

Demonstra inteligência e comprometimento com o projeto aqui desenvolvido.

Gilmar Dal Pozzo não tem pressa para chegar à primeira divisão. Ele sabe que vai chegar lá e que logo na frente vai comandar um time de elite e não quer embarcar no primeiro projeto. Está construindo uma carreira sólida.

É difícil encontrar no futebol atual um comportamento deste calibre.

Uma troca de comando, a esta altura da temporada, seria muito ruim para a Chapecoense. Gilmar Dal Pozzo da uma demonstração de profissionalismo rara nos dias de hoje e nos mostra que realmente está feliz aqui, profissionalmente e com a perfeita adaptação da sua família.

A fase é tão boa na Chapecoense que até técnico recusa convite que elevaria seu salário em quatro vezes.

Não é a primeira vez que Dal Pozzo recebe um convite. Negou todos, organizou sai situação profissional com a Chapecoense e segue seu trabalho que vai levar ele e a Chapecoense a consagração. Parabéns pela atitude, Gilmar.

 

Foto – Aguante Comunicação/Chapecoense. 

Na cola do líder

quarta-feira, agosto 28th, 2013

América-RN 0×1 Chapecoense

 

O gramado do estádio Barretão em Ceará-Mirim ajudou em muito para que o jogo tivesse uma qualidade técnica limitada. Todos reclamaram.

A bola parada se apresentava como uma alternativa possível e foi justamente em uma cobrança de falta que a Chapecoense fez o gol com André Paulino.

A pressão é enorme para cima do América que segue na zona de rebaixamento.

Já a Chapecoense fica na cola do Palmeiras o que valoriza ainda mais a campanha.

Uma declaração de um comentarista de Natal teve forte impacto no vestiário da Chapecoense. O colega disse que a Chapecoense era uma cavalo paraguaio, que perderia o jogo e que não subirá para a Série A porque não tem estrutura. Sabiamente a comissão técnica soube potencializar o acontecimento o que só fez a Chapecoense ampliar ainda mais suas forças.

Não posso cobrar da Chapecoense uma atuação técnica melhor, pois o gramado é realmente muito ruim o que dificultou muito o passe.

Valeu e muito pelo resultado e por fazer voltar aquela confiança forte no time que parecia meio abalada em alguns torcedores. Agora é lotar a Arena para o jogo contra o Icasa. Dois jogos fora e três pontos. Muito bom.

Terça-feira é contra o América de Natal

domingo, agosto 25th, 2013

Direto de Natal-RN

 

Jogo com todas as possibilidades de vitória para a Chapecoense. O histórico das duas equipes na competição mostra isso.

Cada jogo é uma história e tenho certeza que o grupo da Chapecoense está mordido e quer sim dar uma resposta positiva neste jogo.

Duas baixas. Athos expulso e Bruno Rangel lesionado.

Danilinho deve ocupar a vaga de Athos e Soares deve começar como titular no ataque. Previsões apenas. Wanderson volta, fato a ser comemorado.

Tenho a certeza que a Chapecoense terá outra postura frente ao América-RN. A reação do elenco ao final da primeira etapa em Bragança Paulista foi emblemática, pois a tradicional reunião antes da volta para o vestiário não aconteceu. Reflexo de uma indignação.

É preciso ter calma, antes e tudo. Quando a Chapecoense chegou a Série B todos nós enaltecemos que a meta era a manutenção e não o acesso. Como a possibilidade de uma Série A é viável, cobranças pesadas começam a acontecer e isso não é nada bom.

É injusto cobrar deste grupo mais do que ele está dando.

É injusto criticar o coletivo. O momento é de reconhecimento e apoio. Torcedor de verdade aplaude.

 

Sobre Bragança Paulista

domingo, agosto 25th, 2013

Direto de Natal-RN

Bragantino 1×0 Chapecoense

Não foi uma boa apresentação da Chapecoense.

