Não poderia ser melhor

 

A estreia de Caio Júnior teve ingredientes importantes para a formação de uma parceria duradoura e vitoriosa. É cedo, eu sei, mas quando começa bem a tendência é de uma sequência de jogos com muitos triunfos.

O técnico fez questão de deixar evidenciada sua agradável surpresa com os torcedores da Chapecoense e pela forma como ele foi acolhido e pelo comportamento antes, durante e depois do jogo.

Ficou evidente também que o time se ressentiu com a saída de Guto Ferreira, da forma como a situação foi conduzida, atingindo em cheio em seu rendimento nos jogos contra Atlético-PR e Sport.

Estabelecida a linha de comando o time voltou a render em campo e realizou a sua mais arrepiante atuação na Série A deste ano.

O zagueiro Rafael Lima (foto) deixou bem claro que ele e Guto Ferreira não se entendiam e sequer a sua família estava indo aos jogos, pois sabia que não entraria em campo. Começou na reserva e em menos de 10 minutos entrou em campo e fez do seu jogo 200 com a camiseta da Chapecoense uma atuação de luxo, sedo escolhido pela equipe de esportes da Rádio Chapecó como o melhor em campo. E sua família estava lá. Sintomático.

Um jogador tinha um desafio muito peculiar. O atacante Silvinho precisa atuar bem para referendar a sua escolha. Jogou uma enormidade, fez gol e assinou a vaga de titular com o novo técnico.

As escolhas do Caio Júnior por Arthur Maia e Kempes foram de uma felicidade ímpar. Entraram para definir o jogo.

A cobrança de falta de Arthur Maia foi de uma perfeição que a coloca entra as grandes cobranças da história.

Foi aquela bola no ângulo, que entrou exatamente no encontro da trave esquerda com o travessão e rolou por toda a rede até ser devolvida ao gramado já fora do gol. Coisa de Playstation.

A vitória sobre o Cruzeiro apagou a derrota para o Sport de forma magnífica. Todos nós estamos orgulhosos.

 

3 comentarios para “Não poderia ser melhor”

  1. thiagao, sincero disse:

    Calma jovem fernando.. hehehe, as derrotas virão e ai veremos como será a realidade das analises do tecnico e da torcida.
    mas que foi um jogão, foi.

  2. Augusto disse:

    Claro que as derrotas virão. Acho até que já no próximo jogo contra o Santos perderemos. Mas o que importa é o resgate da garra e da alma CHAPECOENSE. Foi um jogão de bola. Rafael Lima vai voltar a ser titular se jogar 50% do que jogou ontem. Ganhou todas. