Arquivo para dezembro, 2013

É hora das férias

sexta-feira, dezembro 13th, 2013

Final de 2013 com muito para ser comemorado.

Foi uma temporada sem títulos da Chapecoense, mas com um digno vice-campeonato e a maior de todas as conquistas que foi o aceso para a Série A, que vale muito.

Crescemos juntos. Aprendemos juntos e juntos vamos ao encontro do maior de todos os desafios. E quando os desafios se apresentam, eles nos colocam em posição de decisão, ou seja, vai encarar ou vai amarelar?

Desejo encarar cada um dos desafios que se oferecem.

Assim como a Chapecoense, junto com meus colegas de fé, subimos da última até a primeira divisão do nosso futebol, sem faltar a nenhum jogo.

Com a Rádio Chapecó consolidamos a liderança nas transmissões e programas esportivos. Provado em pesquisa.

No Jornal Voz do Oeste comemoramos 10 anos e um posicionamento que nos consolida no mercado.

Duas equipes que tenho a honra de ser integrante.

Foi um ano de 2013 com a força e as boas noticias que me jogam para 2014 com a corda toda!

Vou descansar um pouco. Serão 30 dias de convivência familiar, algumas viagens, alguns reencontros, novidades para quem vai me acompanhar, mas acima de tudo de ligar a bateria na tomada da vida e deixa-la recarregar ao máximo, pois na próxima etapa, que se aproxima, quero na próxima temporada ter força máxima para fazer o maior de todos os trabalhos já realizados.

Tudo aquilo que sonhei um dia, na minha profissão, está na véspera de acontecer.

Obrigado pela leitura das colunas, do blog e da audiência no rádio.

Vamos nos encontrar em 2014! Obrigado meus amigos e minhas amigas!

Começaria tudo outra vez

Não tenho a menor dúvida sobre isso.

Ao final de cada temporada, faço uma reflexão sobre tudo, os erros e os acertos.

Quanto ao futebol e a Chapecoense, se amanhã pela manhã eu acordasse de um sonho, que representasse apenas uma ilusão de que a Chapecoense estivesse na Série A e se meus colegas me informassem que teríamos de viajar novamente para um jogo em Naviraí no Mato Grosso do Sul, já estaria com minhas malas prontas e os equipamentos arrumados para começar tudo de novo.

Tenho certeza que o caminho seria o mesmo, que as vitórias e derrotas seriam as mesmas, mas que acima de tudo teríamos a certeza de que o final do sonho, também seria o mesmo. Engrandece a alma ser cronista de uma história tão bonita. Chegar ao final de uma temporada com tanto coisa boa para contar é reflexo da felicidade.

Obrigado Chapecó e a Chapecoense pelas oportunidades.

 

Fica a dica

segunda-feira, dezembro 9th, 2013

Chapecó vai receber os grandes times do Brasil na Arena Condá. Junto com os grandes nomes do futebol nacional, virão as torcidas organizadas mais violentas do Brasil, aquelas que quebram o que tiver pela frente e que não se intimidam frente à força policial.  

Chapecó precisa estar preparada para receber pessoas de bem e outras que aqui estarão para deturpar a ordem.

O local em que ficarão as torcidas visitantes deve receber uma atenção especial. O policiamento deverá estar preparado para esta nova exigência.

Não quero criar fatos antes que eles aconteçam, mas é preciso estar preparado para o lado sombrio do futebol.

Viajando pelo Brasil já pude ver as maiores barbaridades, ameaças à vida e toda a sorte de atitudes indignas.

O acontecimento de Joinville serve de lição para o Brasil.

 

Um fisco mundial

segunda-feira, dezembro 9th, 2013

A repercussão experimentada após os atos de selvageria registrados em Joinville foi algo de alcance mundial.

Mexeu até mesmo com a Presidenta Dilma Rousseff, que se viu obrigada a emitir uma nota via redes sociais.

Importante dizer que o evento foi realizado em SC, mas que o mando de campo era do Atlético Paranaense e o adversário veio do Rio de Janeiro, o rebaixado Vasco da Gama.

