Arquivo para outubro, 2013

Ganhou ainda mais importância

quarta-feira, outubro 16th, 2013

Após o empate da Chapecoense em 1×1 contra o Ceará em casa, o jogo deste sábado contra o Sport ganhou ainda mais importância, nesta caminhada rumo a Série A.

Importante destacar que a Chapecoense não precisará mudar seu jeito de jogar. Atuando como atuou contra o Ceará, com força ofensiva, tenho certeza que a bola vai entrar e não precisaremos sofrer como sofremos frente ao Ceará, com as defesas espetaculares de Fernando Henrique.

Da série de três jogos em casa a Chapecoense enfrentou o mais qualificado justamente na largada.

O Ceará tem um elenco muito qualificado e uma frieza para jogar que impressiona.

A campanha do time de Fortaleza, no returno, é de acesso, os números mostram. É uma das poucas equipes que a Chapecoense não conseguiu ganhar na temporada.

O Sport sempre monta equipes guerreiras e de futebol de velocidade. É uma característica da escola nordestina.

Lembrando que o Sport está na 3ª colocação e uma vitória dos visitantes os aproximam de forma perigosa na tabela. Nova final de Copa do Mundo.

O Ceará somente não está melhor na tabela pelo fato de ter começado a competição de forma muito irregular e ter encontrado seu melhor futebol apenas mais para o final do turno.

O Sport tem um ótimo técnico, Geninho (foto). Para o jogo daqui o comandante terá desfalques e retornos. Além de Tobi e Pereira, que ainda estão entregues ao departamento médico, o técnico Geninho poderá ter mais dois desfalques para o duelo contra a Chapecoense, no próximo sábado. Isso porque o atacante Felipe Azevedo recebeu o terceiro cartão amarelo na derrota para o América-MG, e o meio-campo Ailton teve que ser substituído, por conta de uma lesão na coxa esquerda.

Mais um grande jogo na Arena!

Merecia ter vencido

terça-feira, outubro 15th, 2013

Chapecoense 1×1 Ceará

 

No jogo da noite de terça-feira o time que mereceu vencer foi a Chapecoense, mas a vitória não veio por uma série de fatores, sendo o principal deles uma atuação brilhante do goleiro Fernando Henrique do Ceará que esteve em noite de goleiro de Série A, por onde andou por muito tempo.

A Chapecoense martelou o Ceará o tempo inteiro, mas na hora do acabamento das jogadas as coisas não aconteceram da forma planejada.

Em uma bola sem muita pretensão o Ceará abriu o marcador com Diogo Orlando que meteu entre a trave e o goleiro Nivaldo e fez um gol de castigo.

A busca do empate veio a fórceps, aos 47 da etapa final, com Potita marcando seu primeiro pela Chapecoense.

Teve de tudo. Bola na trave, defesas espetaculares, bola tirada de cima da linha e pressão o tempo inteiro, mas a bola teimou em não entrar.

Como resultado na tabela não foi de todo ruim, mas olhando o jogo não posso ficar satisfeito, pois o volume de jogo foi muito maior da Chapecoense.

Desde o inicio tinha a opinião que na sequencia destes três jogos em casa este encontro com o Ceará seria o pior dos três. Sigo com a mesma opinião. E vou além, o Ceará vai subir, pois merece pelo futebol que está apresentando.

Agora é esperar o Sport em grande jogo no próximo sábado.

Trabalho pesado

segunda-feira, outubro 14th, 2013

Após ficar uma semana fora de casa para as realizações dos jogos contra América Mineiro e Avaí, com jogos em Belo Horizonte e Florianópolis, conquistando quatro pontos em seis, a Chapecoense voltou para Chapecó no sábado à noite e já no domingo treinou e voltou para a concentração, pois na noite desta terça-feira tem pela frente a boa equipe do Ceará.

Demonstrações de como as coisas estão sendo tratadas na Chapecoense e de como todos os adversários são encarados com profundo respeito.

Em uma semana, a contar de hoje, a Chapecoense poderá estar comemorando um espetacular acesso para a Série A, mas para que isso aconteça, terá de superar três adversários de qualidade e de muita força, Ceará, Sport e Figueirense, respectivamente.

O grupo está fechado, o trabalho é árduo e continuo, não existe dependência de nomes, os revezamentos provocados por lesões ou suspensões estão dando certo e tudo converge para o sucesso de uma temporada brilhante, subvertendo a linha de pensamento da grande maioria.

Imaginar a Chapecoense subindo para a Série A já na sua chegada a Série B foi exercício de poucos, loucos os visionários, mas aos poucos um sonho foi ganhando forma e o projeto foi sendo assimilado e abraçado por todos, com um passo sendo dado de cada vez, sem atropelar.

O objetivo ainda não foi alcançado e a Chapecoense e Gilmar Dal Pozzo (foto) sabem disso, tanto que trabalham forte como se estivessem ainda longe de chegar.

Mais um passo, mais um jogo, mais uma busca e com a seriedade que o momento exige.

