Arquivo para março, 2015

Que rica retranca

quarta-feira, março 11th, 2015

Chapecoense 2×0 Inter de Lages.

A primeira etapa não foi boa. Além da retranca montada pelo Inter de Lages a Chapecoense colaborou com muitos erros de passes e com um posicionamento em campo que não valorizou as qualidades individuais.

A única oportunidade do Inter foi proporcionada por um erro terrível de Richarlyson, que não foi aproveitado, bola na trave. Foi à bola do Inter no jogo.

Veio à segunda etapa e com ela uma mudança de postura da Chapecoense, que foi mais intensa e agressiva, tomou conta de todos os espaços, sufocando o adversário e chegando ao placar de 2×0 com gols de Ananias e Roger.

A vitória foi justa, pois ganhou quem propôs o jogo. Perdeu quem veio para apenas se defender e evitar levar uma goleada.

Para o jogo do final de semana contra o Joinville a Chapecoense deverá ter um time diferente, mais completo e próximo daquilo que se imagina como time titular, com Camilo e Gil em campo, muito provavelmente.

Ainda sobre o jogo de ontem, a proposta de jogo do Inter de Lages foi à mediocridade. Veio apenas para jogar e não ser goleado. O futebol merece mais. Os objetivos do Inter estão alcançados, como foi dito por Mabília.

Espero que não tenhamos mais a presença de outras equipes aqui em Chapecoense com a postura de jogo de atuar com os 11 atrás da linha de meio de campo.

A vitória da Chapecoense era uma obrigação e ela veio.

Ausências importantes

terça-feira, março 10th, 2015

No encontro de amanhã, quarta-feira à noite (19h30min), entre Chapecoense e Inter de Lages, agora pelo hexagonal semifinal, faltas importantes, devem ser destacas dos dois lados.

No Internacional não jogarão, por força de terceiro cartão amarelo, os dois mais importantes nomes da equipe, Marcelinho Paraíba (foto) e Reinaldo. Ficou claro que ambos forçaram para limpar a série. Impossível não acreditar em perda de força por parte do time que é a sensação da temporada.

Na Chapecoense não são exatamente perdas, mas sim uma expectativa que não vai se confirmar, os retornos de Gil e Camilo, que voltarão a ser relacionados apenas na quinta-feira, já visando o jogo contra o Joinville, no domingo. A Chapecoense está tomando todos os cuidados para não apressar a volta dos dois importantes nomes.

Com as quatro ausências citadas, perde o espetáculo, perde o jogo, que terá um decréscimo de qualidade.

Quem perde mais é o Inter, pois os suspensos estavam em plena atividade e jogando muito. Já os nomes da Chapecoense aguardam apenas o melhor momento de voltar.

Sem querer passar arrogância, parece que o Inter declinou de ter seus atletas para este jogo como se ele já estivesse perdido e a Chapecoense não determinou o retorno dos seus por crer que eles poderiam esperar e com o que dispõe é suficiente para encarar o jogo. Pode ser. Será?

 

Resultado x Atuação

domingo, março 8th, 2015

Criciúma 1×1 Chapecoense

E lá se vão 15 anos sem que a Chapecoense consiga vencer o Criciúma no Estádio Heriberto Hulse.

No jogo de sábado a Chapecoense teve muitas oportunidades para construir a esperada vitória e a queda do tabu, mas esbarrou na falta de eficiência ofensiva.

A primeira etapa foi da Chapecoense, que foi muito mais organizada, mais agressiva e na verdade tem muito mais time mesmo. Aproveitou com Roger (foto) uma penalidade e abriu o marcador.

Já na segunda etapa o Criciúma melhorou muito com as entradas de Roger Guedes e Maurinho, autor do gol de empate, já na sua primeira participação.

A Chapecoense arrefeceu e perdeu força. O empate acabou sendo justo por aquilo que aconteceu em campo, com dois tempos diferentes e com domínio de uma e de outra equipe.

Faltou para a Chapecoense mais ímpeto, pois poderia ter vencido o jogo até com alguma facilidade, pois tem um elenco muito melhor, porém, um empate fora de casa é um bom resultado sim.

