Arquivo para novembro, 2013

Muito prazer Série A

terça-feira, novembro 12th, 2013

Eu vivi esta emoção do inicio e vou até o final, mas já sabendo que a Chapecoense chegou a Série A e lá estará em 2014.

A Chapecoense entrou como uma intrusa, para muitos, foi taxada de “cavalo paraguaio”, pois ela passou por tudo isso e chega à elite com estilo e muita competência.

O projeto era apenas permanecer na Série B, mas o campeonato foi se apresentando e a Chapecoense foi ganhando, ganhando, empatando, derrubando um após o outro e construindo uma estrada sólida e bem pavimentada.

Foi preciso passar por momentos de estresse, de ansiedade, de tudo aquilo que se carrega em uma competição com o tamanho de uma Série B. Faz parte.

Pois a Chapecoense chegou à marca incrível de 65 pontos e com três rodadas de antecedência fechou a porta de mais uma vaga.

Foi uma longa e penosa caminhada, agora coroada com o maior êxito que é subir para a Série A, pois ser campeão é apenas um acessório.

No jogo de sábado, contra o Bragantino, quando o árbitro apitar o início do jogo, quando a bola rolar, aí sim, matematicamente o acesso estará consolidado, não interessando mais os resultados.

Estamos vivendo um momento magnífico e vamos curti-lo em toda a sua plenitude.

Gilmar Dal Pozzo no divã

quinta-feira, novembro 7th, 2013

O técnico da Chapecoense está em período de reflexão e de autoanalise.

Ele está desvendando as vantagens e desvantagens de uma escalação com três atacantes. Acredita que nem sempre da certo. As variáveis são muitas e é necessário entender que não é apenas no ataque que as coisas se resolvem.

Você pode colocar três, quatro, cinco atacantes quem nem mesmo assim o time poderá responder positivamente.

O segredo está no equilíbrio, em todas as funções, desde a armação, o equilíbrio defensivo e principalmente as assistências ao ataque, que pode ser formado por apenas um homem, mas que recebendo com qualidade, terá inúmeras possibilidades de marcar.

O que vimos no jogo contra o América de Natal foi justamente a confusão ocasionada pelo desequilíbrio tático, com três atacantes que mais atrapalhavam um ao outro, do que propriamente ofereciam uma criação coletiva.

Com o meio de campo muito distante, as saídas de bola ficaram comprometidas e o expediente da ligação direta foi largamente utilizado, os cruzamentos longos das alas também não tiveram eficiência.

A compactação do time ficou comprometida e com isso os erros de passes se acumularam e ofereceram ao adversário uma infinidade de contra-ataques.

Gilmar  Dal Pozzo recorre a autoanalise para reforçar convicções e deixa claro que entrou em conflito com algumas ideias que acreditava pudessem promover uma melhora na equipe. Faz parte da vida.

Sugestões

quarta-feira, novembro 6th, 2013

As torcidas organizadas da Chapecoense já realizaram grandes eventos de apoio ao time e sempre tiveram resultados positivos.

Deixo como sugestão uma união de todas as organizadas, em um verdadeiro manifesto de apoio ao elenco, a comissão técnica e a diretoria nesta reta final.

Agora é a hora de fazer a diferença. Eles merecem e estão precisando deste apoio e desta demonstração de confiança para alcançar o maior de todos os objetivos que é o de subir para a Série A.

Antes do embarque para Curitiba seria muito importante que uma demonstração de afeto e apoio irrestrito acontecesse. O impacto seria muito positivo.

Outra sugestão que deixo é para o técnico Gilmar Dal Pozzo, grande comandante desta campanha brilhante e que será consagradora.

Deixe de lado, professor, o discurso que a equipe está a 10 jogos sem perder e adote a máxima de que a Chapecoense está a seis jogos sem vencer. Tenho certeza que o grupo responderá positivamente a esta salutar provocação.

Acusou o golpe

quarta-feira, novembro 6th, 2013

As vaias que emanaram das arquibancadas da Arena após o empate sem gols contra o América de Natal bateram forte, como um soco no estomago, dos jogadores da Chapecoense.

A entrevista de Paulinho Dias foi emblemática.

Ele chegou a pedir voto de confiança. A Chapecoense não precisa de nenhum voto de confiança ou o que quer que seja, precisa sim de apoio incondicional para a fase mais aguda da competição.

Uma sacudida não faz mal, um pouco de pressão pode fazer um bem danado neste momento, mas é preciso saber dosar, pois a diferença entre o remédio e o veneno é justamente a dose.

A ansiedade está estampada no rosto dos jogadores. Absolutamente normal, quando se leva em consideração o tamanho do passo que eles estão para dar.

O torcedor tem todo direito de vaiar, de se manifestar de forma democrática e ordeira, mas é preciso também saber reconhecer que a Série B é muito competitiva e que este grupo está realizando um trabalho magnífico.

