Mobilização de decisão

A Chapecoense não está olhando quem está do outro lado de campo. O olhar é único, respeitoso e de competição. Pouco importa se o adversário é habitante da zona de rebaixamento ou se reside no G4 ou mesmo se está na luta para subir e ingressar na zona nobre. A Chapecoense se mobilizou para vencer e para o mais rápido possível alcançar o número de pontos necessários pra garantir a vaga a Série A de 2014.

Sempre no esquema que está funcionando, o do jogo a jogo.

Nesta terça-feira, contra o ASA de Arapiraca, foi determinado que o começo do returno fosse neste jogo. Nos demais foi passada uma borracha. Interessante.

Taticamente existe uma cobrança pela aplicação na marcação que sempre foi o grande diferencial.

Cobra-se também uma efetividade de meio de campo, na criação, com eficiência pelas alas, capaz de abastecer o ataque que normalmente precisa de uma bola redonda para definir.

A Chapecoense volta a se moldar mais preocupada consigo, com suas alternativas positivas, do que propriamente com o adversário. Não existe na Série B uma equipe que tenha a capacidade de surpreender, ou seja, é montar um bom esquema de jogo, que fatalmente as vantagens do adversário serão neutralizadas, naturalmente. Imposição intimida e cria espaços para boas jogas.

É bem verdade que todos os adversários têm lá suas qualidades, mas o momento é da Chapecoense, é momento de recomposição, muito mais importante do que qualquer adversário. É decisão.

Deixe um comentario