Grande jogo e grande resultado

domingo, outubro 13th, 2013

Avaí 1×2 Chapecoense

À tarde de sábado reservou espaço para um grande jogo de futebol.

Avaí e Chapecoense rivalizaram o tempo todo, com qualidade e lealdade, mas prevaleceu a efetividade e a estratégia mais adequada para o jogo, que foi utilizada pela Chapecoense.

Logo no início Thiago Luiz fez um lindo gol e determinou uma quebra naquilo que o Avaí havia planejado.

Quando a Chapecoense encaminhava um intervalo de vantagem no placar o Avaí empatou o jogo. E por mais estranho que possa parecer, foi bom para a equipe de Gilmar Dal Pozzo.

A segunda etapa veio e com ela a manutenção de um jogo de muitas alternativas e sempre com forte movimentação no ataque.

A posse de bola maior foi do Avaí, mas foi aquela “falsa” superioridade que faz a bola rolar em uma faixa de gramado distante da área, sem perigo ao adversário.

A Chapecoense esteve exata na sua proposta de contra-atacar em velocidade e desta forma decidiu o jogo em mais uma arrancada de Thiago Luiz e um belo gol de Fabinho Gaúcho, que já fazia por merecer.

Novamente o Verdão mostrou personalidade forte, enfrentando uma Ressacada com mais de 17 mil pessoas.

Um passo gigantesco na busca ao acesso para a Série A. Faltam três vitórias em 10 jogos.

Uma marca em ascensão

quinta-feira, outubro 10th, 2013

João Rodrigues mostra a linha de fogões da Chapecoense com a marca Clarice.

A marca Chapecoense está ganhando cada vez mais força no mercado e uma série de produtos está chegando ao mercado com poder de venda.

O final de ano deve marcar uma corrida enorme a produtos com a marca da Chapecoense e o comércio deve se preparar para isso.

A mais recente sacada são os fogões da Clarice de Pinhalzinho.

Ouvindo o programa Pertinho Básico da Rede Atlântida na tarde de quinta-feira, o lançamento foi mencionado e causou curiosidade aos integrantes da mesa. Quando alguém mostrou fotos dos produtos, todos enalteceram a iniciativa e disseram ser este um projeto a ser copiado por outros clubes, pois afinal de contas é inédito no Brasil.

A cada fogão vendido a Chapecoense receberá R$ 50,00, cerca de 10% do valor final. São três modelos, dois de quatro bocas, em branco e verde e um de mesa que é o modelo top da fábrica.

No stand da Chapecoense na Efapi já podem ser vistos vários produtos, como chinelos, pijamas, espetos, camisetas as mais variadas, canecas, garrafas térmicas, chaveiros e muitos outros itens.

Agregar valor a marca é um grande desafio e a Chapecoense está conseguindo trilhar um caminho muito interessante.

Entrou no ar também a loja virtual no site www.lojadachape.com.br

 

 

Deu para o gasto

terça-feira, outubro 8th, 2013

América Mineiro 1×1 Chapecoense

O resultado não foi ruim, mas a atuação da Chapecoense principalmente na primeira etapa deixou a desejar.

A primeira etapa da Chapecoense foi deficiente e a vitória parcial do América era merecida.

Na segunda etapa a Chapecoense foi mais efetiva e começou a ameaçar o adversário e a criar situações.

Temos duas Chapecoenses nesta Série B. Uma que joga em casa e outra que joga fora. Existe nitidamente uma mudança de postura, de formação e de tática menos efetiva.

Já são seis jogos sem vencer fora.

O ponto conquistado foi importante na tabela, principalmente por deixar em situação complicada para o acesso um adversário que visava bater a porta do G4.

Gilmar Dal Pozzo não consegue explicar o porquê de a equipe começar os jogos de forma sonolenta e na segunda etapa apresenta um futebol mais efetivo.

A campanha segue sendo maravilhosa e isso está sendo valorizado, mas é preciso também reconhecer as falhas.

Duas entradas devem ser analisadas de forma positiva. Radar e Potita deram novo ritmo à equipe e desta forma a Chapecoense foi melhor na segunda etapa.

América Mineiro melhor na primeira etapa. Chapecoense melhor no segundo tempo. Empate justo.

Jogo eletrizante

domingo, outubro 6th, 2013

Chapecoense 2×1 Joinville

Quem apostou as fichas em um jogo complicado e de placar magro, acertou em cheio.

Quem esperava facilidades ou que veria a superioridade de uma equipe é porque não conhece futebol.

Chapecoense e Joinville protagonizaram um jogo eletrizante, cheio de alternativas e com emoções reservadas até o final e com polêmica sobre a arbitragem.

Não houve pênalti sobre Augusto, foi uma simulação muito bem feita, que ludibriou o melhor árbitro do Brasil.

Novamente o Joinville saiu na frente e acabou derrotado, demonstrando fragilidades defensivas e uma quase anulação de Lima, seu principal nome no ataque que jogou pouco.

