Arquivo para setembro, 2013

Quando se perde na véspera

domingo, setembro 15th, 2013

Rodrigo, camisa 10 do Figueirense, que jogará nesta terça-feira em Chapecó, em busca de recuperação após a derrota frente ao Sport na Ilha do Retiro, cunhou a seguinte frase.

“Infelizmente não conseguimos o resultado bom, tem dois dias para descansar e já na terça pegar o vice-líder, o time deles está entrosado, mas não tem nada que nos assuste. Particularmente, acho nosso time superior, mas estamos em uma fase não muito boa, mas a hora da virada são essas, nesses jogos difíceis. Não quero mais tocar no assunto de Sport, pensar daqui pra frente, dar uma arrancada, que tenho certeza que temos condições de chegar no G-4 até o final do campeonato.”

Falou besteira e vai ganhar atenção especial devido a isso.

Como pode ser melhor o Figueirense se aparece apenas na 10ª posição? Como pode ser melhor o Figueirense, quando tem apenas 29 pontos em 22 jogos contra 46 da Chapecoense? Como pode ser melhor o Figueirense se o saldo de gols deles é de um contra 23 da Chapecoense?

Como pode ser o melhor o Figueirense, senhor Rodrigo?

O aproveitamento da Chapecoense é de 69,7% contra 43,9% do Figueirense.

Impressionante a capacidade de se autoelogiar do Figueirense. A falta de humildade impressiona. Pelas bandas do Scarpelli eles precisam reconhecer que o time é limitado, que faz uma campanha ruim e que a Chapecoense é melhor sim, aliás, muito melhor. A Chapecoense reconhece as dificuldades do jogo, jamais se achou melhor do que seus concorrentes. Esta frase de Rodrigo será levada para o vestiário e a resposta vem na noite desta terça-feira.

Sexta-feira 13 de azar e competência

sábado, setembro 14th, 2013

Chapecoense 6×2 São Caetano

Foi um chocolate da Chapecoense pra cima do Azulão. Já no primeiro tempo a vitória era de 4×1 com direito a um baile.

Com naturalidade de atuação na segunda etapa e com certo relaxamento o ritmo diminuiu. O São Caetano fez mais um gol e foi só.

Vieram mais dois gols e a consolidação de um resultado que mostra ao que veio a Chapecoense. É rumo a Série A e não adianta. O Brasil está encantado com o futebol do Verdão.

O mais importante de tudo isso foi o poder de reação da Chapecoense de um jogo para outro, pois não jogou nada contra o Oeste, reconheceu e deu a volta por cima com qualidade e jogando muito futebol.

O time foi vibrante e atropelou o adversário sem dó nem piedade, do jeito que o torcedor gosta. A empolgação é inevitável. É o tipo da vitória que estabelece uma união entre elenco e torcedores muito forte.

O time inteiro foi bem. Elogio de maneira individual à recuperação do futebol de Fabiano que voltou a se apresentar de forma efetiva. Merece o reconhecimento.

E dois nomes que fizeram a diferença. Thiago Luiz e Athos, foram simplesmente encantadores.

É isso. A Chapecoense jogou com vibração, talento, efetividade, com uma pitada de raiva e muito, mas muito mesmo de alegria. Ganhou e deu um banho de bola.

Fernando Carvalho ministra palestras para a diretoria da Chapecoense

quinta-feira, setembro 12th, 2013

A RMM Assessoria Esportiva & Planejamento de Carreiras organizou seminário de gestão técnica e esportiva, com exclusividade para a diretoria da Associação Chapecoense de Futebol, nesta quarta (11) e quinta-feira (12). Visando fortalecer os laços com a equipe catarinense, o empresário Rogério Titi trouxe ao município, o maior vencedor da história recente do futebol nacional. O ex-presidente do Sport Club Internacional, Fernando Carvalho, explanou para os representantes alviverdes acerca de sua trajetória de sucesso.

