Arquivo para setembro, 2015

Lição de Vida

quarta-feira, setembro 30th, 2015

No início da tarde de hoje, estive na FCD Chapecó, Fraternidade Cristão de Pessoas com Deficiência, que realiza um trabalho maravilhoso. O convite foi da minha ouvinte e amiga Maria Lúcia. Conheci mais de perto o projeto de aulas de pintura em tecido e tantas outras iniciativas da entidade que há mais de 35 anos atua em Chapecó.

Saí de lá renovado e emocionado pela força de pessoas especiais. Me oficializo como um voluntário colaborador da FCD. Fica do lado do Hemosc e vale a pena conhecer e colaborar com eles.

Quando entrei no carro, para voltar aos meus afazeres na imprensa, fiquei pensando nas nossas idiotices do dia a dia.

Como somos mesquinhos às vezes e nos fazemos de impotentes frente a obstáculos tão pequenos, enquanto que pessoas que nasceram com severas limitações ou que pelo destino sofreram algum acidente ou alguma doença que tenha lhes limitado os movimentos, sorriem e realizam trabalhos lindos e oferecem a nós, lições de vida que são mais ou menos como um tapa na cara, para que acordemos para a vida e deixemos de reclamar e de sermos seres humanos sem nenhuma compaixão, olhando apenas para o nosso mundinho.

Queremos parecer competitivos, donos das verdade, melhores em tudo, quando na verdade somos mesmo é nada ou quase isso.

Faço uma ligação com o futebol. Todos os homens e mulheres da FCD me perguntaram sobre a Chapecoense e sobre os jogos da semana e demostraram paixão pelo time e uma vibração positiva impressionante para a busca das vitórias tão importantes.

Precisamos nos espelhar nos vencedores. Não falo de Pelé, Ronaldo Fenômeno, Messi ou outros tantos. Fala deles e delas, da FCD, vencedores de verdade, da vida, gente de raça e força descomunais.

Bons exemplos para serem seguidos pelos jogadores da Chapecoense, dirigentes, comissão técnica, imprensa e torcedores. Uma boa fonte de inspiração.

Obrigado Maria Lúcia pelo convite. Saí da FCD com uma lição de vida que vale como uma pós graduação na faculdade da vida.

 

 

Mão dupla

terça-feira, setembro 29th, 2015

De fora para dentro

Uma nova mobilização está em andamento no que se refere à manutenção da Chapecoense na Série A do Campeonato Brasileiro.

Assim como aconteceu no ano passado, na fase mais aguda da Chapecoense na zona de rebaixamento, agora as forças fora de campo de unem no sentido de transmitir confiança ao elenco e desta forma fazer sua parte no processo. Ajuda? Com certeza, mas não decide, pois quem vai definir se a Chapecoense permanecerá na Série A são os jogadores e a comissão técnica.

Na segunda-feira, quando da chegada do elenco após a derrota para o Sport, eles foram recepcionados por um grupo de torcedores ligados as organizadas que realizaram um ato público de apoio. Boa iniciativa. Resta saber se nas arquibancadas, quando a bola rolar para Chapecoense e Palmeiras, se a intensidade do apoio será o mesmo do início ao fim.

Dirigentes e colaboradores reuniram-se, como de praxe, na noite de segunda-feira para deliberar sobre o momento da Chapecoense. Estão chamando formadores de opinião, gente influente na comunidade, para criar um clima positivo, deixando o pessimismo bem longe e tentando passar isso para o grupo de jogadores.

Veículos de comunicação começaram suas campanhas e por aí vai.

Mais uma vez Chapecó e a região fazem a sua parte. Sabemos a importância da manutenção da Chapecoense na Série A e tudo que envolve o projeto. De fora para dentro, já estamos ganhando o jogo. E lá dentro, como será?

De dentro para fora

Transpiração, pegada, jogadas agudas, pressão sobre o adversário o tempo todo, atenção em cada lance, doação completa, sentimento de decisão e principalmente vitória!

Palavras fortes, de significado muito claro e direto, que estão no vocabulário do futebol da Chapecoense, mas que não estão sendo utilizadas na intensidade que se deseja.

O jogo contra o Palmeiras se transformou em algo gigantesco.