Rotular como a pior apresentação da Chapecoense na Série B não fica fora de contexto, mas o que não pode acontecer é querer fazer terra arrasada como alguns estão fazendo.

A Chapecoense não é um super-time, não é imbatível. A Série B é uma competição longa e desgastante e outras derrotas acontecerão e precisam ser analisadas e digeridas com sabedoria.

Alguns torcedores estão exagerando nas cobranças e com isso acabam sendo injustos, pois a campanha até aqui é espetacular.

Problemas todos os times tem e não será a Chapecoense a perfeição total.

É preciso reconhecer tudo aquilo de bom e bem feito que foi realizado. Começar a pedir a cabeça deste ou daquele é uma injustiça sem tamanho.

A Chapecoense está debutando na Série B e mesmo assim é a grande surpresa positiva da competição.

Desde a primeira rodada está no G4 e o turno já está quase no final. Se ganhar o jogo contra o América-RN já terá a certeza de que não sai da ponta de tabela até o começo do returno. E mesmo assim existe espaço para cobranças e reclamações. Leio, analiso e respeito todas as opiniões, mas, por favor, vamos ser justos, reconhecendo tudo o que foi feito até aqui.

 

Reflexos

quinta-feira, agosto 22nd, 2013

Você e eu somos produtos do meio. Somos um reflexo do lugar em que vivemos e com as pessoas que fazem parte de nossas vidas, nossas convivências.

Os marginas se formam muito devido ao lugar em que moram e pelas pessoas que fazem parte do seu dia. Poucos escapam da realidade do cotidiano.

Se você vive ao lado de pessoas de boa índole e de boas iniciativas, sua chance de vencer é muito maior.

A Chapecoense é produto do meio. Chapecó é uma cidade em plena expansão. Todos os segmentos estão em movimento, notadamente a saúde, habitação, educação e o esporte com a Chapecoense.

Se a cidade está combalida por falta de uma economia engajada e forte, o esporte profissional não tem a menor chance de vingar.

Chapecó e a Chapecoense hoje caminham lado a lado, rompendo fronteiras, ampliando horizontes e sendo cada vez mais respeitadas por seus feitos e realizações.

Quando Chapecó completa 96 anos, estamos mostrando para o Brasil nossas virtudes. Eu escolhi a cidade certa para viver. Obrigado Chapecó e Chapecoense.

 

A sensação do Brasil

quarta-feira, agosto 21st, 2013

A Chapecoense é a grande novidade do futebol brasileiro.

A crônica esportiva do Brasil deixou de tratar a Chapecoense como sendo “fogo de palha” e já admite que a possibilidade de acesso para a Série A é real e para alguns, irreversível.

O que mais intriga quem acompanha de longe é o fato da Chapecoense ter uma folha de pagamento baixa para os padrões do nosso futebol, sem nomes de grande impacto e mesmo assim realiza uma campanha que rivaliza com o Palmeiras, que tem um poder de investimento espetacular.

Os cronistas de qualidade se debruçaram sobre a história desta surpreendente Chapecoense e encontraram respostas e passam suas impressões para o Brasil.

Já alguns cronistas inventados e mais preocupados apenas com o show, seguem com seus comentários mal intencionados, mas é importante dizer que eles são minoria.

O grande segredo da Chapecoense está na forma de gerir e contratar. Para um atleta ser contratado é feito um estudo do histórico do jogador, em relação ao seu comportamento e de como ele se comporta em grupo.

Os empresários dos atletas encontram limites severos para negociar. O teto salarial é respeitado e por isso o grupo não se ressente de que este ou aquele ganhe mais, em detrimento dos demais.

O ambiente é bom, existe uma sintonia interna que faz a diferença, e na gerencia dos recursos tudo é feito as claras.

A Chapecoense serve hoje de exemplo para muitos clubes, até mesmo da Série A.