Importante também salientar que houve um desencontro grave de informações entre Ministério Público e a Polícia Militar, que acabou afastando o policiamento da parte interna da Arena Joinville e com isso a segurança ficou aos cuidados de uma empresa particular, que nitidamente não conseguiu cumprir a missão de controlar o bando de vagabundos que já havia marcado a “guerra” via redes sociais.

A estratégia utilizada foi posicionar três ou quatro seguranças e uma corda, para conter qualquer eventualidade. Foram engolidos pela força do destempero de torcedores alucinados e prontos para matar.

Uma sucessão de erros inadmissível em um jogo de alto risco. Não poderia terminar de outra forma.

Menos mal que não houve mortos. Feridos graves sim, mas a tragédia não se consumou como desenhada não se sabe por qual motivo.

O Brasil está na vitrine do mundo. O Brasil mostrou suas vísceras e escancarou toda a ordem descontrole que vivemos em nossos órgãos governamentais.

Antes de pensar nos turistas que virão para a Copa do Mundo, precisamos pensar em nós mesmos, que pagamos impostos e nos vemos cara a cara com a morte em um estádio de futebol, expostos a própria sorte pela incompetência de quem deveria nos defender.

Estamos no mato e com cachorro, só que a cachorrada corre atrás de nós.

 

FOTO – globoesporte.com

Gilmar Dal Pozzo e o Mickey

sexta-feira, dezembro 6th, 2013

No final da manhã de sexta-feira, Chapecoense e Gilmar Dal Pozzo, através de seu procurador, fecharam acordo e determinaram a continuidade do trabalho competente da temporada de 2013 para a histórica temporada de 2014, com um calendário de luxo.

Foi uma negociação dura, com vários pontos e que culminou na valorização financeira do profissional, por absoluto merecimento.

A carreira de Gilmar Dal Pozzo, em menos de um ano e meio, deu uma guinada espetacular.

Vindo de Veranópolis, acertou com a Chapecoense e começou uma caminhada vitoriosa, com dois acessos e um vice-campeonato estadual.

Pulou de um salário modesto para um patamar de técnico emergente na Série A. Merece, pela seriedade, competência, força de comando e imposição de um profissional que recebeu uma chance e agarrou-a com as duas mãos.

Gilmar Dal Pozzo contou, após o acerto, que ontem a filha dele chorou e pediu para o pai acertar o novo contrato, pois queria permanecer em Chapecó. Balançou, é lógico.

Bom saber que a família Dal Pozzo está feliz por aqui. Tudo fica mais fácil.

Agora é curtir as férias! E já na tarde desta sexta-feira a família embargou em Chapecó rumo a São Paulo e de lá para Miami nos Estados Unidos, para chegar até Orlando e se esbaldar na alegria da Disney, com o Mickey e toda a turma.

Sair de férias, com contrato renovado até o final de 2014, com um bom aumento e com a família feliz, não tem preço.

A bola sai de cena para dar lugar aos sonhos de criança, no mais importante parque temático do planeta.

Saída de Athos causou impacto

quarta-feira, dezembro 4th, 2013

 

A saída do meia Athos da Chapecoense não foi bem aceita pelos torcedores, na sua maioria.

As manifestações nas redes sociais deixam bem claras as insatisfações dos torcedores.

Por uma questão de elegância e profissionalismo o departamento de futebol apenas comunicou que não mais desejava contar com o atleta e sequer formalizou uma proposta. A Chapecoense decidiu encerrar o ciclo do atleta na Chapecoense.

Athos foi visto chorando, decepcionado com a atitude da diretoria.

A verdade é uma só. Parte do grupo, o técnico Gilmar Dal Pozzo e integrantes da diretoria apenas suportavam a presença de Athos na equipe. O relacionamento estava desgastado e não existia mais clima para a sua permanência. Se ele tivesse boa aceitação no elenco, certamente ficaria, pois futebol de qualidade ele tem de sobra.

