Palmeiras transgênico

Na coluna de ontem escrevi que o Palmeiras jogaria em Chapecó praticamente completo. Era a informação do momento. Hoje volto a escrever que o Palmeiras que vem a Chapecó é transgênico, geneticamente modificado, em relação ao que realizou uma campanha brilhante na Série B e a levantou com uma facilidade incrível. Reclamo pelo espetáculo, mas entendo perfeitamente a posição do Palmeiras que já trata de 2014 com a velocidade de uma equipe que está entrando no ano do centenário.

Nada mais influencia na tabela o resultado deste jogo, portanto, não existe predisposição a ajudar ou a prejudicar quem quer que seja.

Está no site do Palmeiras: “O destaque da convocação é a presença maciça de atletas oriundos das categorias de base: Fábio (goleiro), Vinicius (goleiro sub-20), Bruno Oliveira (lateral-direito), Thiago Martins (zagueiro), Renatinho (volante), Bruno Dybal (meia) e Edilson (meia)”. E segue: “Os desfalques da lista por lesões são Bruno (joelho direito), André Luiz (pé esquerdo), Vilson (joelho esquerdo) e Mendieta (joelho esquerdo). Marcelo Oliveira e Vinicius estão em estágio de recondicionamento físico e, por fim, Leandro, Valdivia, Márcio Araújo e Henrique foram poupados”.

Não sou obrigado a acreditar em todas estas lesões, mas reitero que o Palmeiras está no seu pleno direito de escolher quem deve jogar.

O importante é que o adversário é o Palmeiras, com sua camiseta histórica e com tudo aquilo que representa no cenário do futebol brasileiro.

Será o encontro dos melhores da competição, aqueles que realmente sobraram a não passaram por nenhum susto na temporada nacional.

Deixe um comentario