“Nosso intuito foi exclusivamente apoiar o momento atual da Chapecoense, com o objetivo de dar continuidade no projeto que pode colocar de forma inédita o clube na Série A. A RMM enxergou esta possibilidade de montar uma série de palestras e exposições, trazendo todos os conhecimentos vitoriosos do Fernando Carvalho para demonstrar que é possível pôr em prática aqui em Chapecó. Foram dois dias muito proveitosos e com a garantia da diretoria de ter aprovado este contato com o ex-presidente do Inter”, destacou Titi.

Dentro de campo, o Verdão do Oeste, como é conhecido pelos aficionados, ocupa a vice-liderança do Campeonato Brasileiro da Série B, com 43 pontos, sendo a única equipe até agora a figurar em todas as rodadas dentro do G4 da competição.

“É uma soma de fatores que colocam o clube na condição de subir para a elite. E por isso vimos neste encontro entre o Fernando Carvalho e membros representativos da Chapecoense uma oportunidade ainda maior para auxiliar no planejamento gestacional do clube”, finalizou o empresário. 

 

Texto e foto – Aguante Comunicação – Jornalista Fernando Martinez. 

Gre-Nal em Chapecó

quarta-feira, setembro 11th, 2013

Existe a possibilidade de realização de um clássico Gre-Nal em Chapecó, no mês de outubro, com mando de campo do Inter, que está com seu estádio em reforma.

O Inter alugaria a Arena Condá e realizaria o jogo, assim como tem feito em Novo Hamburgo.

Outros custos estão sendo analisados em conjunto com o diretor regional do Inter, Roberto Denardin.

Em um sábado a Chapecoense joga aqui contra o Sport e já no domingo a Arena receberia o clássico.

O Inter leva em consideração os mais de 3.500 sócios que estão espalhados pela região, sendo uma iniciativa de agradecimento deste empenho.

A revelação do projeto, ainda na pré-jornada da Rádio Chapecó AM 1330 na tarde de terça-feira, repercutiu fortemente. Duas trincheiras estão estabelecidas.

Os contrários, formados por jovens torcedores que tem apenas a Chapecoense como time do coração e os mais velhos, que carregam a paixão pela Chapecoense, mas também tem suas influências de infância e sua preferência, seja por Inter ou pelo Grêmio.

Eu sou favorável à realização do jogo aqui. Deixando de lado minha influência colorada, deixando de lado qualquer outro sentimento, penso apenas na grande visibilidade que Chapecó ganhará com a realização de um Gre-Nal aqui.

Haverá uma verdadeira invasão de torcedores. Os hotéis estarão lotados, restaurantes, bares, forte presença de imprensa do Sul do Brasil e tudo isso carregando o nome de Chapecó. Não encontro motivos para dizer não ao Gre-Nal em Chapecó. Sempre respeitando as opiniões contrárias.

Dor de barriga

segunda-feira, setembro 9th, 2013

Até isso acontece. O Oeste de Itápolis foi vitimado por uma intoxicação alimentar após o jogo contra o Avaí em Florianópolis e houve a necessidade de empurrar o jogo para esta terça-feira, aqui no interior paulista, local que escrevo esta coluna.

Para as emissoras de rádio foi um bom negócio, pois escapam do horário de Voz do Brasil, conseguindo desta forma transmitir o jogo na sua íntegra.

O Oeste estará debilitado, mesmo com a prorrogação da data e será mais um elemento complicador para eles que querem se afastar da zona de rebaixamento.

Não é um jogo de seis pontos para a Chapecoense, mas ele ganha em importância quando se olha a tabela de jogos dos adversários diretos, pois as chances de vitória para os mais bem colocados são grandes.

Para a Chapecoense é seguir fazendo seu papel e pensando jogo a jogo, como sempre foi pregado.

A responsabilidade maior é do Oeste. Para a Chapecoense uma vitória representa acumular ainda mais gordura para os dois jogos na sequencia em casa.

