Equilíbrio entre as partes

A busca pelo equilíbrio é o grande desafio da vida.

Não importa o setor, seja público ou privado, equilibrar é o desafio.

A diferença entre o veneno e o remédio é a dose.

No começo da temporada, no Campeonato Catarinense, a Chapecoense encontrou um ponto de equilíbrio muito interessante, venceu quase todos, não perdeu para ninguém, foi a que mais marcou gols e menos sofreu e foi para a decisão carregando uma vantagem que se transformou em título.

No returno desequilibrou e depois voltou a jogar melhor, mas ainda sem a hegemonia do começo, ou seja, perdeu o ponto. É preciso reencontrá-lo.

O técnico da Chapecoense, Guto Ferreira (foto), detectou a demanda e disse após o jogo contra o Internacional, no empate em 0×0, que a Chapecoense está defendendo bem, saindo para a transição, mas está pecando na hora de atacar, ou seja, precisa reequilibrar as forças.

Eis o grande desafio e que bom que o técnico reconhece isso, pois outros profissionais que passaram e passam pela mesma situação, invariavelmente evitam comentar os defeitos de suas equipes, se escondem atrás de teorias fajutas e afundam o time antes de perder o emprego. Guto Ferreira está preferindo ser verdadeiro e abriu um debate muito interessante.

Na noite de hoje, frente ao Paraná Clube, é uma grande oportunidade para executar alguns projetos de mudança de postura da equipe, pois precisa marcar ao menos um gol e não pode pensar em sofrer, senão a missão de passar para a próxima fase da Copa do Brasil ficará muito complicada.

A busca do padrão de jogo, a definição do esquema, a chegada dos novos, a análise de suas possibilidades no momento, a escalação e eventualmente uma modificação aqui e outra ali para se adaptar ao jeito de jogar do adversário.

Parece fácil, mas não é! O bom é quando o técnico reconhece as necessidades do seu time. É o começo do acerto.

2 comentarios para “Equilíbrio entre as partes”

  1. Costa disse:

    A Chape está se defendendo bem, está bem postada taticamente na defesa. Mas as peças são ruins tecnicamente. Marcelo é fraco tecnicamente e Thiego é irregular demais, o jogo contra o inter foi prova disso, expulso infantilmente. Apenas o Neto é bom zagueiro. Os novos zagueiros contratados não geram expectativa. Temos q contratar urgente, Dracena tá dando sopa no palmeiras, já foi até liberado pra procurar outro time. Poderia ser um bom reforço. Outro é o Werley, reserva do Grêmio, não é um bom zagueiro, é apenas razoável, mas isso já melhor do que o que temos a disposição.
    No ataque, poderíamos buscar o Leo Gamalho, que daqui a pouco, com a saída do Nacional na libertadores, seria um bom reforço!
    Precisamos de mais um volante qualificado, Pierre é outro bom jogador q anda encostado.
    Precisamos de reforços que cheguem pra ser titular, não adianta inchar o time sem qualificação.
    Adelante, Chape!

  2. Augusto disse:

    Concordo com o Costinha. É preciso qualificar o grupo. Começou a Série A e o time é quase o mesmo do Catarinense. Não temos zagueiros. Com Neto machucado, só sobrou o Thiago de bom zagueiro, e esse não é confiável, pois toma muitos cartões bobos. Os 2 contratados, Felipe Machado e Demerson são incógnitas. Pierre e Edu Dracena seriam boas opções mesmo pra melhorar o Sistema Defensivo da equipe. E ainda tem que trazer mais um atacante de área . O restante da equipe tá ótimo.

Deixe um comentario