Arquivo para novembro, 2015

Semana agitada

segunda-feira, novembro 16th, 2015

A Chapecoense cuida do seu dia a dia com a tranqüilidade de quem não corre riscos de rebaixamento, mas com o afinco de quem deseja mais na competição e mira mais uma competição no calendário de 2016 que é a Copa Sul-Minas-Rio. Não existe pressão, mas existe um querer, um desejo verdadeiro na busca de uma vitória sobre o Inter.

Na Chapecoense ninguém fala em rivalidades pessoais e mesmo fora de campo os torcedores estão mais interessados em saber o que a Chapecoense pode oferecer.

A semana se agita por conta deste grande jogo de quinta-feira. O Inter jogará aqui em Chapecó com uma pressão gigantesca, precisando vencer, com um time desmontado e com um período de preparação que mais pareceu um laboratório, tamanhas as experimentações de Argel Fucks.

Na Chapecoense nenhum sobressalto, um trabalho dentro do programado e sem alaridos, com a seriedade de sempre, respeitando o adversário, mas sem fazê-lo maior do que é.

Enfim, um trabalho sem firulas e organizado como deve ser.

Vencer o Inter é sempre um feito importante e representará o coroamento de uma campanha dura, difícil, árdua, mas que foi dentro do esperado e com menos sofrimento do que no ano passado.

A Chapecoense vai jogar de peito aberto, mas não de sangue doce. O Inter vem para Chapecó para uma batalha. Vai ser um encontro trepidante!

NOVIDADES: Danilo está fora do jogo, devido a um corte no joelho. Acidente doméstico. E Túlio de Melo sente desconforto muscular e hoje é dúvida.

Duro golpe

O Internacional perde seu principal jogador por seis meses. Jogando pela Seleção Olímpica do Brasil, Valdívia sofreu uma lesão grave no ligamento cruzado do joelho esquerdo. Um prejuízo gigantesco para o Inter e que obrigatoriamente terá de ter a conta paga pela CBF.

Mais uma baixa do colorado para o jogo contra a Chapecoense na quinta-feira. O atleta já sofreu cirurgia na tarde de ontem.

Olhando o futebol brasileiro no momento é fácil cravar que Valdivia é um dos melhores da sua geração, se não o melhor. Sua participação na Olimpíada também está ameaçada.

Ele estava com um pé no exterior e seria certamente mais uma grande venda do Internacional. Faz parte do jogo, mas eu lamento pela qualidade do jogador, pela forma diferenciada como joga e por tudo de bom que tinha já garantido. Uma pena.

 

FOTO – CLEBERSON SILVA-ASSESSORIA DE IMPRENSA CHAPECOENSE. 

A próxima rodada

sexta-feira, novembro 13th, 2015

No domingo 15 de novembro teremos a abertura da 35ª rodada da Série A.

O Cruzeiro receberá o Sport em BH. Jogo importante, pois a vitória interessa para ambos, mais para o Sport que pode ingressar no G4.

Na quarta-feira serão quatro jogos. Confrontos diretos entre Goiás e Coritiba, quem vencer pode sair do Z4 e ficar vivo para as três últimas rodadas. O Outro será entre Avaí em Joinville, que carrega ainda a questão do clássico regional. Se o Avaí perder será o mesmo que chamar o padre. Se o Joinville perder estará matematicamente rebaixado.

A Ponte Preta receberá o Figueirense em jogo de interesses distintos, pois uma vitória da Ponte Preta lhe dará a possibilidade de sonhar com G4 e ao Figueirense ficar fora da zona de rebaixamento. Jogo duro para o Figueirense. O outro será Atlético-PR contra o Palmeiras. Jogo meia boca.

Na quinta-feira a Chapecoense receberá o Inter. Jogo para carimbar de vez a permanência e para deixar o Inter a ver navios. O Inter vem com tudo. Grande jogo!

O jogo Santos e Flamengo interessa mais ao Santos, que vai ganhar. O São Paulo receberá o Atlético-MG. Jogo grande, de G4 e que pode decidir o campeonato indiretamente.

