Arquivo para fevereiro, 2016

Sem criar fantasmas

segunda-feira, fevereiro 29th, 2016

Os jogos contra o Criciúma sempre foram duros e muito competitivos, independente da fase que vivem as equipes.

O jogo de quarta-feira aqui em Chapecó, entre Chapecoense e Criciúma vale uma vaga da final da competição, uma possibilidade de atalhar os dois jogos finais e uma Copa do Brasil em 2017.

O que não pode é criar fantasmas agora! Tem gente que anda apavorada com o jogo e acreditando que a Chapecoense já perdeu! Como assim?

Todos os indicadores são favoráveis a Chapecoense. Pode até perder por um gol de diferença que vai a final. O jogo será aqui. O time deverá estar completo e a Arena deve receber o maior público do ano, pois tem promoção nos ingressos (veja abaixo).

Não existe uma garantia de que o Criciúma já esteja vencido. O time do Tigre é jovem, voluntarioso, está realizando uma campanha muito boa a Roberto Cavalo sabe mexer com o elenco e está extraindo muitas qualidades da rapaziada, mas a Chapecoense tem time melhor e mais maduro e jogará em casa e com três possibilidades de resultados, ou seja, precisará jogar pela janela a vaga e entrega-la ao Criciúma.

O discurso de respeito está sempre presente, mas a verdade é que a Chapecoense está com tudo ao seu lado para chegar a decisão. Precisará apenas jogar como vem jogando na maioria dos jogos e confirmar a grande fase.

Para o Criciúma levar a vaga a Chapecoense terá de colaborar e muito para tal.

Serviço do jogo

segunda-feira, fevereiro 29th, 2016

Chapecoense x Criciúma

Data: 02.03.2016

Horário: 21h45

Local: Arena Condá

Valores dos ingressos:

Geral R$ 40 – sócio pode comprar ingresso pela metade do preço – R$ 20.

Social R$ 60 – sócio pode comprar ingresso pela metade do preço – R$ 30.

Cadeiras R$ 100.

 

Os sócios para terem acesso à partida deverão estar com a mensalidade em dia.

Menores até 12 anos precisam retirar seu ingresso na sede do clube até 24h antes do jogo.

A partir de 13 a 18 anos, estudantes e idosos pagam meio-ingresso.

Meio ingresso válido apenas para Geral e Social.

Vendas de ingressos:

A partir de terça-feira (01) na sede da Chapecoense das 9h às 12h e 13h30 às 18h e nos pontos de venda a partir das 9h do dia 01.

Posto de Marco

Maidana Esportes

Palácio dos Esportes

Secretária do clube

Abertura de bilheterias da Arena na quarta (02) – 18h

Abertura dos portões – 19h45

Inicio do jogo – 21h45

Fechamento das bilheterias da Arena aos 10 minutos do 2º tempo.

Fechamento dos portões de acesso aos 30 minutos do 2º tempo.

Abertura dos portões para a saída da torcida local aos 40 minutos do 2º tempo.

Abertura dos portões para a saída da torcida visitante até 30 minutos após o encerramento da partida.

Atendimento na sede do clube

Haverá atendimento no dia do jogo até às 18h

Lucro e travessão

domingo, fevereiro 28th, 2016

 

Joinville 0×0 Chapecoense

 

O jogo em Joinville não foi bom. Limitado tecnicamente pelo gramado pesado e por duas equipes com defeitos.

A Chapecoense sem Gil perdeu muito e sem Neto na zaga, da mesma forma.

O Joinville é muito fraco e necessita de investimentos, caso contrário a temporada será um filme de terror.

O Joinville teve três bolas na trave da Chapecoense. Em uma delas teve a bola do jogo e errou. Não mereceu vencer.

A Chapecoense controlou o jogo na experiência, matou tempo, sofreu algumas pressões e levou até o final com o placar fechado.

O zagueiro Marcelo da Chapecoense foi expulso por duas reclamações, em um mesmo lance. Foi infantil e irresponsável, desagradou e muito o técnico Guto Ferreira e a diretoria como um todo. Será cobrado como deve e merece.

O Joinville foi vaiado ao final do jogo pelos seus torcedores, que cobram investimentos e estão muito preocupados com o futuro do JEC.

Agora é decidir a vaga para a final em casa, contra o Criciúma, na quarta-feira às 21h45min, podendo até perder por 1×0. A vantagem existe, mas não é tão grande assim, ou seja, será noite de jogo duro e de muita aplicação. Será a noite de lotar a Arena Condá e fazer a diferença de dentro para fora e de fora para dentro.