E é justamente pela qualidade de Athos que o torcedor reclama sua ausência na próxima temporada.

O relacionamento entre Dal Pozzo e Atos sempre foi complicado. Muitas vezes ele foi preterido pelo técnico, outras vezes quando era substituído, reagia intempestivamente e gerava atrito.

Por mais qualidade que possa ter um jogador, se o relacionamento com o grupo é ruim, ele acaba sendo limado naturalmente. Foi isso que aconteceu com Athos.

Jogador de muita qualidade e que vai fazer falta, mas que precisa rever algumas atitudes na convivência coletiva.

Que tenha sorte na sequencia da carreira.

A primeira lista

terça-feira, dezembro 3rd, 2013

Na tarde de hoje, em entrevista coletiva, o departamento de futebol da Chapecoense apresentou a primeira lista de cortes de atletas, que não ficam para a temporada 2014, assim como a lista daqueles que ficam.  

Houve rapidez, pois a lista veio apenas quatro dias após a bola parar de rolar, contrariando anos anteriores, quando a demora acabou ocasionando ansiedade e até desgastes.

Estão fora da Chapecoense: Athos, Rodolpho (recebeu uma placa de reconhecimento), Vanin, Murilo, Radar, William, Dão, Glaydson, Danilinho, Bruno Rangel (vai para o Qatar), Caion e Potita.

Permanecem na Chapecoense: Nivaldo, Danilo, Fabiano, Rafael Lima (contrato até maio), André Paulino, Wanderson, Neném, Thiago Luiz, Soares (contrato até maio), Hyoran, Dieguinho e Fabinho Alves.

Fabiano pode ser vendido para a Europa. Existem três propostas que vem da Alemanha e da Itália e Mauro Stumpf está cuidando pessoalmente do assunto.

Fabiano já possui passaporte da Comunidade Europeia.

Athos não recebeu sequer uma proposta para ficar. Foi uma decisão de diretoria que optou pelo final do ciclo do atleta na Chapecoense.

O técnico Gilmar Dal Pozzo define situação até quinta-feira e segundo a direção está muito próximo do acerto, a não ser que venha uma proposta de grandes equipes, neste caso não haverá possibilidade de concorrência. Não existe plano B para técnico.

O preparador físico, Anderson Paixão, está muito próximo de acertar. Faltam apenas detalhes.

Este o resumo da concorrida coletiva de hoje na sala de imprensa, sem luz, muito calor, devido às obras na Arena Condá.

As últimas horas da ala Leste

segunda-feira, dezembro 2nd, 2013

O passado começa a dar lugar para o futuro em mais uma ala da Arena Condá.

Amanhã as maquina irão roncar e com isso parte de uma história que começou em meados dos anos 70 estará indo ao chão para dar lugar à modernidade, mais conforto, uma nova configuração e principalmente em nome de um novo e importante momento que vive a Chapecoense.

O acesso para a Série A de 2014 determinou o avanço e um investimento em parceria entre Prefeitura de Chapecó e Governo do Estado de SC, na ordem de R$ 6,7 milhões.

Em quatro meses deveremos ter uma nova ala com capacidade para mais de 10 mil torcedores, dotando a Arena Condá de espaço capaz de sediar os grandes eventos de futebol aos quais a Chapecoense já está inserida e para os que ainda poderão vir.

Os primeiros movimentos já começaram hoje, com a retirada daquilo que não se vê. Cabos e canos estão sendo desenterrados, para depois sim, com toda a avaliação técnica, iniciar a remoção de muitos tijolos, terra e concreto.

Mesmo sendo para melhorar, dói no coração de muitos, ver a história indo embora, mas é um “mal” necessário, pois o velho Índio Condá foi importante, mas já não é mais capaz de ser um palco com a estrutura que hoje exigem.

Importante dizer que alguns empenharam sua palavra publicamente, políticos principalmente, que agora estão resgatando aquilo que empenharam.

Merecem o reconhecimento. O Estádio sai aos poucos e a Arena vai crescendo.