Arquivo para março, 2016

Base forte

quinta-feira, março 31st, 2016

 

Na quarta-feira, final de tarde, começo de noite, a Chapecoense venceu o Atlético-MG, na Arena Condá, por 1×0, gol de Lima, credenciando a equipe sub-17 da Chapecoense a jogar em Sete Lagoas-MG, na Arena do Jacaré, o segundo jogo da primeira fase da Copa do Brasil. O jogo será na próxima quinta-feira.

A base da Chapecoense, apesar de ser um projeto jovem, já contabiliza conquistas importantes e um cartel de participações em certames de nível nacional e internacional.

Sempre ouvi falar muito na implantação das categorias de base na Chapecoense, mas o projeto não decolava, muito pela falta de recursos, pois não havia condições de manter uma equipe profissional com um orçamento muito reduzido e ainda investir na base. A Chapecoense sequer tinha um campo de treino.

Quando a Chapecoense chegou a Série A do Campeonato Brasileiro e o orçamento deu um salto grande, o projeto se viabilizou e hoje tem um investimento que até pouco tempo mantinha a estrutura profissional.

Poucas são as equipes que se balizam em projetos bem feitos para a formação de atletas, atrelados a clubes sérios.

Existem muitos projetos particulares.

A Chapecoense está dando um retorno a própria associação. De uma entidade que devia R$ 1 milhão e que estava na iminência de fechar as portas para uma entidade que investe R$ 2 milhões por ano na base, passaram-se apenas 10 anos.

Meu reconhecimento a esta diretoria que pensa grande, olha o futuro e está construindo um projeto maravilhoso e que serve de exemplo para o Brasil.

Base forte, time forte, instituição grande.

Sub-17 da Chape vence o Atlético Mineiro

quarta-feira, março 30th, 2016

Na tarde desta quarta-feira (30), o sub-17 da Chape encarou o Atlético Mineiro, na Arena Condá, pela Copa do Brasil da categoria. A partida de ida era válida pela primeira fase da competição.

Na primeira etapa, a Chape foi melhor, criando boas oportunidades levando perigo ao gol da equipe mineira. Em duas chances com Luiz Pedro e Péricles, o placar só não foi aberto porque a trave impediu o gol verde e branco.

No segundo tempo, a equipe comandada pelo técnico Agnaldo Pereira foi para cima. Aos 17 minutos, o meio-campista Lima, chutou na saída do goleiro, abrindo o marcador na Arena Condá. O placar final ficou no 1 a 0.

Com o resultado, a Chapecoense joga por um empate para avançar para a segunda fase. O confronto decisivo será na próxima quinta (07), às 17h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).

Foto e texto: Giba Pace Thomaz – Assessoria de Imprensa Chapecoense. 

Vesgos

quarta-feira, março 30th, 2016

Tem gente atravessando os olhos na análise deste jogo entre Figueirense e Chapecoense no sábado à tarde no Orlando Scarpelli.

Estão querendo colocar a Chapecoense dentro de uma área de pressão que não é dela.

A Chapecoense já está na decisão do campeonato e se houver dois jogos decisivos a taça será entregue aqui em Chapecó.

A pressão é do Figueirense, que precisa ganhar para se aproximar da ponta da tabela.

A Chapecoense em cinco jogos venceu quatro e empatou apenas um. O Figueirense venceu três e empatou duas, faz boa campanha, mas nada que possa remeter ao extraordinário.

Se a Chapecoense perder, pode se afastar da condição de luta pelo returno e perderá a sua invencibilidade, mas seguirá confirmada na final. Se o Figueirense perder, terminou o campeonato. A pressão está em cima do Figueirense. Parem de colocar a Chapecoense no meio de um furacão que não existe. Vesgos!

Preparativos intensos em Manacapuru

quarta-feira, março 30th, 2016

Na quarta-feira da próxima semana a Chapecoense jogará em Manacapuru no Amazonas, contra o Princesa do Solimões, pela Copa do Brasil.

