Vitória gigante

Chapecoense 1×0 Fluminense

Foi uma vitória para lavar a alma e recolocar ordem na tabela de classificação. Três pontos, livrando quatro da zona de rebaixamento e chegando a 12ª posição.

Foi uma atuação com autoridade e maturidade, pois o gol veio cedo no segundo tempo e a Chapecoense soube se portar de maneira adequada, controlando o jogo e atuando com personalidade.

A realidade antes de a bola rolar e não mudou muito ao seu final é da Chapecoense olhando a parte debaixo da tabela e o Fluminense olhando a parte de cima.

Uma derrota seria um desastre antes de um jogo no Maracanã contra o Botafogo, pois fragilizaria a Chapecoense e poderia ser fatal para uma pretensão de busca de um resultado positivo.

A vitória veio na base da superação e o destaque é necessário, pois os problemas de acabamento das jogadas segue sendo uma tônica e é necessário corrigir com urgência este fundamento.

O que foi destacado pelo vice-presidente de futebol da Chapecoense ao final do jogo é a necessidade permanente da Chapecoense se doar o tempo inteiro o tempo todo, sem a menor condição de jogar de igual para igual e sempre calcando na superação suas atuações. A sinceridade pode até ser desconcertante, mas é a verdade afinal de contas.

Outro aspecto foi à arbitragem que foi um desastre. A Chapecoense ganhou dela também.

Uma vitória de gigantesca importância.

 

6 comentarios para “Vitória gigante”

  1. thiagao disse:

    hj os cornetas não comentam.. grande jogo no segundo tempo
    se o brasileirao acabasse hoje teriamos 5 catarinenses na serie A.. ehehe

  2. Cristiano disse:

    Se o Catarinense acabasse hoje, teriamos 4 catarinenses na série A , O Jec esta em quinto na tabela,
    Precisamos de um meia, nao da mais pro nosso zagueiro ficar dando chutao pro ataque.
    e os laterais tem que treinar cruzamentos, pois ninguem sabe cruzar uma bola decente

  3. Anderson disse:

    Esse jogo mostrou o quanto é importante, aliás crucial, vencer na Série A, empatar é bom, mas vencer é uma dádiva, quando se vence, sobre forte na tabela, joga sem pressão próximo jogo, vence o juiz mal intencionado, pode se preparar melhor o planejamento.

    Eu assino embaixo no que o Maringá falou, essa é a realidade, o perfil, o DNA da Chapecoense, o que a torcida espera e deseja do time: seriedade, comprometimento, persistência, buscar desafios, raça e força, mas isso não exime o Maringá dos seus graves erros de trabalho que ele está conduzindo no departamento de futebol este ano: exemplos: não manter Paulinho Dias, Diego Felipe e Augusto no time este ano, contratações furadas de Régis, Alemão centroavante, Bergson, William Arão, manutenção do Dal Pozzo por muito tempo sem resultados, a declaração que “existe 5% do plantel sem comprometimento”, a falta de opções jogadores dentro do orçamentos nas contratações (Série B, mercado sulamericano), etc.

  4. moraesão disse:

    Ganhamos e o time foi bem, mas precisamos qualificar! A nossa defesa é boa, mas nosso ataque inexiste, tanto é que nossos gols ou são feitos por zagueiros ou por volantes, quando muito um meia consegue fazer um gol. O Dedé nos últimos jogos vem caindo de produção ao meu ver se continuar assim deve ser sacado do time, o Bruno Rangel pelo que vinha apresentando também já estava merecendo pegar um banquinho, no entanto ontem demonstrou evolução, consegui fazer o pivô de forma satisfatória e parece que aos poucos vai pegando ritmo de jogo e o que falta para deslanchar de vez talvez seja um gol. Nosso esquema definitivamente tem de ser o 4-5-1, tanto dentro como fora de casa. Manteria esse mesmo time que iniciou a partida contra o Botafogo.

  5. moraesão disse:

    Apenas trocando o jailton, suspenso, por outro zagueiro.

  6. Braza Vermelha disse:

    Baita Jogo, agora é no Rio. Será que viajam quantos dirigentes pra cidade maravilhosa, Fernando? Sendo para o Rio, desta vez eu aposto mais de 14 e vc?

Deixe um comentario