Arquivo para maio, 2014

Cobranças civilizadas

quinta-feira, maio 15th, 2014

A Chapecoense vive um péssimo momento. Os resultados de campo são um desastre, mas nem tudo está perdido.

O momento, naturalmente, é de cobranças, mas elas precisam ser maduras e bem colocadas.

Dizer que tudo está errado, que muitos precisam ser mandados embora e que outros tantos precisam ser contratados é muito fácil.

Para alguns futebol é como assistir TV, se a programação não agrada é só trocar de canal.

Ficar batendo na mesa e gritando não altera a situação.

Sobre Gilmar Dal Pozzo eu fico de mãos amarradas, pois o vejo trabalhando, mudando o time, lançando jogadores, sendo arrojado, mas os resultados não acontecem.

A Chapecoense não está jogando mal, está instável e esta instabilidade é que compromete o resultado final.

Em todos os jogos contra times de renome, não houve grande diferença, mas momentos pontuais nos jogos acabaram levando as derrotas.

O que não pode agora é criar um ambiente de guerra e desejar que se derrube tudo.

O que não pode também é sentar sobre os problemas e fazer de conta que eles não existem e deixar o protecionismo tomar conta.

O momento é ruim e precisa de ações concretas e não de exercícios filosóficos.

Vamos cobrar a comissão técnica, os jogadores e a diretoria, mas de forma civilizada, Vale também para a diretoria, que precisa saber entender as demandas e não atirar pedras de volta.

Se não for assim, a Chapecoense já está rebaixada hoje.

 

No Dia das Mães deu Pirata

segunda-feira, maio 12th, 2014

Chapecoense 1×2 Grêmio.  

Nova derrota da Chapecoense na Série A. Quatro jogos, um ponto apenas e a zona do rebaixamento como morada.

Em nenhum dos jogos a Chapecoense jogou mal. Sempre demonstrou aplicação e vontade, mas os defeitos no meio de campo e no ataque seguem. Contra o Grêmio a defesa foi ineficiente em duas oportunidades, nas duas vezes em que Barcos marcou.

Contra o Grêmio, a Chapecoense começou muito bem o jogo. Foi mais time, foi impositiva, mas acabou levando um gol que acabou deixando o time instável.

A Chapecoense está pecando no detalhe. Deixa escapar gols e está abrindo espaços que não pode oferecer aos adversários, que estão sendo muito mais eficientes nas conclusões.

Contra o Grêmio a Chapecoense merecia coisa melhor, mas a justiça não é parceira da bola.

Uma vitória sobre o Grêmio deixaria a Chapecoense em boa situação na tabela e daria ao elenco uma moral importante para seguir a caminhada. Como a vitória não veio, à realidade é a zona de rebaixamento.

Barcos foi decisivo no jogo e mostrou a frieza dos seus melhores momentos.

Falta a Chapecoense qualidade, esta é a realidade.

Volta ou não volta

quarta-feira, maio 7th, 2014

O nome de Bruno Rangel voltou à pauta de discussões com muita intensidade no momento em que se discute a falta de gols dos atacantes da Chapecoense neste inicio de Série A.

A saída do Catar, ao final deste mês de maio é certa. Que Bruno e sua família desejam voltar ao Brasil é outra certeza. O que não se sabe é se ele volta para a Chapecoense ou se aceita outro convite.

A Chapecoense tem interesse em tê-lo de volta. O atleta e sua família também desejam voltar à cidade que tão bem lhes acolheu e para o time em que Bruno foi mais feliz, quem sabe em toda a sua carreira.

Porém, apesar de todos os ingredientes afetivos, seu retorno não é garantido, pois o principal precisa ser discutido, que é o salário e o tempo de contrato.

A frente de Bruno Rangel está seu procurador. A Chapecoense tem limites e deve jogar com a valorização de sua proposta, já que, quando Bruno decidiu sair, a proposta apresentada ficou muito longe daquela que veio do exterior. É do negócio.

A desconfiança em torno da volta é normal. Debater agora se ele poderá ser o mesmo Bruno Rangel da Série B é infrutífero. Resta saber se a Chapecoense, como se fosse em uma mesa de pôquer, vai pagar pra ver.

Se eu estivesse na posição de dirigente de futebol da Chapecoense, com certeza contrataria Bruno Rangel. O grupo gosta dele. Ele sabe fazer gols. O técnico Gilmar Dal Pozzo confia nele. Tem tudo para dar certo.

 

Em nome da lei e do futuro

terça-feira, maio 6th, 2014

Uma lei municipal exime de cobrança de ingressos, crianças até 12 anos, nas praças esportivas de Chapecó.

Uma lei federal não vai tão longe assim, mas não é isso que importa.

A lei de autoria do vereador Itamar Agnoleto (foto) é boa e beneficia uma parcela importante da população, provoca a presença da família nos estádios e ginásios de esporte e aproxima a juventude do esporte e da Chapecoense.

Um pronunciamento do vereador no programa de rádio da Câmara de Vereadores me chamou a atenção. Ele cobrou a Chapecoense publicamente a cumprir a lei municipal, já que ela utiliza a Arena Condá e recebe todas as benesses do município, tendo hoje apenas a obrigação legal de manter o gramado.

Não cobrar ingressos das crianças de até 12 anos é na verdade uma grande jogada de marketing. Financeiramente, não fará falta nenhuma agora e este mesmo menino ou menina, poderá vir a ser um novo sócio logo ali na frente.

A Chapecoense terá de pagar uma diferença relativa ao ingresso dos menores para aplacar a fome por dinheiro da Federação Catarinense de Futebol, mas na verdade não se trata de prejuízo e sim investimento.

A lei municipal está aí. Uma lei federal ampara a cobrança após os oito anos, mas o bom senso e a inteligência clamam por liberar a entrada de menores até 12 anos sem pagar ingresso.

Uma derrota bem amarga

segunda-feira, maio 5th, 2014

Chapecoense 0×1 Corinthians.

O empate teria sido o resultado mais justo, mas uma bola decidiu o jogo. Bola que foi perdida por Tiago Luiz no meio de campo, armou o ataque do Corinthians e desta forma, Guerrero, foi exato, marcando o gol e definindo o placar. A Chapecoense reclama muito de uma falta do atacante na jogada. Na verdade ele levou com a mão com alguma sutileza, mas levou na mão.

A Chapecoense foi batalhadora, lutadora, teve chances, mas pecou muito nas finalizações e acabamentos das jogadas.

Falta uma arma mais poderosa no meio de campo e um atacante diferenciado, para fazer com que a Chapecoense possa fazer frente aos rigorosos compromissos que tem pela frente na temporada. Na defesa a Chapecoense está bem servida, mas na criação falta uma fagulha de criatividade e no ataque “o cara” para definir.

A Chapecoense entra na zona de rebaixamento e isso não é bom. Será uma semana de maior pressão, mesmo sendo o Grêmio o próximo adversário. A Chapecoense precisa ganhar com urgência, para afastar problemas que não podem ficar se acumulando.

No jogo de ontem a falta de qualidade de Bergson saltou aos olhos mais uma vez. E a pergunta que fica é: E o futebol do Tiago Luiz?

Gilmar Dal Pozzo precisa encontrar respostas com urgência.