Endividamento do futebol

 

A MP 671, chamada de MP do Futebol ou Profut, foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff no dia 05 de agosto de 2015. Tratado como salvação para os clubes brasileiros, o Programa de Modernização do Futebol Brasileiro permite que as agremiações parcelem seus débitos em até 240 meses (20 anos), com 70% de redução no valor das multas, 40% dos juros e 100% dos encargos legais. Dívidas relativas ao pagamento do FGTS poderão ser parceladas em até 180 meses. O prazo para adesão termina no dia 30 de novembro, mas a entrada no Profut divide opiniões entre os clubes. Relator da MP, o deputado federal Otávio Leite defende que o prazo para adesão seja prorrogado por pelo menos um ano.

A situação é a seguinte:

Clubes que aderiram ao Profut:
Corinthians, Atlético-MG, Flamengo, São Paulo, Atlético-PR, Fluminense, Figueirense, Avaí, Vasco, Vitória, América-MG, Bahia e Ceará.

Ainda vão aderir:
Grêmio, Santos, Internacional, Cruzeiro, Ponte Preta, Joinville, Botafogo, Náutico, Sampaio Correa, Paysandu, Luverdense, Paraná, Oeste-SP, Atlético-GO.

Analisam adesão:
Palmeiras, Coritiba, Goiás, Bragantino, CRB-AL, ABC-RN, Mogi Mirim.

Não vão participar:
Sport, Santa Cruz, Criciúma, Chapecoense, Macaé e Boa Esporte.

Dos que tenho certeza que estão com as contas em dia são a Chapecoense, o Criciúma e o Sport. Sobre o Santa Cruz nada sei, assim como o Macaé, mas o Boa Esporte me parece ser outra realidade. O time seria tocado por empresários do ramo zoológico, bicheiros no caso.

Endividamento do futebol II

As dívidas dos 100 maiores clubes brasileiros somam um montante de mais de 2 bilhões de reais (2.327.270.796,95). Entre os maiores devedores, já aderiram ao Profut: Flamengo R$ 350 milhões, Corinthians R$ 240 milhões, Atlético-MG R$ 235 milhões, Fluminense R$ 215 milhões e Vasco R$ 200 milhões.

Os dois clubes de maiores torcidas são os maiores devedores. Três grandes do Rio de Janeiro estão na lista. O Atlético-MG, um gigante, também está lá.

Impressionante a incapacidade de gestão do nosso futebol. Não existe outra saída a não ser a renegociação, mas ela precisa estar atrelada a um controle forte e a uma aplicação da lei na sua plenitude, caso contrário eles não pagarão a conta velha e farão uma nova e bem grande. A lei contempla tudo isso, mas precisa ser respeitada.

A Chapecoense não vai aderir ao programa porque não necessita. Já faz algum tempo, negociou suas dividas fiscais, que eram pequenas, paga as parcelas em dia e tem todas as negativas. A Chapecoense sai prejudicada? Não, pois paga apenas as contas vincendas, já os outros as vincendas e as vencidas, são dois boletos.

FONTE: globoesporte.com

2 comentarios para “”

  1. Fabricio ccó disse:

    Santa Cruz pelo que vi vai usar dinheiro da tv do ano que vem pra por as contas desse ano em dia.

  2. ghioni romanovski disse:

    Enquanto não tiver responsabilidade fiscal dos diretores de futebol vai ser sempre assim. Daqui a pouco vão dever um Trilhão de reais e dai ?? Fica pro clube pagar ou pro proximo diretor que tambem não vai pagar e fazer outras novas….

Deixe um comentario