Arquivo para abril, 2015

Jogo da solidariedade

quarta-feira, abril 29th, 2015

O presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, confirmou na tarde de ontem que a renda do jogo entre Chapecoense e Sport do Recife, na quarta-feira da próxima semana, será revertida ao fundo de amparo aos atingidos pelo tornado de Xanxerê e Ponte Serrada.

A Federação Catarinense de Futebol já abriu mão de todas as suas taxas. Apenas os encargos federais serão recolhidos.

O Sport do Recife, em caso de vitória por dois ou mais gols de diferença terá direito a 60% da renda. O presidente da Chapecoense apresentou a ideia ao presidente do clube pernambucano que prontamente aderiu a ideia e abriu mão do eventual direito.

A Chapecoense sempre foi acolhida com muito carinho em Xanxerê e na região. A cidade de Xanxerê faz parte da história da Chapecoense. O momento exige ações fortes e a Chapecoense está fazendo a sua parte.

O futebol, mais uma vez, mostra seu poder na união das pessoas. Uma iniciativa brilhante da Chapecoense e com total apoio da Federação Catarinense de Futebol e do Sport do Recife.

O Jogo da Solidariedade ganha ainda mais importância e oferece uma grande oportunidade para você colaborar na reconstrução das cidades de Xanxerê e Ponte Serrada.

Ao tapetão

terça-feira, abril 28th, 2015

Impressionante como as turbulências jurídicas infestaram o Campeonato Catarinense de 2015.

Erros que levaram a rebaixamento e ao constrangimento de jogar um quadrangular da morte. Agora, a decisão do título está afetada por um erro de inscrição de atleta.

O Joinville teria errado na inscrição de um atleta de 20 anos e ele foi relacionado em um jogo. O mesmo erro do Marcílio Dias, que foi punido, perdeu pontos, foi incompetente e foi rebaixado.

Se a decisão for favorável ao Figueirense a decisão será diretamente afetada, mas o problema é que antes de quinta-feira nada deve ser julgado. Creio que não seja possível jogar a final com uma pendenga deste tamanho!

Jogar para depois decidir no Tribunal de Justiça Desportiva não me parece lógico.

Alguns clubes de Santa Catarina se comportaram administrativamente como verdadeiras bodegas.

Em um primeiro momento havia a possibilidade de a Chapecoense ser a terceira interessada, mas o caso não proporciona uma mudança tão radical.

O fato é que a decisão entre Joinville e Figueirense pode para no tapetão do futebol.

Nos resta acompanhar os fatos.

Fim da linha

segunda-feira, abril 27th, 2015

O ala e volante Richarlyson se lesionou no treino de sexta-feira, ao final dele, quando fechava uma jogada próxima a uma das áreas.

Resultado foi um rompimento de ligamentos no joelho direito. Resultado do exame foi confirmado ao final da tarde de hoje e novo exame ratificou no começo da noite.

Preliminarmente ficará fora de combate por seis meses,ou seja, a temporada encerrou para ele.

Richarlyson tem contrato até 10 de dezembro. O procurador do atleta está chegando a Chapecó para acertar a situação.

Um novo lateral esquerdo está sendo prospectado no mercado, já que estava acertado que seria utilizado na posição até o final da temporada.

 

Vamos falar a verdade

segunda-feira, abril 27th, 2015

O primeiro jogo da decisão do Campeonato Catarinense, entre Figueirense e Joinville, o placar de 0×0, a qualidade do jogo, o cansaço das equipes, quase tudo deixou a desejar. A presença de público também foi fraca.

O que se salvou foi à arbitragem. O árbitro Célio Amorim foi bem, mostrou autoridade e realizou um bom trabalho.

Na capital o primeiro jogo não teve vibração. Tenho certeza que será bem diferente em Joinville.

O torcedor de lá não comemora um título estadual desde 2001 e já começou uma mobilização muito grande. A Arena Joinville estará lotada para o jogo decisivo e certamente será um fator de desequilíbrio em favor do time da casa.

A imagem de Argel Fucks após o empate em casa era de desânimo, mesmo dizendo que a decisão está em aberto, algo evidente, sem a necessidade de ser um gênio para chegar a esta conclusão.

