Arquivo para janeiro, 2016

Para começo de conversa

domingo, janeiro 31st, 2016

Chapecoense 2×1 Inter de Lages

 

Não foi apenas uma vitória, daquelas que marca um início de temporada e um jogo entre um investimento maior e uma menos vistoso.

A Chapecoense foi mais time o tempo todo. Se todas as oportunidades tivessem se traduzido em gols, a vitória teria sido do tamanho daquela do ano passado, mas cada jogo é um jogo.

O primeiro gol foi contra, porém, nascido de uma bela jogada de linha de fundo pela direita. Houve talento.

O segundo gol de deu após uma investida de ataque e uma sobra de bola bem aproveitada.

O gol de desconto veio de um pênalti chamado de interpretativo. Eu não o marcaria. Foi bem cobrado e veio o desconto do Inter. Placar fechado em 2×1.

O Inter foi mais aplicado na segunda etapa e a Chapecoense nitidamente dosou o jogo e fez apenas o necessário.

A Chapecoense está em fase de preparação, precisa soltar pernas e deixar o time mais leve devido a preparação física, mas tudo tem o seu tempo.

O Inter de Lages terá uma temporada desafiadora a sua frente. Para repetir o ano passado será necessário contratar.

A Chapecoense me parece próxima de um bom ponto de equilíbrio. Nomes já contratados ainda precisam ser liberados e no mínimo entre dois ou três chegarão.

Gostei da estreia.

 

FOTO – Assessoria de Imprensa Chapecoense. 

Vai começar

sexta-feira, janeiro 29th, 2016

A empresa detentora dos direitos de transmissão de TV, a cada ano, batiza o Campeonato Catarinense como o maior show da terra.

Evidente que se trata de um exagero, compreensível por ser uma forma de valorização de um produto. Burrice é transmitir uma competição e falar mal dela, como tem alguns por aí.

Nosso campeonato está mais bem organizado e com uma fórmula adequada, sem aquelas loucuras do ano passado.

Os clubes vivem momentos de dificuldades em sua maioria.

Na ponta estão Chapecoense e Figueirense. A Chape com as contas rigorosamente em dia e o Figueira devendo até a aba do estádio, mas com orçamento grande.

O Avaí, coitado, tem a pior realidade financeira de todos os integrantes da competição.

O Criciúma aposta suas fichas na renovação, na base, na força de Roberto Cavalo e trata de se reagrupar sem a grana do Angeloni.

O Joinville teve uma queda grande, vai mudar de diretoria com a saída do Martinelli em abril e terá de se esforçar para realizar uma temporada digna. Tem nome forte, mas pouco investimento.

Os demais estão em patamares semelhantes. Entre eles sai o rebaixado, mas tenho um bom palpite sobre o Brusque de Mauro Ovelha, que montou uma equipe experiente e ele como técnico sabe das coisas.

É isso. Começa hoje mais um Campeonato Catarinense de Futebol. Faço minha 11ª temporada em solo catarinense.

Bastante fofoca

quinta-feira, janeiro 28th, 2016

A primeira deu conta de que a Chapecoense teria sido beneficiada no ano passado ao escalar um jogador irregular, mas sendo alertada pelo delegado do jogo, acabou retirando o mesmo da lista e desta forma não perdeu pontos, pois se tivesse escalado, poderia ser rebaixada no Campeonato Catarinense. Quem deu a letra foi Delfim Peixoto Filho, presidente da FCF e colegas de Florianópolis partiram para o exercício de adivinhação.

A Chapecoense rebate a informação.

A outra é de que a Chapecoense teria fechado o ano com R$ 6 milhões em caixa. Que bom que fosse verdade. No ano passado houve um sobra de R$ 800 mil. Ao final da temporada a Chapecoense ficou no 0×0.

O valor citado é exatamente o que pagam a Caixa e a Auro para um ano de patrocínio.

No afã de noticiar algo, muitas vezes ouvidos alheios ouvem o que não foi dito.

Vamos com calma.