O jogo que estava marcado preliminarmente para Manaus, foi levado para o interior, a pedido do Princesa, no que está muito certo.

Agora eles estão na luta para deixar o estádio Gilberto Mestrinho, o Gilbertão, em condições de receber o jogo e toda a estrutura de imprensa que precisará ser montada, pois o estádio tem suas limitações.

Os contatos que realizei até agora comprovam o esforço da gente de lá em realizar um bom evento.

Estarei lá com o colega Douglas Dorneles para a cobertura do jogo através das rádios Chapecó AM 1330 e Antena 1 FM 107,1, além é claro do nosso Voz do Oeste, que será o único jornal presente. O jogo será às 16:30, hora de Brasília.

A Copa do Brasil tem se notabilizado por ser uma competição democrática e que possibilita a clubes de pouca expressão uma exposição nacional.

Pela Copa do Brasil já estive com a Chapecoense no Espirito Santo, no Acre, em Belo Horizonte e Sete Lagoas em Minas Gerais, em Brasília, Recife em Pernambuco, Porto Nacional em Tocantins e agora no Amazonas.

As tabelas da Copa do Brasil tem levado a Chapecoense para locais distantes, que nos proporcionam contatos com culturas muito diferentes e claro enriquecem nosso acervo de boas histórias.

Na segunda-feira voaremos em direção a Manaus e na quarta-feira pegaremos a estrada para Manacapuru, distante cerca de 80 quilômetros da Capital, floresta a dentro.

Copa do Brasil do outro lado do Brasil

terça-feira, março 29th, 2016

A CBF confirmou na segunda-feira o local da estreia do Fluminense na Copa do Brasil. O Tricolor enfrentará o Tombense-MG no estádio Soares de Azevedo, em Muriaé-MG, às 21h45 do dia 6 de abril – quarta-feira da semana que vem. O palco foi totalmente reformulado em 2014. Tem capacidade para mais de 13 mil pessoas.
Foram anunciadas modificações em outros cinco jogos da Copa do Brasil. O local de Princesa de Solimões-AM x Chapecoense, também no dia 6, passou da Arena da Amazônia para o estádio Gilberto Mestrinho, em Manacapuru (AM), e ainda teve mudança de horário: de 21h30 para 16h30. Não há refletores no campo – por isso a opção por jogar à tarde.

A partida de ida entre Ivinhema-MS e CRB-AL teve local definido: o estádio Luís Saraiva, em Ivinhema, às 16h do dia 6 de abril. Não há iluminação artificial no local. O duelo da volta passou do dia 20 para o dia 28 de abril, às 20h30, no estádio Rei Pelé, em Maceió.

Londrina-PR x Parauapebas-PA foi antecipado em um dia: de 7 para 6 de abril, no estádio Vitorino Gonçalves Dias, com o horário alterado para 19h30 (inicialmente, era 21h30). Juazeirense x Cuiabá (dia 6 de abril, às 20h30) também teve estádio definido: o Adauto Moraes, em Juazeiro.

 

TEXTO – globoesporte.com 

Um jogo e seus ensinamentos

domingo, março 27th, 2016

Chapecoense 3×3 Brusque

 

Para quem gosta de gols foi um show. Para o torcedor da Chapecoense uma tarde de angústia, para o torcedor do Brusque o sentimento de ir da glória a decepção de ceder um empate após abrir uma vantagem de três gols.

O primeiro tempo da Chapecoense foi muito ruim, levou três gols e se perdeu em campo, somado a uma atuação muito competente do Brusque de Mauro Ovelha que soube armar a sua equipe e envolveu a Chapecoense em todos os setores. Houve uma jogada espetacular de Lucas Gomes, que partiu do campo de defesa, foi passando por todo mundo e quando chutou a danada da bola resolveu bater na trave. Que pena! Quem sabe se aquela bola tivesse entrado a história do jogo seria outra. Mas ela não entrou.