E o grande jogo. O mais importante. Vasco e Corinthians na arapuca do São Januário. Para o Corinthians pode ser a conquista do campeonato. Para o Vasco pode ser a inacreditável saída do rebaixamento. Vai ser uma guerra.

O social

sexta-feira, novembro 13th, 2015

As muitas atividades sociais promovidas pela Chapecoense são dignas de aplausos.

A mais recente foi à visita ao Hospital Regional do Oeste, aos pacientes em tratamento contra o câncer.

Em primeiro lugar a aproximação com a comunidade, com pessoas que vivem um momento importante em suas vidas, que estão na sua grande batalha e que receberam o carinho dos atletas do time da sua cidade.

Também valorizaram uma instituição importantíssima de Chapecó e da Região Oeste de SC, o nosso Hospital Regional, através da Fundação Lenoir Vargas Ferreira, mantenedora de toda esta gigantesca estrutura voltada para salvar vidas.

São ações de uma gentileza marcante, de troca de energias positivas e acima de tudo de solidariedade humana.

A Chapecoense poderia ficar lá na Arena Condá, fazendo a sua arte no futebol, mas prefere, com ações marcantes, se integrar cada vez mais com a comunidade.

Aos atletas o reconhecimento, pelo desprendimento em deixar um momento de folga de lado para serem solidários.

Muito bom. Renova a gente e mostra que temos muito mais do que um time de futebol. Parabéns a todos.

FOTO – CLEBERSON SILVA-ASSESSORIA DE IMPRENSA CHAPECOENSE. 

Guto Ferreira

terça-feira, novembro 10th, 2015

 

Sempre gostei do trabalho de Guto Ferreira.

Ele tem uma característica que me agrada que é a de jogar pra frente, procurar o gol, ser atrevido, mas sem se esquecer do balanço defensivo do time e de sempre respeitar o adversário independente do tamanho, mas sem temer o outro por ser grande ou ter um nome reluzente na camiseta.

Então ele é o técnico perfeito? Seleção Brasileira? Barcelona? Calma, me antecipo antes de ser apedrejado.

Técnico perfeito não existe. Assim como não existe técnico que ajuste time ruim e indisciplinado.

O certo é que treinar um time repleto de estrelas é mais fácil com ele jogando do que treinando e parado, pois administrar astros e egos não deve ser fácil, por isso o técnico precisa ter grife, para que os astros da bola o respeitem.

Para treinar time médio como a Chapecoense é preciso ter qualidade para extrair do elenco o seu máximo, caso contrário é tragédia na certa. E Guto Ferreira tem as qualidades necessárias para encarar desafios como a Chapecoense e outros tantos clubes. Assim como acredito que já tenha qualidade suficiente para comandar qualquer time do Brasil, desde que com ambiente saudável e com projetos montados com a sua presença, pois com heranças malditas é preciso ter muito nome para não cair.

Na Chapecoense Guto Ferreira recebeu um time desmotivado e mal posicionado. O remontou e o fez jogar como ainda não havia jogado na temporada. Veio na hora certa. Sua permanência será muito positiva, tenho certeza.

FOTO – ClicRBS. 

A serviço da seleção

terça-feira, novembro 10th, 2015

O Campeonato Brasileiro tem folga até a próxima quarta-feira, 18 de novembro. Nesse período quem estará em ação são os selecionados brasileiros, tanto o time principal como a equipe olímpica. E dois profissionais da Chapecoense estarão juntos com as seleções.

Anderson Paixão, preparador físico do Verdão, foi convocado como auxiliar de preparação física da seleção principal nos jogos contra a Argentina, dia 12 de novembro, e contra o Peru, dia 17 de novembro. Ambas as partidas são válidas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

Já André Luiz, auxiliar técnico de Guto Ferreira na Chape, foi convocado como auxiliar técnico da seleção olímpica para dois jogos amistosos contra os Estados Unidos. O primeiro será nesta quarta, 11 de novembro, em Recife. O segundo desafio será no próximo domingo, 15 de novembro, em Belém. Os confrontos servem de preparação para os Jogos Olímpicos do Brasil, no ano que vem.