Sinceridade

quinta-feira, fevereiro 25th, 2016

A primeira avaliação de Guto Ferreira após a vitória de 3×0 sobre o Metropolitano foi de que a Chapecoense não realizou um bom jogo.

Ele foi sincero e desta forma, além de vencer o jogo, cravar até aqui uma campanha de mais de 90% de aproveitamento, ganha a confiança de todos ao realizar uma análise em que ele contesta, apesar do triunfo, uma atuação que deixou a desejar em alguns aspectos e não lhe agradou.

Assim se monta um time vencedor.

Tenho muita bronca de técnicos que perdem jogos e na hora da entrevista coletiva enchem os ouvidos de com estatísticas furadas e uma enrolação que apenas vai construindo a estrada para a demissão.

Mesmo ganhando e com uma campanha impressionante, Guto Ferreira está fazendo a leitura correta e deixando claro que a equipe precisa evoluir e que o grupo ainda tem mais para dar.

Outro traço de personalidade que gosto em Guto Ferreira é seu total desprendimento em relação a autopromoção. Ele sabe valorizar o trabalho do conjunto, mas sempre deixa de lado os autoelogios que são muito comuns em uma casta de técnicos. Jornalista é outra raça que adora ser bajulado e se auto afirmar como gênio.

A forma limpa como o técnico da Chapecoense avalia as atuações da equipe e como ele projeta a sequência abrem a visão em relação ao seu trabalho e sobre tudo que está sendo feito. Poucas vezes vi a diretoria tão satisfeita com um profissional.

Vitória tranqüila e favorável

quarta-feira, fevereiro 24th, 2016

Chapecoense 3×0 Metropolitano

 

Foi uma vitória tranqüila, com controle de jogo na maior parte do tempo e sem maiores sustos, tirando uma ou outra estocada do Metropolitano.

O primeiro tempo foi um baile de bola da Chapecoense, tanto que construiu com menos de 20 minutos um placar de 2×0.

Na segunda etapa veio aquela acomodação natural de uma equipe muito superior e com isso um crescimento do Metro, mas nada que pudesse colocar medo.

Nos momentos finais a Chapecoense forçou um pouco mais e chegou a criar três situações de gols muita claras, até que Cleber Santana dominou, serviu Dener e William Thiego desviou com categoria para dar números finais ao jogo.

Uma campanha irrepreensível até aqui, com seis vitórias e apenas um empate.

Falta mais um pequeno passo em dois jogos para a conquista do turno, de uma vaga para a Copa do Brasil e para entrar no returno embalado para buscar mais um triunfo e quem sabe, evitar os jogos decisivos e ser campeã de forma direta.

De ruim no jogo a lesão do zagueiro Neto e o terceiro amarelo de Gil. De resto tudo certo, tranqüilo e favorável.

 

Chape x Metro

terça-feira, fevereiro 23rd, 2016

Jogo fácil são poucos e não se enquadra na categoria o jogo de amanhã, às 19:30, entre Chapecoense e Metropolitano de Blumenau, na nossa Arena.

Certamente não será o Metro uma equipe que enfrentará a Chapecoense com os medos do Figueirense, com o anti-jogo deles e com a profusão de faltas cometidas pelo visitante no jogo de domingo passado.

O Metropolitano não teve nenhum atleta expulso até aqui na competição. Com 44,4% de aproveitamento, o Metropolitano ainda não embalou, mas é time que joga com a bola no chão e tem lá suas virtudes e perigos.

A Chapecoense terá de jogar com muita aplicação e obediência tática, pois eu tenho a certeza de que o Metropolitano será muito mais adversário do que foi o Figueirense.

Resta aos visitantes atacar. O resultado negativo do final de semana precisa ser neutralizado.

Para a Chapecoense, vencer significa ficar a dois pontos em dois jogos da conquista do turno, da vaga a decisão e de mais uma Copa do Brasil.

 

O Metropolitano de Espinosa

terça-feira, fevereiro 23rd, 2016

A carreira como técnico de futebol de Valdir Espinosa começou em 1979 no Esportivo de Bento Gonçalves do RS.

Comandou clubes gigantescos. Trabalhou na Arábia Saudita, no Japão, no Paraguai e foi levando a sua carreira.

No Grêmio alcançou a glória conquistando a Libertadores da América e o Mundial de Clubes em 1983.

Foi o auge de sua carreira. Uma biografia muito interessante deste gaúcho de Porto Alegre e de 68 anos de idade, bem vividos.

No Metropolitano sua contratação foi uma surpresa. O time de Blumenau é afeito a contratações de peso, como seu novo técnico e Léo Moura.

