Futebol e religião

Dois temas que podem ser leves ou áridos, conforme a abordagem.

A escolha pela religião Adventista impediu que o goleiro Vitor, do Londrina, viesse jogar a Série A do Brasileiro pela Chapecoense. Sua religião respeita o sábado e neste dia, trabalhar está fora de questão.

A primeira questão é respeitar a decisão do atleta. Ele fez a sua opção.

Por ser uma situação rara no futebol a analise é inevitável.

O atleta se recolheu e preferiu não comentar o assunto. E nem é necessário mesmo. A Chapecoense desistiu do negócio, pois avaliou como inviável respeitar a opção religiosa do atleta. Se o contrata-se, seria obrigada a respeitar, assim como faz o Londrina, que deve renovar o contrato do goleiro em maio deste ano, até o final da temporada.

O goleiro Vitor mostra um respeito impressionante por sua religião, ao ponto de deixar de lado a grande oportunidade da sua carreira.

Certamente dinheiro e projeção profissional não são prioridades para ele. A religião sim.

O futebol e a opção religiosa que não permite trabalhar aos sábados são completamente incompatíveis.

Revezar goleiros para respeitar uma opção religiosa é um risco muito grande. Em outras atividades é plenamente possível, mas no mundo da bola é um limitador.

Sorte de Vitor que o Londrina não pensa assim.

O adventista e o sábado

Encontrei o texto na internet e o achei muito interessante, leia:

Porque adventistas não trabalham no sábado?

Por que o sábado é dia de descanso estabelecido por Deus quando criou o mundo. Está nos dez mandamentos.
Abra a bíblia em Exôdo 20, versos: 8-11;
Não trabalha desde o pôr-do-sol da sexta-feira até o pôr-do-sol do sábado. Por que na verdade, o outro dia não começa depois da meia-noite e sim depois do pôr-do-sol.
Não trabalhar, não significa não fazer nada, e sim, elevar sua mente ao altíssimo, deixando as coisas mundanas de lado. Fazer coisas que você não faz durante a semana (segunda a sexta) e vice-versa (não fazer no sábado o que faz durante a semana).
O sábado é um dia para ir à igreja, louvar, dar estudo bíblico, testemunho, trabalho missionário em geral. É o dia em que a família fica junta.
É claro que há exceções, profissões como medicina, polícia, bombeiros, que salvam vidas ou que prestam serviços indispensáveis à sociedade, devem continuar a trabalhar, afinal, Jesus fazia milagres no sábado.

 

FOTO – LONDRINA EC. 

4 comentarios para “Futebol e religião”

  1. Silvio SZ disse:

    É a tal coisa né.
    Mas se o dito adventista num sabado qualquer,precisar ir na farmacia ou no supermercado ou no Pronto socorro por uma emergencia, aí tem q ter um que o atenda , que trabalhe para atende-lo. Bah, ainda bem q nem todos sao adventistas.
    E o Pastor será que recebe o dízimo num sabado????

  2. Moraesão disse:

    Pode abandonar! Esse aí já está aposentado, nenhum clube vai ficar com jogador que não pode jogar sexta e sábado.

  3. ghioni romanovski disse:

    Ele jamais poderia trabalhar na pittol ehhehehe

  4. Moraesao disse:

    Aqui em Floripa andam falando que o jogo da sul Minas entre Grêmio e Avaí vai ser em Chapecó? Alguém confirma isso?

Deixe um comentario