Fim do primeiro tempo e todos atônitos com um placar de 3×0 para o Brusque, construído na bola, com futebol de qualidade.

Veio a segunda etapa e uma nova realidade. Para quem analisa futebol, o jogo não acaba com o apito final, é preciso ouvir com atenção as vozes quem saem da zona mista e da entrevista coletiva do técnico.

E foi na coletiva que o técnico da Chapecoense, Guto Ferreira, revelou algo muito importante. A cobrança pela atuação ruim da primeira etapa partiu de líderes do time, dos que jogam ou ficam no banco, como Cleber Santana, o capitão. Foi do vestiário, no intervalo, que as coisas começaram a ser resolvidas. O time voltou a campo antes da hora, tamanha era a vontade de reverter a situação.

O primeiro gol foi de pênalti, com Bruno Rangel, a menos de três minutos, que recolocou a Chapecoense no jogo.

O segundo gol foi uma pintura de Maranhão, um jogador que cresce a cada jogo.

E o terceiro e definitivo teve toques especiais. A entrada de Silvinho começou com um carinho do técnico que lhe disse ao ouvido que ele iria entrar e fazer o gol. Ele entrou e levou um cartão amarelo, pois pelo entendimento do árbitro ele não havia autorizado sua entrada. O goleiro da Chapecoense quase sofre um gol que seria uma tragédia, um frango gigantesco. A bola vai em direção ao ataque, um cruzamento vem da esquerda e Silvinho se antecipa a marcação, vai ao encontro da bola e de cabeça empata o jogo na sua primeira participação com bola no jogo. A premonição de Guto Ferreira se transformou em realidade.

Fim de jogo, o empate em 3×3 depois de estar levando um 3×0, o ensinamento da primeira etapa que quando se entra em campo desligado a derrota é certa e que com atitude e muito futebol como na segunda etapa a Chapecoense é um grande time. Segue e invencibilidade e a campanha exuberante que vai render o título sim e sem a necessidade de jogos finais.

Homenagem na hora certa

quarta-feira, março 23rd, 2016

A Chapecoense realizará uma merecida homenagem aos goleadores Índio e Bruno Rangel, dando a eles camisetas com suas marcas históricas de gols, 62 para Índio e 65 para BR9.

O evento será realizado sem vínculo com qualquer jogo. Por determinação do presidente Sandro Pallaoro (foto) festa é festa e jogo é jogo.

Como eu fico feliz em ouvir isso!

Antes de um jogo, muita festa tira sim o foco e parece que chama azar.

Tenho pavor de ouvir fogos de artifício antes de a bola rolar.

O jogo contra o Brusque, na tarde de sábado, está sendo tratado com a devida importância, reconhecendo as qualidades do adversário e sabendo muito bem que Mauro Ovelha é bom técnico.

Assim começa uma vitória. Entrar em campo fazendo festa, realizando homenagens, muitas fotos e imagens para a TV, enaltecendo marcas individuais em detrimento do coletivo, acaba em desastre.

Os homenageados receberão a merecida atenção e terão um evento somente para eles e o jogo será jogado com a seriedade que requer. A forma séria com que a Chapecoense está encarando o Campeonato Catarinense, deixando de lado todos os elogios, merecidos, e focando o campo de jogo, me agrada muito.

Chapecoense vence jogo-treino contra o Ypiranga

quarta-feira, março 23rd, 2016

A quarta-feira (23) foi de grupos divididos na Chape. Enquanto os titulares na última rodada participaram de avaliações físicas e funcionais em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, o outro grupo participou de um jogo-treino contra o Ypiranga, vindo de solo gaúcho. O Verdão venceu o confronto por 2 a 1.