Depois dos compromissos defendendo as seleções do Brasil, os dois profissionais se reapresentam na Chapecoense para os últimos quatro jogos do Brasileirão 2015.

 

FOTO E TEXTO – CLEBERSON SILVA – ASSESSORIA DE IMPRENSA CHAPECOENSE. 

Uma aposta certeira

segunda-feira, novembro 9th, 2015

Quando anunciaram a contratação de Túlio de Melo pela Chapecoense, buscamos na internet informações para saber quem era ele.

Sua trajetória, quase toda feita em times europeus, nos afastava de informações mais qualificadas a seu respeito.

Iniciou no Atlético Mineiro e depois começou a carimbar o passaporte. Jogou na Dinamarca, França, Itália e Espanha. Desejava voltar ao Brasil e a porta de entrada foi a Chapecoense.

Quem convive mais de perto com ele atesta que Túlio de Melo deseja ficar no Brasil, que dinheiro não está em primeiro plano e que a Chapecoense estaria em primeiro lugar para um acerto.

Estamos conhecendo um atacante à moda antiga, o centro-avante, aquele que tem boa estatura, antecipa as jogadas, joga mais centralizado, sabe cabecear, mas tem alguma dificuldade com a bola por baixo. Não é completo, mas tem qualidades raras de se encontrar no futebol Brasileiro.

Uma renovação de contrato com Túlio de Melo não chega ao patamar de uma prioridade, mas seria muito valioso mantê-lo, pois está adaptado ao time e a cidade e sabe que por aqui as contas são pagas em dia.

Atacante por aqui se cria! Quando Bruno Rangel veio ninguém acreditava nele, mas agora seus números falam por si.

Outro chegou aqui batizado de Leandro Banana. Primeira providência que tive foi retirar das minhas narrações e colunas o apelido desmerecedor. Daqui foi para o Palmeiras e agora está na Bélgica. Atende por Leandro Pereira.

Pode ser a vez de Túlio de Melo. Ele quer ficar no Brasil. A Chapecoense tem sido uma ótima porta de entrada.

 

FOTO – CLEBERSON SILVA- ASSESSORIA IMPRENSA CHAPECOENSE. 

Vitória de gente grande

sábado, novembro 7th, 2015

Fluminense 2×3 Chapecoense

 

Foi mais um encontro de muitos gols entre as duas equipes que já protagonizaram quatro jogos de Série A e todos eles com vitórias da Chapecoense.

O Fluminense saiu na frente, a Chapecoense virou, eles empataram e Camilo fez o gol da vitória.

O jogo começou lento e arrastado, até que o Fluminense marcou seu gol e despertou uma fera, a Chapecoense, que tratou de jogar bola e fez do jogo mais uma passagem marcante na Série A.

O Fluminense não pode ser acusado de entregar jogo ou de fazer corpo mole, pois o placar já deixa claro como foi o encontro.

A palhaçada promovida pelo Vasco antes do jogo, dizendo que o Fluminense o rebaixaria com três derrotas para os catarinenses e outras besteiras, apenas animaram a Chapecoense.

O técnico Guto Ferreira disse que a diferença foi o querer, a vontade de jogar, ser sábio para virar o jogo e depois administrar o resultado. E realmente o nível de maturidade da Chapecoense é outro desde a chegada de Guto  Ferreira.

A Série A de 2016 é uma realidade, falta apenas uma rodada para ser matemático e sempre tive a impressão que seria contra o Inter, e pode ser, no dia 19, em casa, contra o Colorado.

O Importante agora é planejar bem a próxima temporada.

A Chapecoense segue firme e forte no seu projeto de ser o novo time grande do Brasil.

A vez do Fluminense

quinta-feira, novembro 5th, 2015

A Chapecoense voltará a jogar no Maracanã na noite de sábado, ás 21 horas, contra o Fluminense, time que a Chapecoense não sabe o que é perder.