Afirmar que Valdir Espinosa conhece de futebol é quase uma redundância. Ele conhece futebol e a história do futebol.

Com o seu Metropolitano ele ainda não ele ainda não acertou a mão e está com oito pontos na tabela, sem chances de voos maiores no turno, mais ainda na luta pela vaga a Série D, grande objetivo da temporada. O desafio é não deixar o Inter de Lages escapar, justamente o time que lhe derrotou no final de semana em Jaraguá do Sul.

Não jogar em Blumenau atrapalha uma barbaridade.

Amanhã, na casamata da Arena Condá, comandando o Metropolitano, estará um senhor quase septuagenário, de nenhum cabelo, em boa forma e de cabeça lúcida para tudo, principalmente para o futebol. Estará lá um campeão de Libertadores da América e um Campeão do Mundo. Feitos reservados para poucos.

FOTO – Assessoria de Imprensa Metropolitano. 

Problema e solução

segunda-feira, fevereiro 22nd, 2016

O deslocamento de Gil (foto) para a ala direita devido à lesão de Gimenez foi uma decisão acertada do técnico da Chapecoense, Guto Ferreira.

Com a saída de Gil da meia cancha, ele tratou de escalar o experiente Josimar na posição. Até agora a resposta foi negativa.

Na ala direita Gil está dando um show que se fosse possível ele deveria ser efetivado na posição deixando o Gimenez no banco. O problema está na deficiente fase de Josimar. Ele erra passes, arma contra-ataques dos adversários e está perdido no time. Nitidamente está fora de sua melhor forma e sem ritmo de jogo, que já deveria ter adquirido.

Um problema e uma solução. Ainda bem que a solução está sendo mais forte do que o problema.

A jogada do gol de domingo é de uma plástica impressionante. A forma como Gil chamou três para a marcação e encontrou a solução em apenas um bote, tirando todos da jogada, aplicando uma caneta e concluindo por elevação e matando o goleiro na jogada, reuniu um repertório de jogadas de muita criatividade e assinou um gol para ser revisto muitas vezes.

O técnico Guto Ferreira declarou que a Chapecoense não é um super time. Todos deveriam saber isso, mas ele frisou para que todos sigam com os pés no chão. Ninguém melhor do que ele para saber os defeitos e as virtudes do time, mas no jogo de domingo eu achei o técnico muito previsível. As entradas de Neném e Kempes não mudaram nada. Havia melhores opções para dinamizar o jogo. Mas no final, Gil tirou o coelho da cartola.

FOTO – Assessoria de Imprensa Chapecoense.  

Vitória no final

domingo, fevereiro 21st, 2016

Chapecoense 1×0 Figueirense

Como manda a regra, dois times em campo, senão teríamos um WO.

Em campo, um time que atacou o jogo todo, que foi a Chapecoense, que propôs o jogo, que foi para cima, que buscou vencer o tempo todo, jogando com lealdade e que venceu ao final, passados dos 40 minutos da etapa derradeira.

O outro time, o Figueirense, veio para não jogar, para amarrar o jogo, para fazer o jogo parar e para atuar com 11 atrás da linha de meio de campo e o mais próximo da sua área.

Lendo isso parece que a missão da Chapecoense seria muito fácil. Nada disso. A Chapecoense foi muito mais time, mas a última bola não acontecia e a bola não entrava.

Começou a se criar um clima de ansiedade e com a chegada dos 40 minutos da etapa final parecia que a escrita de não vencer a nove jogos aumentaria para 10. Seria uma injustiça.

Eis que aparece Gil pelo lado direito, faz uma jogada maravilhosa e produz um gol espetacular, digno de grandes jogadores.

Não chegou a ser sofrido, mas foi irritante.

O goleiro Danilo não realizou nenhuma defesa, Não fez nada, absolutamente nada no jogo.

Do outro lado a Chapecoense amassava, mas a dita não beijava a rede.

Justiça no marcador. A Chapecoense quis jogar e ganhou. O Figueirense é um time sem norte e sem nada, que precisará começar do zero. Problema deles.

A Chapecoense fez a sua parte. Vitória mais do que importante.

No pulmão do mundo

sexta-feira, fevereiro 19th, 2016

 

Chapecoense jogará dia 06 de abril na Copa do Brasil contra o Princesa do Solimões em Manaus na Arena da Amazônia, estádio de Copa do Mundo, mais um. Passagens compradas. Rádio Chapecó e Antena 1 FM estarão lá, como sempre, ao vivo.

Se houver jogo de volta será dia 14 de abril.