A Chapecoense ainda está jogando com uma equipe mista, devido às lesões e aos atletas que ainda estão em transição e por isso ainda tem muito mais para oferecer.

O resultado foi bom, mas a atuação poderia ter sido mais eficiente.

 

Foto – Cleberson Silva – Assessoria de Imprensa Chapecoense.

 

Copa do Brasil será em Porto Nacional

domingo, março 8th, 2015

Está chegando a hora da estreia da Chapecoense na Copa do Brasil.

O primeiro adversário será o Interporto de Porto Nacional, Tocantins. Jogo que acontecerá no dia 18 deste mês.

A cidade fica a cerca de 60 quilômetros de Palmas, Capital de TO.

A diretoria do Interporto tentou levar o jogo para Palmas, mas um laudo referente ao Estádio Nilton Santos não foi emitido até a sexta-feira, prazo final para tentar a transferência de local e com isso o jogo será realizado mesmo em Porto Nacional no Estádio General Sampaio (foto).

A intenção da diretoria do Interporto era arrecadar uma boa bilheteria com o jogo em Palmas.

O Estádio General Sampaio em Porto Nacional tem capacidade para apenas 1,8 mil torcedores.

Já o Estádio Nilton Santos em Palmas pode receber cerca de 20 mil. As estruturas também são bastante diferentes.

A Copa do Brasil é assim mesmo. É a mais democrática competição do futebol mundial.

 

Foto: Vilma Nascimento/GloboEsporte.com 

O tabu

sexta-feira, março 6th, 2015

A Chapecoense venceu o Criciúma pela última vez no Estádio Heriberto Hulse (foto) no ano de 2000. Um tabu de uma década e meia.

Jogar no Majestoso nunca foi fácil. Os times montados pelo Criciúma sempre foram competitivos, aguerridos e dentro de casa sempre foram muito fortes.

Mesmo em 2007, quando a Chapecoense foi campeã estadual no HH, o jogo terminou empatado em 2×2.

Amanhã (sábado 07/03) a Chapecoense volta a jogar no Heriberto Hulse, mas em condições bem diferentes em relação há anos anteriores.

Em nove rodadas realizadas na primeira fase a diferença de pontos entre uma equipe e outra é sete. A Chapecoense com 20 pontos e o Criciúma com 13.

Nos outros critérios, os mais importantes, foram seis vitórias da Chapecoense contra quatro do Criciúma.

A Chapecoense marcou 17 gols e sofreu apenas três, uma marca impressionante. Já o Criciúma marcou 12 e sofreu 11. A Chapecoense perdeu apenas um jogo, já o Criciúma amargou quatro insucessos.

Todas as diferenças e a distância que existe entre uma equipe e outra estarão em campo neste sábado no Sul do Estado (18h30min).

A Chapecoense é mais time sim, entra como favorita para chegar à decisão, mas precisa começar derrubando este incomodo tabu que foi levantado em 2000. O melhor momento dos últimos é agora.

Zerado, porém…

quinta-feira, março 5th, 2015

No sábado, às 18h30min, será dada a largada para o hexagonal semifinal do Campeonato Catarinense. Justiça foi feita.

Não estão entre os seis, Avaí e Marcílio Dias, por falta de futebol e de organização interna. Ambos perderam seis pontos por irregularidades com atletas, por falta de atenção nas inscrições e mesmo se recuperassem os pontos nos tribunais, eles não seriam suficientes para levá-los ao hexagonal, ou seja, incompetência em escala máxima!

Os demais, Guarani de Palhoça e Atlético de Ibirama estão no quadrangular da morte apenas pela absoluta falta de talento, nada mais.

Entre os seis estão a Chapecoense, a melhor equipe em atividade em Santa Catarina, o bom Figueirense, o surpreendente Metropolitano, o Criciúma e seus garotos, o grande vitorioso Inter de Lages e o combalido Joinville que chegou lá graças aos outros.

Na largada Criciúma x Chapecoense, Internacional x Figueirense e Joinville x Metropolitano.

É um novo campeonato apenas na formatação da tabela e na zerada dos pontos, pois na qualidade nada vai mudar até o final. Os times ganharão em motivação, mas em relação aos potencias de cada um, eles estão no mesmo nível da primeira fase.