É mais do que uma final de campeonato. Pode ser o jogo a tirar a Chapecoense da zona do rebaixamento e a encaminhá-la para os trilhos do primeiro é ótimo turno.

Não existe meio termo. Não é o jogo final, se perder está rebaixado, mas ele representa muito, não apenas pela importância natural do encontro, pelas circunstâncias do momento, mas tem uma importância ímpar no relacionamento time/torcedor.

À hora de recuperar a confiança é agora.

Fora de campo a mobilização começou. As redes sociais estão repletas de manifestações de positivismo.

Agora é à hora do de dentro para fora. O time precisa dar esta resposta. Muitas atividades acontecerão até o final de semana.

Chega de lenga lenga

segunda-feira, setembro 28th, 2015

Estamos fechando o mês de setembro e ainda estamos tentando entender o que acontece, ou não acontece, com o futebol da Chapecoense.

Os jogadores sabem apenas dizer que estão se esforçando, que vão levantar a cabeça, trabalhar para o próximo jogo e as mesmas desculpas esfarrapadas de sempre se amontoam.

A diretoria de futebol fala em detectar problemas. O mesmo sai da boca do técnico Guto Ferreira. Estamos entrando no mês 10 do ano, e ainda é preciso encontrar onde está o problema?

O técnico Guto Ferreira ainda teve a cara de pau, após de vergonhosa derrota de 3×0 para o Sport, de pedir apoio dos torcedores para os jogos da semana, que serão em casa, pois segundo ele, se os torcedores vaiarem, o time terá mais um adversário.

A verdade, senhor Guto Ferreira (foto), é que a Chapecoense, o time que o senhor comenda, e foi contratado para resolver, não precisa de adversários, ele perde para ele mesmo.

Desde o início da temporada temos um time que chega a frente do gol e tem uma impressionante incapacidade em arrematar uma jogada. O último passe é uma vergonha e agora, temos um time lento, que joga meio jogo, que segue errando lá na frente, mas apresenta uma novidade, fura na zaga em todos os jogos, o que resulta em gols e não satisfeitos, agora eles marcam gols contra.

Sem uma mudança de rumo à estrada está aberta e pronta para o rebaixamento.

Eu não agüento mais as desculpas esfarrapadas do elenco e da comissão técnica.

Que joguem em nome da dignidade e de suas carreiras, ou a diretoria enfia no bolso da tropa um monte de dinheiro. Duvido que não voltem a vencer.

Que coisa horrível

domingo, setembro 27th, 2015

Sport 3×0 Chapecoense

 

Ontem a Chapecoense deu a impressão de que poderia fazer algo diferente e finalmente voltar a vencer fora de casa. O começo de jogo foi muito bom, mas com muitos gols perdidos e quem não faz leva e levou o gol de Diego Souza. A partir dai a Chapecoense se perdeu completamente.

Veio o intervalo e as intervenções erradas de Guto Ferreira que tirou Gil e colocou Cleber Santana. A entrada de Camilo também nada produziu e a manutenção em campo de Bruno Silva pareceu provocação.

Na segunda etapa o Sport amassou a Chapecoense e construiu uma vitória muito fácil, que poderia ter sido ainda maior.

A Chapecoense não tem poder de reação, quando leva gol desaba e quando tem a possibilidade de marcar, não marca.

O segundo turno da Chapecoense é algo ridículo.

Está na hora da mobilização final, pois se algo não for feito imediatamente, agora, a canoa vai afundar. O departamento de futebol precisa agir, caso contrário eles serão marcados pelo rebaixamento. Já fizeram muito, mas o momento é péssimo.

Falta para a Chapecoense pegada, vontade, e mais presença em campo, pois cobrar qualidade onde ela não existe ou é pouca não é possível.

Ainda há tempo, mas ele é muito reduzido.

A semana pede mudanças.

Voando para Recife

sexta-feira, setembro 25th, 2015

Após o jogo em Assunción no Paraguai, eu e meu colega de Rádio Chapecó AM 1330, Douglas Dorneles, voamos para Recife, Pernambuco, depois de rápida passagem por Foz do Iguaçu, local para nossa conexão.

Os nossos desafios profissionais estão ligados aos trajetos da Chapecoense, seja na Série A ou na Copa Sul-Americana.