Depois de Itápolis a Chapecoense recebe São Caetano e Figueirense. Criar ainda mais conforto no G4 pode fazer muita diferença logo ali na frente.

Comparar Oeste e Chapecoense é impossível neste momento. E não é somente um momento melhor. O resumo é que a Chapecoense tem mais time. Não quer dizer que já ganhou o jogo, mas as possibilidades são muito grandes.

Um chato que te ronda

domingo, setembro 8th, 2013

Os limites foram ultrapassados no relacionamento entre técnico e quarto árbitro, no jogo Chapecoense 1×0 Boa Esporte.

Aos 44 minutos da segunda etapa o técnico da Chapecoense, Gilmar Dal Pozzo, segundo está relatado em súmula, desferiu uma cabeçada em Ronan Marques da Rosa, o quarto árbitro.

O que acontece é o seguinte. Em todos os jogos eu vejo o quarto árbitro atuando insistentemente na área técnica da Chapecoense e quase nada fazendo no outro lado.

Gilmar Dal Pozzo é pressionado o tempo inteiro. E quanto um específico está na função de quarto árbitro, aí sim fica ainda mais complicado.

No jogo contra o Boa Esporte a paciência de Dal Pozzo esgotou e ele desferiu uma cabeçada. Errou, não resta dúvida, mas é preciso compreender o que aconteceu, pelo acúmulo de chatice sobre o técnico da Chapecoense e quase nada sobre os demais.

Aqui na Arena Condá parece que imperam regras que não valem nos demais estádios. Aqui cobram tudo e mais um pouco, mas em outras praças não é bem assim.

Gilmar Dal Pozzo deu uma cabeçada na chatice desses árbitros auxiliares, que andam passando da conta.

Gilmar errou, mas deu o recado.

Para começar a semana

domingo, setembro 8th, 2013

Na noite desta segunda-feira a Chapecoense encara o Oeste em Itápolis, no interior de SP. O Estádio Municipal dos Amaros será mais uma vez palco deste encontro. Oeste e Chapecoense subiram juntos no ano passado.

O Oeste aparece na 14ª colocação com modestos 23 pontos e um aproveitamento de 38,3%. O Oeste está com folga de apenas três pontos da zona do rebaixamento. É um jogo em que eles têm total obrigação de vencer.

A campanha da Chapecoense é de quase o dobro de produção. Somando a campanha do Oeste e mais a do Atlético-GO, aí sim teremos uma Chapecoense. Impressionante!

Mesmo assim não será joga fácil. O Oeste complicou a vida do Avaí, empatando na Ressacada.

Por ser jogo que pode determinar uma entrada na zona de rebaixamento ou uma aproximação ainda mais acentuada, acredito que eles vêm para jogar uma decisão.

A Chapecoense precisa jogar com sabedoria e em cima dos erros do adversário. A responsabilidade está toda nas mãos do Oeste. O Oeste não é adversário direto da Chapecoense, portanto, deve deixar o jogo fluir com naturalidade.

Mas existe um detalhe. Os adversários diretos da Chapecoense terão jogos em que podem vencer e desta forma diminuir distâncias. Sob esta ótica e sem a pretensão de prever resultados, é importante ficar de olho na movimentação da tabela. Mas reitero, a responsabilidade é toda do Oeste.

Abrindo cancha para a Série A

sábado, setembro 7th, 2013

Chapecoense 1×0 Boa Esporte

Mais um jogo com toda a eletricidade de uma Série B muito competitiva. Este resultado pode ser considerado como goleada.

O Boa Esporte, como vínhamos alertando desde o inicio da semana, mostrou qualidade e complicou o jogo e muito. Na primeira etapa eles foram melhores.

Já na segunda etapa a Chapecoense foi melhor. A entrada de Neném deu verticalidade ao time e já aos seis minutos em um grande cruzamento de Soares o goleador Bruno Rangel mergulhou para marcar seu gol de número 19.

