De bombacha rasgada

Para começar, sou gaúcho, nascido em julho de 1968, na pequena Ibirubá. Nunca fui ligado às manifestações culturais do meu Estado, usei bombacha duas vezes, quem sabe, mas sempre tive apreço pela história, que é belíssima.

Jamais gostei das bravatas de bater no peito e gritar “eu sou gaúcho!”. Sempre achei exagerado.

Pois é justamente o excesso de orgulho que está aniquilando o Rio Grande do Sul, na política e no futebol.

O vice-presidente de futebol do Inter, Carlos Pellegrini, disse: “Me preocupa saber que o Internacional jogou o mesmo futebol da Chapecoense”.

O dirigente está errado. O Inter está jogando menos do que a Chapecoense. A tabela mostra. Foi “gaúchíssimo” na sua declaração. Faltou-lhe humildade para reconhecer a verdade dos números. Para jogar como a Chapecoense o Inter necessita melhor um pouco mais.

Colegas de imprensa de Porto Alegre, alguns, não todos, não aceitam o fato de o Inter não vencer a “fraca” Chapecoense. Tentam encontrar explicações para as mazelas das equipes de Porto Alegre, começando a olhar pelo outro lado do campo.

Na política o Rio Grande do Sul está enterrado em sua mais profunda crise. O Estado está quebrado, falido, não paga salários O governador se esconde no Paraná e o ex-governador, que ajudou a quebrar as contas, coloca a culpa em um grande grupo de comunicação. Um covarde e o outro boquirroto. Pobre Rio Grande do Sul.

O gaúcho gosta muito de assumir suas bravuras, seus feitos heróicos, sua história contada a ferro e fogo, mas tem enorme dificuldade em assumir seus erros. O futebol e a política estão em crise no RS, por absoluta falta de humildade.

Sirvam tuas façanhas de modelo a toda a terra, mas aprenda, gaúcho, a reconhecer tuas fraquezas.

9 comentarios para “De bombacha rasgada”

  1. thiagao disse:

    não só reconhecer as fraquezas como enaltecer o que está dando certo.. eles escolheram um técnico sem a minima convicção de que esse era o nome certo e enquanto estava com os resultados na mão foram enaltecidos como o melhor do pais.. mas.. como todo o time.. tem as suas etapas.. e com a falta de convicção piora muito as quedas.. e nisso a chape é diferente.. confiou num tecnico e ela queria esse técnico que é um cara com resultados a longo prazo e com um plantel quase todo novo, está dando tempo para ele trabalhar e os resultados começam a aparecer.. não acho o nosso tecnico o melhor dos catarinenses… mas acho que a diretoria teve convicção e está confiando no trabalho dele..

  2. Costa disse:

    É, mas discordo quando dizem que o antecessor do governador do RS ajudou a quebrar o estado. Nem o Tarso – PT e nem seus 3 antecessores ajudaram a afundar o RS (Yeda – PSDB, Rigotto – PMDB e Olívio – PT). Na verdade, de acordo com a própria informação da Zero Hora, o crescimento do endividamento foi crítico nos anos do governo Antônio Britto – PMDB (gestão 1995/98).

    fonte: http://www.clicrbs.com.br/sites/swf/zh_divida_rs/imagem_linha_tempo.jpg

  3. douglas disse:

    defenda a chape..nao os politicos sfd

  4. Alecsandro disse:

    Falou tudo Fernando, essa é a triste e cruel realidade do RS, desde que me conheço por gente ouço falar que o RS é um estado falido, vinham “empurrando com a barriga”, agora caiu a casa.

  5. Silvio SZ disse:

    Costa, favor ir para algum blog de politica.
    Aqui ninguem quer saber se tu defende esse ou aquele politico, ta ligado.

    Aqui é futebol.

  6. Venancio disse:

    Esse Costa tah com a maior pinta de petista enrustido… Querendo defender Tarso Genro..

  7. Costa disse:

    Hehehe… não se trata de política, não fiz propaganda pra ninguém, e defendi gestões do PSDB e do PMDB, além do PT. Acho q se trata mais de história do que política.
    Mas como o que importa aqui é falar de futebol, é aí mesmo que o RS anda mais quebrado do que a economia do Estado. Lembram quando o Palaoro foi conhecer a administração de futebol do Avaí? Acho q os dirigentes de Inter e Grêmio, assim como os clubes do interior gaúcho, deveriam tirar uns dias e ir a Chapecó aprender algumas lições de como se administra um clube.
    Nesse quesito a direção da Chapecoense é um exemplo não só para o RS, mas para todo o Brasil. Esperamos que esta responsabilidade sempre permaneça.

  8. Fabricio ccó disse:

    É por isso que o futebol do interior do RS não desenvolve. Nós enfrentamos esses times 4 vezes no ano na maior competição brasileira e ja da o maior stress, imagina conviver diariamente e ainda disputando gauchão e copa RS. Os caras não enxergam nada alem do guaiba.

  9. Costa disse:

    Uma coisa a se refletir é a tal da Copa Sul-Minas. O campeonato Catarinense é o melhor e mais disputado campeonato dentre os pretensos participantes. Mesmo com as fórmulas meio duvidosas quanto ao mérito que leva o vencedor, o Catarinão tem se mostrado útil. Precisamos reivindicar um cota de televisão mais alta aos clubes catarinenses. Não podemos tolerar que a RBS pegue mais para cobrir um time do interior no gaúchão do que os times catarinense que estão na elite. Por enquanto eu acredito que essa copa sul-minas só vai favorecer os times do RS, PR e a dupla capenga do RJ.

Deixe um comentario