Que bom poder ser desafiado assim!

E não somente a nossa equipe, mas todos os competentes colegas que percorrem os mesmo caminhos da nossa Chapecoense são desafiados positivamente.

Agora estamos na cidade do Recife, Capital pernambucana, terra de muito calor, dos tubarões na praia da Boa Viagem e da sempre complicada Ilha do Retiro.

Menos mal, que os portões estarão fechados, devido à punição imposta aos donos da casa imposta pelo STJD.

O novo técnico do Sport é Paulo Roberto Falcão. Um dos maiores nomes do futebol brasileiro, o eterno Rei de Roma, que já foi técnico da Seleção Brasileira, mas que estava afastado havia três anos da função e que pouco conhece o grupo que comanda. Dito por ele mesmo.

O grande desafio da Chapecoense é vencer fora de casa. Não importa mais quem esteja do outro lado de campo. Com portões abertos ou fechados, time de futebol joga bola e ponto final.

Domingo, às 18h30min, Guto Ferreira (foto) precisa fazer seu time jogar com ímpeto e força ainda não empregada na temporada. Que tudo recomece pela Terra do Frevo!

No final o empate, mas foi bom

sexta-feira, setembro 25th, 2015

Libertad 1×1 Chapecoense

 

A Chapecoense segurava o Libertad até os 47 da segunda etapa em pleno Paraguai, mas veio o empate dos donos da casa e tudo fica para a volta, na quinta-feira da próxima semana.

Um bom resultado sim, pois foi construído com um time reserva.

Foi um castigo, pois a Chapecoense foi guerreira e lutou muito garantir a vitória, mas uma infelicidade de Cleber Santana na última bola, ele entregou e deslocou a defesa. Foi fatal.

Ainda na primeira etapa a Chapecoense teve uma bola para matar o jogo, mas acabou não definindo. Fez a diferença.

Um erro da arbitragem determinou a expulsão de Ygor, jovem da base, que deu um bote correto, mas o árbitro entendeu como falta passível de cartão vermelho direto. Errou bisonhamente.

Fica o gosto amargo de uma vitória que escapou no final, mas o empate foi muito bom no contexto da competição.

Tudo será decidido na quinta-feira em Chapecó. O técnico Guto Ferreira já disse que vai com reservas, mas não amolece para se livrar de uma vaga, vai jogar para classificar.

Agora os olhos se voltam para o Recife, no domingo contra o Sport, esse sim, o mais importante do momento.

No final valeu, pois a Chapecoense está jogando de forma diferente, mais compacta e competitiva.

 

A procura de uma explicação

segunda-feira, setembro 21st, 2015

Quando as coisas vão mal sempre tentamos buscar uma explicação para a maré ruim.

O importante é ser sincero e jamais esconder a realidade.

O que estaria acontecendo com a Chapecoense em seu rendimento em campo?

Nos últimos oito jogos, nenhuma vitória e a entrada na zona de rebaixamento.

O limite foi alcançado. Os dirigentes dizem que o grupo está fechado, que não existe nenhum problema interno, que os valores dos prêmios estão fechados desde o inicio da temporada e que salários estão rigorosamente em dia.

Acredito em cada uma das palavras, pois a diretoria da Chapecoense tem crédito de sobra.

Estaria faltando um estímulo a mais? O grupo receberia bem um aumento de prêmio em caso de não rebaixamento? Traçar uma meta com um saco de dinheiro lá na ponta para que o mais rápido possível se alcance a pontuação necessária para escapar do rebaixamento, seria uma iniciativa válida?

Eu tenho certeza que sim.

O grupo caiu de rendimento, enquanto que os concorrentes melhoraram. A troca de técnico ainda não pode ser medida se foi boa ou ruim. O certo é que o time está se arrastando e esse papo de vamos erguer a cabeça, trabalhar e buscar os resultados e conversa mole.

Está na hora de colocar cada ponto e cada vírgula nos seus lugares. Ficar se iludindo de que não tem nada de novo a ser feito vai levar a Chapecoense para o buraco.

Contratar não é mais possível, então será na base do dinheiro mesmo que as coisas vão acontecer. Que se estabeleça um prêmio especial. Alcançado o objetivo, em dezembro manda 95% embora. É assim mesmo que funciona, não adianta se iludir.