 

Chama a mãe

quinta-feira, janeiro 28th, 2016

Nota do blog Bastidores FC:

A organização da Copa Sul-Minas-Rio estuda acionar a CBF na Justiça. O argumento é que o veto publicado pela confederação na última segunda-feira afugentou patrocinadores e parceiros comerciais com quem a Primeira Liga negociava.

 

Nesta semana, a CBF soltou uma nota em seu site autorizando apenas as partidas que estavam previstas até o dia 30 de janeiro, e só em caráter amistoso.

O documento ainda convocava os membros da Liga e discutir a inclusão da competição no calendário de 2017 “sem nenhuma infringência às leis, regulamentos e estatutos”.

 

Pois bem. Ai está mais um round na luta do rochedo contra o mar. No meio deles os mariscos.

Tudo que é forçado não alcança bons resultados. Uma negociação envolvendo homens maduros, dirigentes experientes, acabou resultado em uma briga de adolescentes e na arrancada queimaram um produto que poderia ser uma fonte de renda espetacular.

A Primeira Liga largou pedindo R$ 80 milhões de cota de TV. Levou R$ 5 milhões e o restante dos parceiros acabou fugindo da conversa, devido ao espalhafato público e as brigas na imprensa.

Roupa suja lavada na calçada de casa com direito a briga de vizinhas e bate boca em nível raso.

Chama a mãe que o pai está louco!

 

Um novo goleiro

terça-feira, janeiro 26th, 2016

 

A Chapecoense confirmou a contratação do goleiro Marcelo Boeck, vindo do Sporting de Portugal. O atleta deseja um encerramento de contrato com o Sporting para assinar um novo contrato com a Chapecoense e desta forma evitar um empréstimo. Ele quer o final de seu vínculo com o clube lusitano.

Jogador de muita experiência, tem 31 anos e 1,91 de altura. Uma curiosidade é que pelos times que passou ele foi na sua maioria reserva.

O técnico Guto Ferreira o conhece dos tempos da base do Internacional, sabe da sua formação, fato que contribuiu para a sua contratação.

Agora Danilo terá uma sobra de respeito. A temporada passada de Danilo não foi boa. Teve lesão e muitas falhas. É um grande goleiro que já fez muito, mas que não pode ser a única opção de qualidade para a posição.

A chegada de Marcelo Boeck fecha uma jogada de muito arrojo da Chapecoense e demostra que ela é uma refência importante para jogadores que desejam voltar ao futebol brasileiro em time de Série A. Fato semelhante foi a contratação de Túlio de Melo.

Resta saber agora como será o comportamento do técnico Guto Ferreira. Certamente Boeck terá a sua chance. E quando ela chegar, terá de agarrá-la com todas as forças, pois se Danilo agora tem sombra, Marcelo tem uma concorrência pesada para ser titular.

Que seja bem-vindo e que faça história.

Problema bom para ser resolvido. Grande contratação.

 

 

Dúvidas e esperanças

domingo, janeiro 24th, 2016

Chapecoense 1×1 Passo Fundo.

 

O primeiro tempo foi todo da Chapecoense, com apenas duas conclusões do Passo Fundo, uma no começo e outra no final da primeira etapa.

Os gols da Chapecoense não aconteceram por falhas nas conclusões e muito pela individualidade, principalmente de Maranhão.

O gol sofrido pela Chapecoense foi um descuido, uma fala de definição da zaga, bem característica de amistosos, quando uma dividida mais forte está fora de questão.

A segunda etapa começou com o Passo Fundo com a mesma equipe e a Chapecoense com apenas uma modificação. Entrou Ananias no lugar de Silvinho. Acreditei que o ritmo seria de jogo mesmo. Nada disso. Em uma pancada só o time de Guto Ferreira foi todo trocado, com a exceção de Ananias que havia entrado no intervalo.

O time ganhou mais força e algumas boas notícias apareceram. Gostei de Hyoran, do jovem Perotti e Martin Alaniz. Eles realizaram várias jogadas em combinação. Martin foi o grande destaque, com suas arrancadas fortes e bons passes. Chuta bem, também.

