Agora é na Arena de Porto Alegre

 

Vida fácil não existe na Série A.

No domingo a barbada da hora é o Grêmio em sua suntuosa Arena. Time de qualidade sim, com muita pegada e um emergente técnico que mexeu no mercado.

A Chapecoense jogará um jogo diferente daquele do empate frente ao Vasco da Gama no Rio de Janeiro.

No jogo da Cidade Maravilhosa, havia uma obrigação de pontos, neste de Porto Alegre, creio ser menos impactante a cobrança.

Evidente que pontuar é sempre obrigação, mas para a Chapecoense não é confronto direto. Tenho a certeza de que o Grêmio e seu comando do futebol cravaram em seu planejamento que este jogo é de três pontos para eles.

Como a Chapecoense pensa jogo a jogo, que pense o jogo como sendo ela, a atiradora de elite a acertar o alvo em movimento.

O técnico gremista, Roger, emprestou ao elenco um formato de jogo competitivo. Eles sabem atacar, sabem se defender, mas acima de tudo sabem ocupar os espaços do campo com qualidade.

Para a Chapecoense é um daqueles jogos em que o técnico Guto Ferreira precisará tirar coelhos da cartola e montar algum elemento que possa surpreender o bom time do Grêmio.

Jogo em que G4 e Z4 se misturam. Para quem joga pela parte de cima é muita responsabilidade para se manter. Para quem foge do rebaixamento como a Chapecoense, que está fora da degola é jogo para se atrever. Perder é o normal. Empatar e vencer seria o surpreendente. Que sejamos a visita desagradável, portanto.

 

Deixe um comentario