Mais uma vez a Chapecoense foi mal na primeira etapa e na segunda fase do jogo se apresentou bem melhor.

Notadamente o vestiário no intervalo funciona e muito bem.

E este não será o último jogo difícil da Série B. A grande maioria será de muitas complicações. Gilmar Dal Pozzo faz muita questão de frisar isso para justamente deixar claro que facilidades não existem e que o torcedor precisa estar junto com o time.

O ponto alto do jogo, depois do gol, foi quando Gilmar Dal Pozzo chamou o torcedor para dentro de campo e se vestiu de maestro e o torcedor foi com ele, respondeu de forma espetacular e assim a Chapecoense ganhou ainda  mais força e venceu.

Depois do jogo Gilmar Dal Pozzo deflagrou a campanha Rumo a Série A! Com 18 rodadas de antecedência a Chapecoense cravou a primeira meta. Agora é subir para a elite.

Uma bola ainda fez travar a respiração no último minuto, com direito a bola no travessão e batendo na risca.

Ufa! Deu Chapecoense.

Uma Boa decisão

quinta-feira, setembro 5th, 2013

O jogo desta sexta–feira é contra o competente Boa Esporte de Varginha-MG é sim uma decisão.

A Chapecoense trata este jogo como aquele que garante a manutenção da Chapecoense na Série B, para depois sim deflagrar a segunda parte do projeto que é o acesso para a Série A.

A diretoria está levando o planejamento na ponta do lápis, sem acelerar processos e sem criar expectativas, mas a Série A está sim sendo planejada, mas primeiro é preciso vencer o Boa Esporte.

A impressão que tenho é de um jogo muito difícil, que precisará de muito empenho por parte da Chapecoense e muito cuidado na sua articulação de ataque, pois a bola roubada do Boa criará situações de muito perigo.

O Boa tem Marcelinho Paraíba, jogador experiente e de muita qualidade, que sabe colocar a bola no ponto certo como poucos. Será uma atração no jogo.

Os setoristas acreditam na seguinte escalação: Rodolpho, Fabiano, Rafael Lima e André Paulino, Fabinho Gaúcho,
Gleydson, Paulinho Dias e Diego Felipe, Athos,
Bruno Rangel ( ou outro nome) e Tiago Luis. Confirmada esta escalação, a Chapecoense terá um ótimo time em campo.

Espero ver a Chapecoense tocando menos a bola no setor de defesa e tornando o jogo mais dinâmico, assim como fez em São Paulo contra o Palmeiras. Marcando forte, mas buscando o gol. E assim será.

Que baita jogo

quarta-feira, setembro 4th, 2013

Palmeiras 0×0 Chapecoense

Só faltaram os gols. O jogo foi de tamanha intensidade que um 3×3 ou um 4×4 não seria um exagero.

O jogo não parou um minuto sequer. De lado a lado as oportunidades foram construídas com qualidade e com uma frequência espetaculares.

O placar de 0×0 é mentiroso, pois o jogo merecia gols para torná-lo do tamanho que ele merecia.

Alguns carregavam o medo da Chapecoense ser massacrada no Pacaembu. Eu sinceramente não tinha nenhum receio. Mesmo com desfalques importantes a Chapecoense soube se posicionar e acima de tudo teve personalidade e soube jogar como time grande, sem medo de encarar um estádio histórico e um time com uma história espetacular e centenária.

A Chapecoense voltou a ser solidária e os atletas voltaram a jogar um pelo outro. Isso foi destacado por Neném após o jogo, na oração.

O choque que a Chapecoense levou contra o Icasa surtiu efeito positivo e a solidariedade foi valorizada.

Uma campanha com apenas três derrotas em 19 jogos merece ser comemorada e reconhecida.

Agora vem pela frente o returno e com ele 10 jogos em casa.

Nesta toada a Chapecoense vai sim subir para a Série A.

Contra o Boa Esporte, na sexta-feira, é uma nova decisão.