As duas equipes me perecem bastante desgastadas, sobrecarregadas pelos jogos, mas vejo o Joinville mais firme em campo.

Domingo teremos o último ato do nosso Campeonato Catarinense 2015 e quem sabe a despedida do mais ridículo dos regulamentos. Vamos virar a página e nos organizar melhor para 2016.

Decisão fraca

domingo, abril 26th, 2015

Figueirense 0×0 Joinville

Uma decisão de dois times cansados.

Foi ligação direta em cima de ligação direta. Os grandes nomes de ambos os lados foram um desastre, principalmente no Figueirense. Acreditava que Argel Fucks pudesse ser o cara a fazer a diferença, mas não foi assim no primeiro ato da decisão.

Até mesmo uma provável e salutar rivalidade não foi sentida ou vista.

Pouco mais de 13 mil estiveram presentes no Orlando Scarpelli que pode receber mais de 20 mil. Pouco.

Resta saber se durante a semana o Argel conseguirá fazer de seus atletas, soldados e se Hemerson Maria conseguirá fazer seu cansado time jogar.

A vantagem está toda ela nas mãos do Joinville.

Está provado que não existe uma grande diferença entre  as equipes. Está provado que a Chapecoense não era e não é pior do que os finalistas.

Um papo com Richarlyson

quinta-feira, abril 23rd, 2015

O presidente da Chapecoense disse no Debate Esportivo do Canal 26 da Net que a diretoria iria conversar com Richarlyson, para saber dele sua avaliação sobre o Campeonato Catarinense e sobre o seu futuro, as competições nacionais, que ele tanto conhece.

Conversei com Mauro Stumpf, vice-presidente de futebol da Chapecoense, na tarde de ontem. Ele me disse que a conversa já aconteceu e que foi muito boa.

A avaliação é de que Richarlyson precisa render mais, algo reconhecido pelo próprio atleta. Sabedor de sua liderança natural, pois já exerceu a condição de capitão em algumas equipes, disse que preferiu manter-se mais discreto e evitar choques com os mais antigos.

Avalio como uma retração, um evento negativo, pois ele precisa de liberdade para exercer sua função e acima de tudo deixar fluir uma liderança que é natural.

A diretoria acredita muita na experiência de Richarlyson na Série A e na Copa do Brasil. Agora será seu grande momento.

Importante destacar mais uma vez que o atleta reconhece que pode e que precisa render mais.

Ele não necessita da ajuda de ninguém mais que não sejam seus colegas de trabalho. Das arquibancadas seria interessante algum apoio e da imprensa apenas profissionalismo, nada mais. Se a imprensa gosta ou não dele, não faz a menor diferença.

A Copa do Brasil será a Copa do Mundo

quarta-feira, abril 22nd, 2015

No dia 06 de maio a Chapecoense receberá na Arena o Sport do Recife no primeiro jogo da segunda fase da Copa do Brasil. Uma vitória por dois gols ou mais dos visitantes, eliminará a Chapecoense.

Será o primeiro jogo após o encerramento do Campeonato Catarinense e terá uma carga de importância muito grande.

O time precisará apresentar evolução para debelar a desconfiança que está depositada sobre a comissão técnica e o time.

Será preciso que a Chapecoense encare este jogo como uma verdadeira decisão, que jogue como ainda não jogou na temporada e que faça deste episódio o marco inicial de um novo momento, de conquista de confiança e consequentemente de bons resultados construídos em cima de atuações convincentes e merecedoras de aplausos.

O discurso que pede calma não adianta mais. Minha coluna de ontem e o post abaixo cobrou uma ação mais propositiva dos torcedores e muitos deles seguem destilando veneno forte (e tem suas razões) e se mostrando insatisfeitos e com a certeza de que se não houver trocas a Chapecoense será rebaixada.

Prometer não adianta mais, pois a comissão técnica está sem confiança perante o torcedor. Será preciso provar jogando,        que na verdade é o único jeito mesmo. Uma desclassificação na Copa do Brasil, em casa, será fatal para Eutrópio.

