Cala-te

O que eu ouvi e li, vindo de Florianópolis, relacionado a derrota da Chapecoense para o Joinville me deixou extremamente indignado.

O exercício do jornalismo, em todas as editorias, precisa ser realizado com extrema responsabilidade.

Quem sabe, devido à baixa remuneração da categoria ou pela capacidade que a profissão tem em criar personalidades deformadas pela falta de humildade e pela prepotência, a qualidade da opinião e da informação tenha desabado. Tem muita gente boa trabalhando, mas tem muito bandido armado de microfone e caneta.

Disseram que a Chapecoense perdeu propositalmente para desta forma escolher o adversário, para fugir do Figueirense.

Uma declaração dessas cria uma clima muito ruim entre Chapecoense e Joinville.

O Figueirense não está na decisão não pela derrota da Chapecoense, mas sim por sua falta de qualidade.

Uma equipe que tem um atacante que foi expulso duas vezes em cinco jogos e disse para o árbitro que desejava o cartão vermelho para não jogar mais o Campeonato Catarinense, que tem outro atacante que está mais tempo no departamento médico do que em campo e que é tratado como craque e que tem um técnico que ano passado quase enterrou a Chapecoense e que disse ontem que o empate do seu time com o Camboriú, conquistado na base de um grave erro de arbitragem, foi bom e que seu time jogou muito bem, não pode chegar a uma decisão.

A Chapecoense está na decisão porque atropelou todos em grande parte da competição. O Joinville está na decisão porque passou por cima de todos no returno. São os dois melhores. O Figueirense não passou de um coadjuvante.

É muita falta de respeito e de responsabilidade profissional.

2 comentarios para “Cala-te”

  1. Pedroso disse:

    É pq a imprensa do litoral ainda deve tá achando que a Chape tem um bom time e venceria fácil o Joinville. Mas nós aqui de Chapecó sabemos que o time não entregou nada não, perderam por que são ruins e preguiçosos mesmo. E vão tomar mais 2 laços na final.

  2. florianopolis/chapeco disse:

    Isso aí Pedroso, falou a verdade.

Deixe um comentario