O encontro está carregado de polêmica, pois o Vasco tratou de colocar pimenta, pois acusa de forma antecipada que o Fluminense entregaria seus jogos para os times de SC para prejudicar o Vasco. A direção do pó de arroz tratou de se defender e lembrou que quem ajudou, no passado, a afundar o Flu foi o Vasco. Chumbo trocado.

A Chapecoense tratou de se preparar para o jogo e deixou de lado a polêmica que não lhe interessa em nada.

Não posso crer que jogadores profissionais entrem em campo para prejudicar um rival, mas acredito que um time que chegou a pontuação que o livra do rebaixamento não entre em campo com o mesmo ímpeto de quando ainda estava correndo atrás de um objetivo, pois o Fluminense vai ficar por aí mesmo, nada mais poderá ser alcançado.

A Chapecoense terá Neto na zaga, pois Vilson está suspenso.  E Gil será titular e Bruno Silva vai para o banco. As duas modificações e nada mais. Os atletas Bruno Rangel e William Bárbio ainda estão sem possibilidades de jogo devido às lesões, sendo que Bárbio está na chamada transição.

Jogo que pode confirmar a Chapecoense na Série A de 2016.

Muito perto

terça-feira, novembro 3rd, 2015

A Chapecoense está muito próxima de confirmar sua presença na Série A de 2016.

Falta ainda uma vitória, ou quem sabe nem isso, mas ainda falta.

Serão apenas cinco rodadas. Será preciso também olhar atentamente os desempenhos dos que estão atrás da Chapecoense, pois a faixa de corte pode ser menor e a Chapecoense já ter pontos suficiente para alcançar o objetivo.

A matemática aponta um possibilidade muito reduzida para que um desastre aconteça, mas mesmo havendo 1% de possibilidade, ela deve ser considerada.

A sequência de jogos da Chapecoense não é lá muito tranquila. No sábado jogo contra o Fluminense no Maracanã. Os cariocas atingiram 43 pontos e não caem mais.

Depois em casa receberá o Inter de Argel Fucks, com toda a sua gana e com necessidade de vencer para chegar ao G4. Parada dura.

Depois vai a Florianópolis para encarar o Figueirense em situação que pode ser um pouco melhor, mas não creio que já salvo. Guerra!

Volta para casa para jogar contra o Goiás. Se já estiver rebaixado, tudo certo, mas se estiver vivo vai ser complicado.

E na última rodada o Alético-MG em Minas Gerais para fechar o ano. O Galo estará na Libertadores de 2016 e será o vice-campeão. Será o último jogo. Esperar até lá vai lotar a cardiologia do Regional e da Unimed.

Faltou o gol

segunda-feira, novembro 2nd, 2015

Chapecoense 0×0 Atlético-PR.

 

A Chapecoense tentou, mas faltou pontaria ou quando ela esteve afiada tinha o ótimo goleiro Weverton pelo caminho.

A defesa mais importante dele foi na conclusão de cabeça de Túlio de Melo, quase a queima roupa. A defesa da rodada.

Ao final da primeira etapa houve a expulsão de forma injusta de Marcos Guilherme. Pensei que estava estabelecida uma vantagem, mas errei. O Atlético-PR soube se remontar e jogou ainda mais fechado. A expulsão teve efeito contrário.

A Chapecoense chegou varias vezes ao gol adversário. O goleiro Weverton seguia fazendo grandes defesas e muitas outras vezes a Chapecoense simplesmente errava. A última foi de Tiago Luís, que com o gol aberto chutou para fora, longe. A ansiedade tomou conta da Chapecoense e muito queriam resolver tudo na individualidade.

O importante é pontuar e a Chapecoense somou mais um, mas também é preciso lembrar que contra dois adversários de mesmo tamanho, o Avaí e o Atlético-PR, em casa, a Chapecoense empatou as duas, mas também é bom lembrar que aqueles que estão abaixo da Chapecoense só patinam, rodada após rodada.

Poderia ter sido melhor, mas vamos em frente.