 

Ilustração: goldachape.com.br

Valeu e muito pelo grande resultado

quarta-feira, agosto 21st, 2013

Chapecoense 2×0 América-MG

Não foi um jogo de grande qualidade técnica, mas o resultado foi espetacular, pois abriu uma distância de 10 pontos para a quinta colocação e se firma no G4. Com um jogo a menos.

Tecnicamente o jogo ficou devendo, mas na Série B é assim mesmo. Muita pegada, marcação pesada e arbitragens de péssima qualidade.

Todos os time precisam passar por cima de tudo isso e muito mais.

No jogo de ontem, novamente, o meio de campo não teve a produção desejada e com isso o adversário esteve muito presente no campo da Chapecoense.

O momento é de alguns ajustes, tudo absolutamente no contexto de um campeonato tão competitivo.

O resultado foi construído com o talento de dois jogadores que apareceram pouco para o jogo.

Primeiro foi Athos que esteve bastante discreto, mas que teve uma bola e foi decisivo nela.

O outro foi Bruno Rangel. Muito marcado e recebendo poucas bolas, quando recebeu uma foi decisivo como sempre.

Chegamos a um ponto da competição que não precisamos mais pensar em possibilidade de rebaixamento.

Temos todo o direito em começar a projetar um acesso a Série A. Os números dizem isso.

As diferenças entre o começo e o fim

domingo, agosto 18th, 2013

A Chapecoense tem demonstrado dificuldades nas primeiras etapas dos jogos, mas tem encontrado soluções importantes nas segundas etapas, quando, ou ganha ou empata jogos.

A pergunta inevitável: Se a segunda etapa é melhor não seria este o time a começar os jogos?

A resposta não é tão fácil assim. O jogo contra o Paraná Clube foi decido muito mais no talento individual. O coletivo não esteve bem.

O certo é que mudanças são necessárias. O zagueiro Dão deve esperar no banco. A dupla de zaga é Rafael Lima e André Paulino. Fabinho Gaúcho começa a fazer sombra forte para Anderson Pico que está muito abaixo do que pode fazer. O meio Athos, ganha forte concorrência com a aproximação de Neném na sua recuperação. E Fabinho Alves é outro a analisar que as entradas e atuações de Soares têm sido muito mais eficientes, com tempo muito menor de atuação, do que seu “concorrente”, usando um termo que não creio ser o mais adequado.

Coragem Dal Pozzo!

Foi ruim, mas foi bom

domingo, agosto 18th, 2013

Chapecoense 2×2 Paraná Clube

Como previsto, como todos esperavam, foi um jogo muito complicado. A começar pela qualidade do adversário. O Paraná Clube chegou a Chapecó e jogou com salários atrasados e com presidente em licença médica, ou seja, jogou como um time de profissionais de verdade e que realizaram um trabalho acima da média, apesar do planejamento falho daqueles que comandam.

O 1×0 para o Paraná se fez logo cedo, quando a Chapecoense era infinitamente melhor. O 2×0 veio como um castigo pela falta de aplicação ofensiva e objetividade, acima de tudo, por parte dos donos da casa..

Até este ponto do jogo, cerca de 38 minutos da segunda etapa, a Chapecoense era burocrática e tinha enormes dificuldades em sair jogando, atuando apenas pelas laterais e sem nenhuma conexão de meio de campo. Muitas ligações diretas, que jamais resultam em algo proveitoso.

Três entradas foram determinantes para o empate. Soares. Fabinho Gaúcho e Danilinho promoveram uma mudança de rumo. Fabinho incendiou o jogo pela ala esquerda. Danilinho deu passes primorosos. Soares matou o jogo mais uma vez com um entendimento muito acima da média com Bruno Rangel.

A vitória não veio, mas o empate foi muito importante no contexto do campeonato pela da forma como ele foi construído, mantém a Arena com um local que carrega uma força importante.

A Chapecoense não jogou o esperado. Foi ruim, mas foi bom…

 

Foto-Aguante Comunicação/Chapecoense.