O gol de empate da Chapecoense foi de Ananias.

Do time dito titular gostei da atuação de Silvinho. Achei que Lucas Gomes ficou devendo. O Gimenes esteve um pouco abaixo, O maranhão muito fominha e o Kempes se esforçou, mas a bola chegou pouco. De resto, tudo certo.

A Chapecoense mereceu vencer, mas o resultado é o menos importante em um amistoso.

Está muito claro que a chegada de uma meia de ligação e um ala pela direita é uma urgência.

Agora é começar a buscar pontos, no sábado, contra o Inter de Lages.

Tem muito trabalho pela frente.

Neste segundo amistoso, o técnico Guto Ferreira fez três mudanças em relação ao jogo contra o Ypiranga. A Chape começou a partida com Danilo, Gimenez, Neto, Willian Thiego, Dener, Gil, Cleber Santana, Lucas Gomes, Silvinho, Kempes e Maranhão.

Na volta do intervalo, Ananias entrou no lugar de Silvinho na Chape. Depois técnico Guto Ferreira trocou os outros nove jogadores de linha. Apenas o goleiro Danilo foi mantido em campo.

Entraram: Andrei, Rafael Lima, Marcelo, João Lucas, Moisés, Josimar, Hyoran, Perotti e Martín Alaníz.

 

 

FOTO – Assessoria de Imprensa Chapecoense. 

Futebol e religião

quarta-feira, janeiro 20th, 2016

Dois temas que podem ser leves ou áridos, conforme a abordagem.

A escolha pela religião Adventista impediu que o goleiro Vitor, do Londrina, viesse jogar a Série A do Brasileiro pela Chapecoense. Sua religião respeita o sábado e neste dia, trabalhar está fora de questão.

A primeira questão é respeitar a decisão do atleta. Ele fez a sua opção.

Por ser uma situação rara no futebol a analise é inevitável.

O atleta se recolheu e preferiu não comentar o assunto. E nem é necessário mesmo. A Chapecoense desistiu do negócio, pois avaliou como inviável respeitar a opção religiosa do atleta. Se o contrata-se, seria obrigada a respeitar, assim como faz o Londrina, que deve renovar o contrato do goleiro em maio deste ano, até o final da temporada.

O goleiro Vitor mostra um respeito impressionante por sua religião, ao ponto de deixar de lado a grande oportunidade da sua carreira.

Certamente dinheiro e projeção profissional não são prioridades para ele. A religião sim.

O futebol e a opção religiosa que não permite trabalhar aos sábados são completamente incompatíveis.

Revezar goleiros para respeitar uma opção religiosa é um risco muito grande. Em outras atividades é plenamente possível, mas no mundo da bola é um limitador.

Sorte de Vitor que o Londrina não pensa assim.

O adventista e o sábado

Encontrei o texto na internet e o achei muito interessante, leia:

Porque adventistas não trabalham no sábado?

Por que o sábado é dia de descanso estabelecido por Deus quando criou o mundo. Está nos dez mandamentos.
Abra a bíblia em Exôdo 20, versos: 8-11;
Não trabalha desde o pôr-do-sol da sexta-feira até o pôr-do-sol do sábado. Por que na verdade, o outro dia não começa depois da meia-noite e sim depois do pôr-do-sol.
Não trabalhar, não significa não fazer nada, e sim, elevar sua mente ao altíssimo, deixando as coisas mundanas de lado. Fazer coisas que você não faz durante a semana (segunda a sexta) e vice-versa (não fazer no sábado o que faz durante a semana).
O sábado é um dia para ir à igreja, louvar, dar estudo bíblico, testemunho, trabalho missionário em geral. É o dia em que a família fica junta.
É claro que há exceções, profissões como medicina, polícia, bombeiros, que salvam vidas ou que prestam serviços indispensáveis à sociedade, devem continuar a trabalhar, afinal, Jesus fazia milagres no sábado.