O amistoso foi realizado no Centro de Treinamento da Água Amarela. A Chapecoense começou a partida com Marcelo Boeck, Michel, Neto, Rafael Castro, Lucas Mineiro, Andrei, Josimar, Nenén, Hyoran, Kempes e Silvinho. Também estraram no jogo Igor, Hiago, Lucas Scalon, Régis, Lourency, Lima e Wesley Natã.

O Verdão abriu o placar na primeira etapa com Silvinho. No segundo tempo, o Ypiranga igualou com Douglas. No fim da partida, o atacante Lourency marcou o gol da vitória da Chape. A partida serviu para o técnico Guto Ferreira dar ritmo de jogo para o grupo já pensando num time alternativo para estrear na Copa do Brasil, no dia 6 de abril.

De olho no Campeonato Catarinense, aa tarde desta quinta (24), o treinamento da Chapecoense será realizado na Arena Condá, a partir das 15h. O adversário do fim de semana será o Brusque.

 

FOTO E TEXTO – Cleberson Silva – Assessoria Imprensa Chapecoense. 

A reação de Maranhão

segunda-feira, março 21st, 2016

Ao ser substituído no jogo contra o Guarani em Palhoça, Maranhão saiu de campo revoltado, passou batido por Guto Ferreira e sequer abraçou o Hyoran que entrou em seu lugar. Ele, Maranhão, havia jogado pouco, muito longe de suas possibilidades.

No jogo de domingo, na goleada de 4×0 sobre o Avaí, ele foi exuberante. Só não saiu de campo escolhido como o craque, porque Bruno Rangel monopolizou as atenções.

É assim que se responde a uma substituição ou mesmo uma rápida passagem pelo banco, com futebol de qualidade e eficiência.

Ficar de cara emburrada, reclamando pelos cantos e se sentindo o renegado na história, de nada serve.

A eficiência de Maranhão ainda passa por fases, alternando grandes jogos com alguns ruins, fruto ainda de um amadurecimento do atleta. Pelo potencial que possui, pode e deve ser mais regular.

Ele ainda precisa melhorar a sua finalização, mas com Guto Ferreira está aprendendo a ser mais solidário e a servir seus colegas, o que o torna importante e hoje um titular incontestável.

Entendi definitivamente que a saída de Maranhão, de cara amarrada, naquele jogo, foi muito mais uma cobrança pessoal do que uma mera revolta ou ato de indisciplina.

A evolução individual de Maranhão desde a chegada de Guto Ferreira é marcante.

Uma tarde para a história

domingo, março 20th, 2016

Chapecoense 4×0 Avaí

 

Para começar o placar foi pequeno na comparação com as atuações das equipes em campo. A Chapecoense ganhou e deu um baile no combalido Avaí que está se arrastando em campo.

A Chapecoense hoje detém todos os números positivos do Campeonato Catarinense e tem a prerrogativa de ser a única com a possibilidade de ser campeã nesta temporada de forma invicta e sem a necessidade de jogos finais.

O Avaí está arrebentado. Não posso cobrar o técnico Raul Cabral e seus meninos, pois o que a diretoria do Avaí vem fazendo, chamar de incompetência é um elogio.

A tarde foi de Bruno Rangel. Ele rompeu a marca de Índio, é com folga o maior goleador da história da Chapecoense, pediu música no Fantástico e está com seu nome definitivamente registrado na história da Associação Chapecoense de Futebol.

Eu sinceramente esperava mais do Avaí, mesmo sabendo de suas limitações, mas a forma como a Chapecoense venceu o jogo deixa escancarado o momento muito ruim que vive o Leão da Ilha.

A arbitragem teve problemas nas duas bandeiras. Tanto Carlos Berkenbrock  como o Rosnei Hoffmann Scherer erram nas marcações de impedimentos, sendo inclusive o primeiro gol da Chapecoense um tento irregular.

A Chapecoense mais uma vez fez a sua parte e com sobras. O caminho está aberto para um feito histórico e tudo isso deve ser considerado.

 

FOTO – ASSESSORIA DE IMPRENSA CHAPECOENSE.