Arquivo para novembro, 2013

Vai dar muito pano pra manga

sexta-feira, novembro 29th, 2013

O Bragantino joga em casa contra o Figueirense.

O presidente do clube paulista disse que todos os torcedores do Figueirense serão acolhidos, mesmo que venham no número de 10 mil. As portas do Nabi Abi Chedid estão escancaradas para o time do Estreito. O Bragantino já fez a sua parte e se manteve na B. O Figueirense precisa de vitória para subir.

A diretoria do Bragantino já deu férias para os principais jogadores, mesmo contra a vontade deles.

Declarações fortes colocam ainda mais fogo no jogo.

Vou esperar o resultado do jogo para aprofundar o comentário, mas que os movimentos são estranhos, não se pode negar.

Reclamações e denúncias de favorecimento, mala branca viajando, têm de tudo um pouco no pré-jogo Bragantino x Figueirense.

Desmontar o elenco antes de um jogo que interessa para três times é no mínimo antidesportivo.

Jogador de férias querendo jogar quando seu time não almeja mais nada é quase uma comprovação de mala branca.

O STJD vai ter trabalho, podem ter certeza!

Palmeiras transgênico

sexta-feira, novembro 29th, 2013

Na coluna de ontem escrevi que o Palmeiras jogaria em Chapecó praticamente completo. Era a informação do momento. Hoje volto a escrever que o Palmeiras que vem a Chapecó é transgênico, geneticamente modificado, em relação ao que realizou uma campanha brilhante na Série B e a levantou com uma facilidade incrível. Reclamo pelo espetáculo, mas entendo perfeitamente a posição do Palmeiras que já trata de 2014 com a velocidade de uma equipe que está entrando no ano do centenário.

Nada mais influencia na tabela o resultado deste jogo, portanto, não existe predisposição a ajudar ou a prejudicar quem quer que seja.

Está no site do Palmeiras: “O destaque da convocação é a presença maciça de atletas oriundos das categorias de base: Fábio (goleiro), Vinicius (goleiro sub-20), Bruno Oliveira (lateral-direito), Thiago Martins (zagueiro), Renatinho (volante), Bruno Dybal (meia) e Edilson (meia)”. E segue: “Os desfalques da lista por lesões são Bruno (joelho direito), André Luiz (pé esquerdo), Vilson (joelho esquerdo) e Mendieta (joelho esquerdo). Marcelo Oliveira e Vinicius estão em estágio de recondicionamento físico e, por fim, Leandro, Valdivia, Márcio Araújo e Henrique foram poupados”.

Não sou obrigado a acreditar em todas estas lesões, mas reitero que o Palmeiras está no seu pleno direito de escolher quem deve jogar.

O importante é que o adversário é o Palmeiras, com sua camiseta histórica e com tudo aquilo que representa no cenário do futebol brasileiro.

Será o encontro dos melhores da competição, aqueles que realmente sobraram a não passaram por nenhum susto na temporada nacional.

Falta um passo para o Figueirense

quarta-feira, novembro 27th, 2013


Comentei na coluna de ontem que o futebol de SC precisa se fortalecer e dentro desta ótica o acesso do Figueirense vai ao encontro deste desejo de muitos, mesmo tendo ainda uma corrente forte de rivalidade, que pensa diferente.

No sábado, contra o Bragantino, em Bragança Paulista, a terra da linguiça bragantina, o Figueirense terá o seu grande jogo da temporada.

O Bragantino vai ficar na Série B em 2014, que era seu projeto.

O Figueirense fez uma campanha cambaleante, mas depois do jogo aqui em Chapecó iniciou uma fase de recuperação e chega à última rodada dependendo apenas de suas próprias forças. Com grande ajuda da Chapecoense que venceu o Icasa.  

À volta para a elite representará para o Figueirense uma alavanca importante na recuperação financeira do clube, que anda bastante debilitado neste quesito.

Internamente o Figueirense vive dias de muita turbulência, com brigas constantes entre as alas e o acesso representará um reforço espetacular para a administração de Wilfredo Brillinger, atual presidente, que tenta dar um novo rumo administrativo ao Figueirense.

O futebol tem muitos detalhes que devem ser levados em consideração. Certamente haverá algum tipo de contato entre o Ceará e o Bragantino. Com o Icasa não será diferente.  

Assim como a Chapecoense atuou de forma incisiva no jogo contra o Icasa, o Bragantino também poderá atuar desta forma em seus dominios.

Vamos aguardar o final da tarde de sábado que vai definir tudo na Série B. Quem sobe e quem desce.