Outro personagem do jogo foi o goleiro Ivan, do Joinville. Bom goleiro fez grandes defesas, mas é muito afeito a atitudes cinematográficas e desnecessárias, que apenas irritam os adversários e criam clima ruim com os torcedores. Menos cinema a mais bola, fica a sugestão.

Bruno Rangel foi mais uma vez o grande nome do jogo, com dois gols e uma efetividade de 100%. Duas oportunidades, dois gols e o segundo foi uma pintura, assinada por ele e por Athos com uma assistência de luxo.

Uma vitória merecida, apesar do erro de arbitragem que foi decisiva, mas o time que quis jogar foi a Chapecoense. Quando abriu o placar, o técnico do Joinville se mostrou limitado, trocando atacantes por zagueiros. Chamou a Chapecoense e levou o merecido castigo.

 

A colonada e as bailarinas

sexta-feira, outubro 4th, 2013

O jogo de hoje entre Chapecoense e Joinville marca também uma série de tiradas bem humoradas e provocações muito criativas entre os torcedores.

Existem também aquelas que são carregadas de ódio e mau humor, mas prefiro deixá-las de lado.

As criativas chamam os torcedores da Chapecoense de “indiada” e “colonada”.

As provocações em cima dos torcedores do Joinville as batizam de “bailarinas”, em alusão ao Ballet Bolshoi que tem uma academia na maior cidade de SC.

Quando as provocações, as brincadeiras se utilizam do bom humor e da criatividade fica agradável e apenas colaboram para a divulgação do jogo.

Aquelas azedas eu prefiro deixar de lado.

No Facebook tem foto de homem vestido de bailarina, todo de cor de rosa, se dizendo torcedor do Joinville.

Tem homem beijando homem, fantasiados de índio, com dizeres divertidos.

É o tal de indo caçar coelho e por aí vai.

Eu não suporto mais o ranço de alguns torcedores que tratam o futebol como se fosse uma guerra, que vão para o estádio depois de tomar uma dose generosa de vinagre, que se acham donos da verdade e que olham os adversário como uma raça inferior e promovem badernas e brigas. Isso não é futebol. Futebol é alegria, é confraternização.

Gosto de valorizar quem está de bem com a vida.

 

Matematicamente falando

quinta-feira, outubro 3rd, 2013

Impressionante os índices que a Chapecoense alcança nos levantamentos matemáticos realizados que apontam chances de até 97% para o acesso a Série A.

O objetivo ainda não foi alcançado, mas fica difícil imaginar que a Chapecoense possa perder esta chance, pelo fato de jamais ter saído do G4. Jamais correu riscos de ficar de fora e tenho certeza que não será agora na reta final que isso irá acontecer.

A mobilização é intensa. Na tarde de ontem uma reunião entre jogadores e comissão técnica foi realizada junto ao banco de reservas, inicialmente comandada pelo preparador físico Anderson Paixão, que faz às vezes de psicólogo em muitas oportunidades.

Funcionou muito bem a estratégia de marcar o jogo contra ASA como sendo ele o de abertura do returno.

Já este contra o Joinville está sendo tratado como final de Copa do Mundo. E o sentimento é este mesmo. O jogo carrega a importância de um passo decisivo para o acesso para as duas equipes.

A arbitragem estará a cargo de Paulo Cesar Oliveira, hoje o melhor árbitro do Brasil, demonstrando que houve inteligência por parte da comissão de arbitragem, evitando uma escala regional que sempre carrega desconfiança e deixa margem para muita reclamação.

O Joinville vai se remontando para este jogo. Terá perdas importantes, vai promover estreias e está na obrigação de vencer para não se afastar do G4.

Será um jogo de muitas alternativas e com certeza de muita qualidade técnica. É o grande jogo da rodada.

 

Com direito a goleada

quarta-feira, outubro 2nd, 2013

Chapecoense 4×0 ASA

O esperado aconteceu. Uma vitória marcante, uma atuação efetiva e uma equipe que voltou a vencer em grande estilo com mais dois gols de Bruno Rangel, o goleador do Brasil.

A primeira etapa foi complicada, apenas 1×0, com um baita gol de Athos. Já na segunda etapa o futebol da Chapecoense soltou e a vitória foi construída com autoridade. Vitória para retomar a confiança e a manutenção com alguma folga na segunda colocação e boa distância do quinto colocado.

Thiago Luiz jogou uma grande partida e foi o meu escolhido como o craque do jogo.

Bruno Rangel marcou dois e chegou a 24 gols marcados na Série B, já atingindo a marca de ser o maior goleador da Chapecoense em uma competição oficial. E ele vai muito longe ainda.

O goleiro Nivaldo voltou em grande estilo e fez a diferença.

No primeiro tempo Gilmar Dal Pozzo reclamou que a equipe havia errado muitos passes e conseguiu melhorar este fundamento para a segunda etapa.

Ganhou o melhor time, o projeto mais bem organizado e se fez valer a força de um elenco muito melhor.

Agora é encarar o perigoso e qualificado Joinville na tarde de sábado em jogo com contornos de decisão, pois neste jogo poderemos ter a definição de quem vai e de quem fica. Bela e importante vitória.