Churumelas

terça-feira, abril 21st, 2015

A Chapecoense trata de acertar as contratações para a sequência da temporada que já terá pela frente a Copa do Brasil e logo em seguida a Série A.

Para dentro de campo tudo está sendo organizado e com sintonia fina entre a diretoria.

E para fora de campo, algo está sendo pensado?

A falta de comunicação entre o time e os torcedores é notória. A diretoria sabe disso. As vaias chegaram na esteira de expectativas criadas que não foram alcançadas e por consequência o time está triste em campo, se sentindo sem apoio, mesmo tendo chegado a terceira colocação de uma competição que agrega quatro times de Série A e mais um de Série B.

O nível de exigência me parece muito alto. Parece-me também que depois do time, está na hora de o torcedor descer do salto. Exatamente isso!

Vamos nos colocar no nosso devido lugar, ou seja, somos integrantes de uma sociedade que detém um time na elite do futebol brasileiro, mas que se mostra infeliz pela fase de seu time que sequer começou sua nova caminhada nacional. Muita exigência e pouca alegria, parecendo que temos uma vaga perene, vitalícia, entre os melhores 20 do Brasil.

Está na hora do torcedor descer do salto alto, calçar a sandália da humildade e voltar a se olhar no espelho.

Time forte, torcida forte, torcedor com garra, time com garra. A estrada tem duas vias, ida e volta, está na hora de ser torcedor de verdade. Chega de reclamações! Está na hora do apoio. Ou a meta é a Série B em 2016?

Terminou meu povo

domingo, abril 19th, 2015

Chapecoense 1×0 Criciúma.

O campeonato começou empolgante para a Chapecoense, mas foi perdendo brilho na sua caminhada e o jogo final foi apenas para definir uma vaga na Copa do Brasil do ano que vem. Ficou como registro histórico um terceiro lugar, que não é uma colocação vexatória, mas que ficou sim aquém daquilo que estava planejado.

O jogo em si foi sem qualidade, com pouco público e amarrado, como era de se esperar. O resultado foi bom, e só.

A Chapecoense precisa melhorar em relação e ela mesma e investir com força na sua capacidade de criação, para que ela tenha condições reais de enfrentar a Série A e a Copa do Brasil. O time ainda está frágil e com um esquema de jogo equivocado e que precisa ser modificado pelo técnico Vinicius Eutrópio, caso contrário ele pode cair na sua própria armadilha.

Agora começa uma discussão em torno dos campeonatos estaduais. Eles podem se transformar em regionais, reunindo os três Estados do Sul ou reeditar a Sul-Minas.

A diretoria avalia como satisfatória a participação da Chapecoense, mas o torcedor não pensa da mesma forma. Muitas vaias foram ouvidas. O clima anda pesado entre jogadores e torcedores e o treinador não tem a confiança das arquibancadas.

Tem muito trabalho pela frente e a semana será de anúncios na Arena Condá.

Colegiado

quarta-feira, abril 15th, 2015

Na Chapecoense nada é decidido por apenas uma pessoa. Um grupo se reúne e delibera. Ele é formado pela Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo através do presidente e seus vives e pelo Conselho Consultivo.

Em um grupo grande, que sabe debater com qualidade e maturidade, o índice de erro é muito menor. É o caso da Chapecoense.

As ponderações são importantes. A diversidade de personalidades contribui para que uma média de pensamento se estabeleça. Os mais agitados e de sangue mais quente, contrapõem com os mais calmos e de fala mansa. Eles se completam, ao final das contas.

Tem dado muito certo na Chapecoense este modo de administra e decidir. Evidente que existem integrantes que exercem um peso maior na hora da decisão, mas é uma forma inteligente de comandar uma associação que hoje tem orçamento superior aos R$ 40 milhões.

No mais recente episódio de uma crise que se instalava em que algo precisava ser feito, com demandas pesadas se apresentando, foi o colegiado que decidiu.

O ambiente criado na Chapecoense é formado por empresários e profissionais liberais que encaram desafios diários e que também devem estar aprendendo muito com o modo de gestão que estabeleceram na Chapecoense.