Não sou um torcedor pelo acesso do Figueirense, ele que trate de fazer a sua parte, mas sigo com a opinião de que a presença do time do Estreito é muito importante para o fortalecimento do futebol catarinense. 

Chapecoense e os paradigmas

terça-feira, novembro 26th, 2013

Como cronista esportivo tive o privilégio, junto com vários outros colegas aqui de Chapecó, de viver a experiência de passar por todas as Séries do Campeonato Brasileiro. Se o Nivaldo marca história por ter subido com a Chapecoense, desde a Série D, a imprensa esportiva de Chapecó é a única do Brasil a também passar por todas as divisões.

Uma experiência enriquecedora e que quebra parâmetros e desmonta com alguns paradigmas do futebol.

Quem vive de futebol nos grandes centros não imagina o que se passa nas divisões menores. Como sofrem os clubes e os atletas com a falta de estrutura. Nós da imprensa vamos na mesma tocada.

Tem muito preconceito ainda embutido nas redações dos grandes veículos que insistem em não abrir espaço para as divisões menores.

No Congresso da Acaert, este ano, o apresentador da Globo, Tiago Leifert, perguntado sobre a Chapecoense entrar noticiário nacional, respondeu que isso jamais aconteceria. E agora guri?

Se tivesse passado por todas as divisões saberia valorizar.

Como é filho de diretor da Globo, sua vida ficou mais fácil.

 

Uma semana que promete

segunda-feira, novembro 25th, 2013

Vários procuradores de atletas estarão na Chapecoense nesta semana para começar as conversações em torno de renovações, ou não, de seus clientes. Será também a semana de Gilmar Dal Pozzo e seu empresário definirem a situação.

Noto nas entrevistas dos atletas uma ansiedade em torno da renovação, deles e do técnico. Gilmar Dal Pozo está nitidamente condicionando a sua renovação em relação à permanência da maioria deste grupo vencedor, ou seja, estão trabalhando juntos.

A diretoria já possui suas diretrizes, mas a palavra do técnico é sempre muito importante para a formação do elenco. Eles já conversaram previamente e agora é definir.

Começa pela definição de Gilmar Dal Pozzo. Ele parece mais preocupado com a estrutura que vai ter para trabalhar e com o time que terá para encarar a Série A, do que propriamente com o salário, pois a valorização financeira é natural.

O zagueiro Rafael Lima  tem contrato até a metade da próxima temporada, mas seu procurador está em Chapecó em busca de uma prorrogação. Tenho-o como uma prioridade.

O goleiro Danilo recebeu sua chance e mostrou muita qualidade em um jogo complicado contra o Icasa. Foi muito bem e será alvo de uma negociação pesada com o Londrina. Para Danilo será uma oportunidade importante na carreira jogar uma Série A. É jovem e merece um investimento. Um integrante da comissão técnica já havia comentado sua qualidade nos treinamentos. Uma semana cheia, que fecha com o grande jogo de festa com o Palmeiras.

Vrummmmmm

domingo, novembro 24th, 2013

Vai ficar assim.

Quem me mandou foi meu amigo Davi Dávi, da Nostra Casa, ao qual agradeço e reitero meus votos de agradecimento e respeito. 

Para cumprir tabela e preservar o nome

sexta-feira, novembro 22nd, 2013

Neste sábado, a Chapecoense enfrenta o Icasa aqui em Juazeiro do Norte-CE, local em que escrevo esta coluna.

Cidade com mais de 260 mil habitantes e que tem em Padre Cícero Romão Batista, o seu Santo, o Santo dos Nordestinos, como aqui é chamado.

Lembro-me da minha infância, quando Renato Aragão, o famoso Didí Mocó, lembrava-se da existência deste homem que fez sua história santa aqui em Juazeiro do Norte e na cidade de Crato, sua terra natal, muito perto daqui. Histórias ligadas à fé e ao futebol, tão presentes na vida de todos nós, brasileiros.

O que vale agora é o jogo de hoje, para a Chapecoense nada, simplesmente, nada mais representa.

Para o Icasa é o jogo do ano, da vida, uma final.

Será com o ímpeto de uma Chapecoense jogando no Durival Britto que vamos encarar hoje o Icasa no Estádio Romeirão?

Perder é uma grande possibilidade. Entregar o jogo em detrimento de outros pares catarinenses jamais, mas é preciso reconhecer que a Chapecoense já fez a sua parte e não deve mais nada para ninguém.

Para a Chapecoense é jogo para cumprir tabela e para o Icasa o jogo do ano. Bom pra eles? Não sei!

Estímulos externos podem sim rondar o jogo e alguma surpresa pode estar reservada.