 

FOTO – LONDRINA EC. 

Arena Condá em reformas

terça-feira, janeiro 19th, 2016

 

Andei pela Arena na tarde de segunda-feira e aproveitei para conferir de perto as reformas estruturais que estão sendo realizadas pela Chapecoense.

Novos banheiros para eles e para elas no setor das cadeiras. Os locais não mudarão, mas serão novos, em substituição aos obsoletos e mau cheirosos.

Novos banheiros destinados a imprensa estão sendo construídos. Pequenos, mas funcionais e adequados as necessidades.

As cabines de rádio e TV estão merecendo uma atenção especial, a começar pela troca das portas de todas elas, alguns locais que antes eram pequenos depósitos serão transformados em pequenas cabines e os camarotes da Chapecoense e das equipes visitantes serão agora no mesmo nível das cabines, melhorando em muito o conforto de todos e a visualização do jogo.

Dentro das possibilidades e daquilo que permite o espaço físico as obras estão sendo realizadas.

Os espaços que eram destinados a imprensa e estavam improvisados em lonas e estandes de exposição foram eliminados.

A sala de imprensa recebeu uma boa climatização.

A internet foi ampliada e melhorada para aqueles que estão autorizados a utilizá-la.

O gramado passa por mais uma recuperação e está recebendo a atenção profissional de sempre.

Finalizando com a academia e os novos vestiários que estão em ótimo padrão. Evoluindo.

Semana de amistosos e escolhas

domingo, janeiro 17th, 2016

 

A Chapecoense inicia a semana mais importante se sua preparação para a temporada 2016.

Serão dois amistosos. Na quarta-feira dia 20 a Chapecoense vai a Erechim para um evento um pouco diferente, quando jogará com quatro formações em tempo de 30 minutos cada contra o Ypiranga, para testar a todos com a bola rolando em situação de jogo. Bom.

Já no sábado será a vez de receber aqui o Passo Fundo, em jogo normal, com dois tempos de 45 e creio com a formação titular que deve começar o Campeonato Catarinense em campo. O jogo será na Arena Condá às 17 horas.

O período até aqui foi de muitas avaliações clinicas, de preparação física pesada e claro de análises técnicas, mas nada como bons amistosos para referendar as impressões do técnico ou mesmo para desfazer convicções.

A Chapecoense manteve uma boa base de jogadores da temporada passada e a comissão técnica, portanto, tem uma missão teoricamente mais fácil do que aqueles que começaram do zero.

Faltam peças para fecha o elenco. A saída de Apodí demanda a contratação de um ala pela direita. A saída de Camilo ainda não foi reposta e mais um atacante de área, creio, seria muito importante.

O mercado estará movimentado na semana e a Chapecoense pretende anunciar contratações.

A Copa da Vergonha

domingo, janeiro 17th, 2016

 

A Copa Sul-Minas-Rio, montada pela Primeira Liga recebeu a notícia de que não está autorizada pela CBF, que não poderá ser realizada nem mesmo em âmbito amistoso e que os clubes poderão ser punidos em caso de desobediência. E agora?

É uma bagunça que tem a cara do Brasil. Vivemos um momento de desorganização tão marcante que em esferas importantes como a política, o futebol profissional e na organização da Olimpíada do Rio, os problemas se acumulam de tal forma que parece que perdemos a noção das coisas.

A Primeira Liga é uma inciativa que pretende desbancar a CBF, mas que nasceu com tantos problemas e com tanta desorganização que não posso imaginar que vingue.

Sobre a Copa Sul-Minas-Rio, para encaixar a competição no calendário o primeiro Gre-Nal do ano vai valer pela Copa e pelo Gaúchão. É de um ineditismo fantástico. É a superação do inimaginável.

Mais um impasse está criado e com isso a guerra está retomada entre CBF e Primeira Liga. Quem sairá vencedor? Como em qualquer guerra, todos sai perdendo, principalmente o povo. No caso os derrotados serão os torcedores.