 

Um desastre

domingo, setembro 20th, 2015

Chapecoense 0×2 Cruzeiro.

 

Novamente a Chapecoense apresentou um futebol sem eficiência, desorganizado e sempre correndo atrás do adversário.

Logo cedo já estava levando 2×0, com uma falha de Danilo e um gol contra de Rafael Lima.

Tentou é bem verdade, mas faltou quase tudo para reverter à situação, pois sem organização e com qualidade limitada, tudo fica mais difícil.

O Cruzeiro foi inteligente, dentro de suas possibilidades. Marcou seus gols com boa dose de sorte e colaboração da Chapecoense e tratou de se defender. Jogou pelo resultado, que era exatamente o que as duas equipes precisavam com urgência.

Novamente a Chapecoense foi sonolenta no começo do jogo e pagou o alto preço de entrar na zona de rebaixamento.

A crise está instalada e precisa encontrar um fim o mais rápido possível, caso contrário pode chegar ao ponto de não se encontrar retorno.

Foi um resultado péssimo, o pior de todos na temporada, pois a zona do rebaixamento é uma espécie de assombração. E ela habita a Arena Condá.

Para piorar, tem ainda a Sul-americana na quinta-feira, com jogo no Paraguai, que vai atrapalhar todo o planejamento e dividir atenções no pior momento da Chapecoense na competição e em toda a temporada.

Chegou à hora de dispensas também. Uma nova mexida no vestiário será necessária para fazer acordar alguns que dormem o sono dos incompetentes.

Jogo lamentável e resultado pior ainda.

Um bom recomeço

quinta-feira, setembro 17th, 2015

São Paulo 0×0 Chapecoense

 

Apesar do placar, foi um bom jogo de futebol.

A Chapecoense atuou de forma mais compacta e organizada e atuou de igual para igual contra o grande time do São Paulo.

O primeiro jogo com o comando de Guto Ferreira foi promissor. O fato novo, que foi a troca de técnico, surtiu efeito e agora o grande desafio é encontrar a primeira vitória no returno, mas o importante mesmo é pontuar e isso a Chapecoense fez.

Apesar do pouco tempo e apenas dois treinamentos a Chapecoense já ganhou uma cara nova e um novo ânimo e deixou uma impressão de que as coisas estão mudando e que foi acertada a troca de comando

A primeira etapa foi mais calma, mas o segundo tempo de jogo foi de muita movimentação, com as equipes se arriscando mais e criando muitas oportunidades.

O retorno que tivemos dos torcedores na transmissão da Rádio Chapecó AM 1330 foi positivo, com a maioria elogiando e comemorando a nova postura.

Ainda é cedo para comemorações maiores, mas para começo de conversa, o empate no Morumbi foi uma conquista importante.

Agora é encarar o Cruzeiro, em jogo de confronto direto no inicio da noite de domingo.

Vida nova minha gente!

Guto Ferreira

terça-feira, setembro 15th, 2015

É um técnico dentro das possibilidades da Chapecoense e que creio tem um perfil mais adequado do que Vinícius Eutrópio.

Dos times que Guto Ferreira comandou a característica mais marcante é a simplicidade, com forte marcação, com posicionamentos bem definidos e sem muitas revoluções das modernidades do futebol, defendidas por alguns.

Não é um técnico fora de seu tempo, tem apenas 50 anos, completados recentemente em 7 de setembro, mas não é afeito a malabarismos táticos.

Como todos os técnicos ele precisa de material humano com qualidades e características bem definidas para cada uma das funções.

A Chapecoense lhe oferece um grupo com bom número de integrantes e com características bem peculiares e que lhe darão um bom leque de escolhas.

Mudanças serão inevitáveis, sejam de nomes ou de posicionamento.

Terá pouco tempo até o primeiro jogo, mas creio no Morumbi já veremos uma Chapecoense com outra distribuição e com uma dinâmica de jogo diferente.

O time precisa ser compactado, recuperar as funções de meio de campo, mexer na zaga e trocar as funções dos alas.

Segundo a diretoria de futebol da Chapecoense a grande característica de Guto Ferreira é ser um técnico aglutinador. Começa um novo ciclo.