O jogo de terça-feira em Curitiba será pesado e o Paraná Clube jogará todas as suas fichas.

O jogo seguinte será em casa e contra o Bragantino. Será  na tarde deste sábado que a Chapecoense vai definir seu acesso para a Série A de 2014.

É hora de abraçar o time e carregá-lo, com o carinho merecido, para o maior momento da história da Chapecoense.

Mais um empate desanimador

terça-feira, novembro 5th, 2013

Chapecoense 0×0 América-RN

 

No primeiro tempo a Chapecoense levou um verdadeiro baile do América e só não perdeu de goleada por sorte e por intervenções da trave e do Nivaldo, Era para ter sido uns 4×0 e com isso o jogo estaria liquidado.

Veio o segundo tempo e com ele uma pequena melhora por parte da Chapecoense, que não foi suficiente para fazer o time se impor e decidir o jogo.

O esquema tático da Chapecoense foi uma verdadeira confusão. Gilmar Dal Pozzo parece ter perdido convicções e se atrapalhou e feio na noite de ontem.

O time está nitidamente nervoso, errando muitos passes, sem saída de bola e com uma falência de qualidade nas alas que chega a enervar.

Não é mais possível a manutenção de Fabiano pela direita. E não é de hoje. Potita maltrata a bola sem dó. A meia cancha corre muito e produz quase nada de objetivo. A zaga segue sendo um ponto exponencial na equipe e um resguardo de qualidade.

Tem jogador pedindo passagem e sendo preterido por outros que não estão bem, estão decaído tecnicamente e mesmo assim seguem na equipe, sabe-se lá por que.

O próprio Gilmar Dal Pozzo reconheceu que o time esteve previsível. Na verdade esteve horrível!

Está na hora de uma cobrança mais severa sobre o time e a comissão técnica. A hora é de definição e não de desculpas e discursos de proteção.

Jogo que irritar o torcedor!

Noite histórica na Arena

segunda-feira, novembro 4th, 2013

Chapecoense e América de Natal fazem nesta terça-feira um jogo que pode entrar para a história.

Uma lástima não ser possível que este jogo e que nesta noite marque definitivamente o acesso para a Série A, pois a distribuição da tabela nesta rodada 34 marca jogos de terça-feira até o sábado e como os jogos estão interligados, será necessário esperar um pouco para comemorar.

O que realmente importa é ganhar este jogo frente ao América de Natal. Será o jogo da imposição, do apoio incondicional do torcedor e de aproveitar as oportunidades com a exatidão cirúrgica desejada.

Tenho o maior respeito em relação ao América, mas nesta noite a Chapecoense não precisa saber o nome do time que estará do outro lado de campo. Precisa sim ser melhor do que ela própria.

O que realmente importa é decidir de uma vez por todas a situação e aguardar para fazer a festa. Resta saber se haverá a necessidade de mais uma ou duas rodadas, ou se o carro de bombeiros pode sair do batalhão já na noite de sábado.

A reta final da Série B mostra o quão competitivo é este campeonato.

Noite para casa cheia, jogo às 21 horas, vale um acesso para a Série A, o time vem embalado e reforçado por liberações do departamento médico.

O América-RN merece respeito e cuidados, pois não é tão ruim como dizem alguns. Ser descuidado contra eles ou acreditar ser muito melhor pode render um castigo pesado.

É noite para entrar para a história.

Não vai deixar saudades

domingo, novembro 3rd, 2013

Guaratinguetá 0×0 Chapecoense

Um jogo de baixa qualidade técnica, muito por culpa do vergonhoso gramado do estádio Dario Leite.

A CBF jamais deveria permitir que na Série B um gramado como aquele fosse utilizado.

No geral as condições do estádio estão ruins. As cabines de imprensa são precárias.

A diretoria da Chapecoense ficou acomodada em um local sem as menores condições, no mesmo nível do gramado, sujo, castigado pelo sol e sequer um copo de água foi oferecido.

Colegas de imprensa tiveram muitos problemas para registrar imagens e foram expulsos do estádio a mando do presidente do Guaratinguetá, Sony Dauer.

Quanto ao jogo só posso destacar que foi muito ruim. O gramado desmanchou qualquer possibilidade de construção de jogadas, fazendo do jogo um verdadeiro sofrimento para quem o acompanhou.

O resultado foi bom para a Chapecoense no contexto da tabela, pois mantém oito pontos de distância em relação ao quinto colocado.

A Chapecoense empatou seu quinto jogo em sequencia, mas o lado bom da história é que não perde a nove jogos.

O jogo de terça-feira contra o América de Natal pode representar o acesso para a Série A e assim está sendo tratado pela comissão técnica.

É a nova edição do jogo do ano.