Guto Ferreira

 

Sempre gostei do trabalho de Guto Ferreira.

Ele tem uma característica que me agrada que é a de jogar pra frente, procurar o gol, ser atrevido, mas sem se esquecer do balanço defensivo do time e de sempre respeitar o adversário independente do tamanho, mas sem temer o outro por ser grande ou ter um nome reluzente na camiseta.

Então ele é o técnico perfeito? Seleção Brasileira? Barcelona? Calma, me antecipo antes de ser apedrejado.

Técnico perfeito não existe. Assim como não existe técnico que ajuste time ruim e indisciplinado.

O certo é que treinar um time repleto de estrelas é mais fácil com ele jogando do que treinando e parado, pois administrar astros e egos não deve ser fácil, por isso o técnico precisa ter grife, para que os astros da bola o respeitem.

Para treinar time médio como a Chapecoense é preciso ter qualidade para extrair do elenco o seu máximo, caso contrário é tragédia na certa. E Guto Ferreira tem as qualidades necessárias para encarar desafios como a Chapecoense e outros tantos clubes. Assim como acredito que já tenha qualidade suficiente para comandar qualquer time do Brasil, desde que com ambiente saudável e com projetos montados com a sua presença, pois com heranças malditas é preciso ter muito nome para não cair.

Na Chapecoense Guto Ferreira recebeu um time desmotivado e mal posicionado. O remontou e o fez jogar como ainda não havia jogado na temporada. Veio na hora certa. Sua permanência será muito positiva, tenho certeza.

FOTO – ClicRBS. 

8 comentarios para “Guto Ferreira”

  1. Mateus - Porto Belo disse:

    Guto Ferreira precisa ficar, vai ser um baita reforço na próxima temporada para a Chapecoense!

  2. Fabricio ccó disse:

    Ainda é cedo para avaliar o trabalho dele, mas os objetivos ele alcançou, tomara que renove pra nao correr o risco de vir um outro Eutropio ou voltar um Dalpozzo.

  3. Venancio disse:

    Tecnico corajoso. Nao eh desses q joga por uma bola e cai jogar fora de casa para perder de pouco. Tomara que renovem com ele.

  4. Jonas disse:

    tava precisando de um cara assim na chape, pra provar que não precisamos jogar sempre na retranca, por uma bola, somos pequenos na serie A? somos sim, mas isso não quer dizer que não podemos jogar como time grande, e o time provou isso.
    Detalhe que ele conseguiu recuperar o futebol de alguns jogadores como maranhao e barbio

  5. Tiago disse:

    Na verdade o próprio Eutrópio já veio com essa mentalidade de não jogar por uma bola, o time começou bem mas perdeu a intensidade e foi nesse quesito que o Guto foi muito bem.

  6. Elizandro disse:

    Eu sinceramente nunca gostei do trabalho do Eutrópio. Mesmo quando acabamos o primeiro turno em nono, os jogos que vencemos foram sofríveis, sem muita emoção e sem muita folga. Eu sempre achei que a hora que o time começasse a perder, ia levar alguns jogos pra voltar com as vitórias. E foi o que aconteceu. Não estou querendo me gabar, mas eu realmente imaginava isso. Agora com o Guto a história é diferente. Conseguiu 4 vitórias magistrais em pouco tempo: 5X1 PALMEIRAS, 3X2 GRÊMIO, 3X2 FLUMINENSE, 2X1 RIVER PLATE. Fantástico. Parabéns Gutão, esperamos sua renovação. Ano que vem o Catarinense é NOSSO.

  7. Costa disse:

    Lembro que quando criticávamos o trabalho do Eutrópio, mesmo nas vitórias, nos chamam de asias e coisas semelhantes. Vários ressaltaram que jogando aquele futebol que não empolgava ninguém, a hora q começássemos a perder ia ser difícil se recuperar. Outros rebatiam dizendo que o resultado era o mais importante. Bom, a situação mudou com a chegada do Guto, onde vimos que o futebol que a chape começou a apresentar era mais consistente. Disso tudo fica uma lição, só o resultado de uma ou outra partida não pode servir como motivo para não podermos criticar o trabalho de um técnico. Quando um time vai bem, é combativo, sabemos que o resultado vai chega (Guto). Da mesma forma, quando um time nunca se apresenta bem, sabemos q uma horas as derrotas tb chegam (Eutrópio).
    Precisamos cobrar da chape quando a postura do time não parece combativa, mesmo que ganhemos!
    Também precisamos respeitar e elogiar um time q perde e se entrega em campo, como contra o River, por exemplo, aplaudido na eliminação.

  8. Fabricio ccó disse:

    Eutropio veio com essa ideia de esquema, mas nunca fez o time render e nunca iria conseguir. Na época dele cheguei a ficar com saudades do termo “jogar por uma bola”.

Deixe um comentario