Padre Cícero, o Santo dos Nordestinos, está fiscalizando, pois Ele não joga, mas Ele fiscaliza.

 

Justiça seja feita

segunda-feira, novembro 18th, 2013

É normal nesse momento de euforia e comemoração pelo acesso que diretorias anteriores acabem sendo esquecidas, mas é preciso fazer justiça.

Quando há 40 anos a Chapecoense foi fundada, quando a história começou, foi dada a largada para uma das histórias mais bonitas do nosso futebol. Homens de muita coragem e alguns deles seguem firmes e fortes ao lado da sua criação.

Até mesmo as diretorias que não foram tão brilhantes assim, tiveram o êxito de manter as portas abertas e seguiram com a história.

Os momentos de baixa aconteceram e podem voltar, torço que isso não aconteça, mas nada pode ser descartado.

Quando a crise chegou, sempre houve mobilização para a salvação. E crises pesadas foram enfrentadas.

Muita gente tirou dinheiro do bolso para manter a história sendo escrita. Muita gente fez as maiores loucuras para que a Chapecoense não ficasse pelo caminho.

Muitas vezes foi preciso empurrar pessoas para assumir a presidência. O tempo passou e a realidade é outra.

A necessidade de profissionalização se apresentou e as diretorias mais recentes tiveram a capacidade de edificar uma instituição que ainda caminha para melhorar, mas que já deu passos importantes.

Não se pode deixar ninguém de fora, todos foram importantes, todos tiveram sua parcela de colaboração, ninguém deixou que as porta fechassem, mesmo com alguns sugerindo isso.

Meu reconhecimento a todos que de uma forma ou de outra construíram a Chapecoense e seguem edificando a associação de futebol que mais cresce no Brasil.

Agora não falta mais nada

segunda-feira, novembro 18th, 2013

 

O esperado aconteceu, a Chapecoense carimbou sua vaga para a Série A de 2014 ao empatar em casa, em 1×1, com o Bragantino.

Jogo de muita movimentação e contato físico, chegando à deslealdade em algumas vezes, mas que ao final deixou as duas partes felizes e após os 30 minutos da segunda etapa não houve mais jogo.

Bruno Rangel voltou a marcar, ao final da primeira etapa, com o estilo que o consagrou na temporada, de cabeça, certeiro.

O empate veio com Lincon, também de cabeça, no início da segunda etapa. Depois disso algumas chances foram construídas, inclusive com Rodrigo Gral quase marcando.

Quando as duas equipes se deram conta que o empate servia para os dois times, trataram de fazer o tempo correr, ao ponto de irritar o árbitro, que de forma inusitada cobrava os jogadores para que fossem mais ágeis, mesmo com a bola rolando. Sem dar muitos acréscimos, foi apenas esperar o apito final e fazer a festa.

E foi uma festa bonita! O técnico Gilmar Dal Pozzo foi o protagonista das imagens mais marcantes. Ele promoveu uma solitária volta olímpica e foi em todos os setores do estádio agradecer e agitar o torcedor. Nas traves, local do campo que habitou como jogador, ele fez uma festa especial, agitando as redes.

Festa de um grupo competente e de uma torcida apaixonada que coloca Chapecó no mapa das 20 mais importantes equipes do futebol brasileiro em ano de Copa do Mundo no Brasil.

O momento se explica por si só.

Conquista coletiva

quarta-feira, novembro 13th, 2013

A Chapecoense conquistou a vaga para a Série A de 2014 com base em um elenco que demonstrou comprometimento.

A conquista foi realizada na base do coletivo. Em todo grupo grande existem os mais importantes e os menos efetivos, mas todos tem sua contribuição no sucesso.

Querer separar um elenco vencedor em grupos, agora, é fazer justamente aquilo que o grupo vencedor não fez.

Se o grupo esteve unido o tempo inteiro, ninguém, absolutamente ninguém tem o direito de separar o que a união de um grupo conquistou.

O momento é de reconhecimento e de homenagens.

O ranço das analises cheias de teorias e algumas com a profundidade de uma xícara devem ser deixadas de lado e não merecem valor.

Quando se perde nem tudo está errado e quando se vence nem tudo está certo, porém, a análise deve ser feita no todo, nos objetivos alcançados.

A Chapecoense merece ser abraçada em seu todo, do mais simples ao presidente, como forma de valorizar algo que era inimaginável a cerca de cinco anos.

A agregação de valores, a exposição de mídia, a necessidade que o futebol brasileiro tem em entender qual o segredo deste projeto, tudo isso coloca o nosso time e a nossa cidade em local de muito destaque.

Tudo isso é muito forte, muito representativo. O momento é de comemoração.