Jogando o que está jogando a Chapecoense vai garantir vaga na final. Se jogar um pouco mais, vai sobrar, mas é preciso seguir jogando, caso contrário, o trem da história passa por cima.

Líder e conversa encerrada

quinta-feira, março 5th, 2015

Joinville 0×0 Chapecoense

 

A Chapecoense atingiu os 20 pontos e por suas forças determinou que a melhor campanha é dela. Sobrou em campo, jogou com várias formações, perdeu apenas um jogo em nove, testou quase todo o elenco e chega para o quadrangular como o time a ser batido.

Contra o Joinville chegou a ser constrangedor. O time da casa lutou, atacou e a grosso modo, teve uma grande chance que parou nas mãos do eficiente Nivaldo. O misto da Chapecoense foi mais time.

A força de marcação da Chapecoense e sua obediência tática respaldaram a boa fase e os acertos da comissão técnica do time que deu chances a quase todos.

O Joinville se classificou no fio da navalha, pois se a Chapecoense tivesse marcado com Bruno Rangel que esteve muito próximo de marcar e se o Guarani tivesse marcado mais um o Joinville teria dançado.

Vai começar um novo campeonato e graças ao estúpido regulamento do Campeonato Catarinense a Chapecoense jogará a primeira fora de casa e contra o Criciúma no Heriberto Hulse e já no sábado.

O que foi feito vale para efeito de avaliação, agora é fazer valer o planejamento e montar a equipe mais forte com base em todos os testes realizados.

Matar ou deixar viver

terça-feira, março 3rd, 2015

Evidente que se trata de uma expressão exagerada para ensejar o que pode acontecer no encontro desta quarta-feira à noite entre Joinville e Chapecoense na Arena do Norte do Estado.

A Chapecoense já está classificada e muito improvável que venha a perder a liderança.

Já o Joinville precisa pontuar, pois sua situação não está definida. Ganhando da Chapecoense está dentro do hexagonal, mas com empate e derrota corre riscos muito sérios.

Se o Joinville empatar ou perder e na combinação houver vitória do Criciúma em cima do morto Ibirama, se o Inter vencer o misto do Avaí em casa e se o Guarani vencer, ele ultrapassa em pontos, sendo que se o Marcílio Dias vencer ele empata em pontos, mas fica com uma vitória a mais e leva uma vaga, a coisa fica feia pro JEC. Todos são resultados possíveis.

O Joinville precisa vencer para não se complicar e terá de jogar contra a Chapecoense o que ainda não jogou na competição. Terá de se atirar, bem do jeito que a Chapecoense gosta.

E para a Chapecoense, seria melhor jogar sem se estressar, sem preocupações, deixando o jogo acontecer naturalmente ou tentar matar de vez um adversário sempre forte?

O discurso na Chapecoense é de tranquilidade e sem criar polemicas. Estão corretos.

Acredito que quando você tem a possibilidade de despachar um concorrente forte do seu caminho, a oportunidade não deve ser perdida.

 

Vitória e liderança

domingo, março 1st, 2015

Chapecoense 3×0 Atlético Ibirama

A primeira etapa foi sonolenta, chata e arrastada, parecendo um amistoso daqueles bem muquiranas.

Já na segunda etapa a situação foi bem diferente. A Chapecoense foi mais incisiva, jogando verticalmente e fazendo três gols, dois com Roger e um com Bruno Rangel, todos de atacantes de área. Aliás, a Chapecoense está muito bem servida de atacantes.

Coletivamente a primeira etapa foi fraca devido ao calor e a uma acomodação normal frente a um adversário muito limitado.

Já na segunda etapa a situação foi bem diferente, coletivamente muito mais efetiva e jogando com leveza e felicidade, fazendo a bola rolar e dando um show no seu adversário na segunda etapa.

A liderança está garantida, independente da derradeira rodada que acontecerá na quarta-feira.

Desta forma a Chapecoense mostra sua superioridade.

Agora mais um jogo e depois o campeonato vai começar de verdade na fase semifinal da com petição, quando os jogos ganharão importância e cada um deles será uma decisão.

A Chapecoense precisa ainda de alguns detalhes para se  mostrar pronta para a perna mais importante da competição. É mais médico do que tático, pois em campo está tudo certo.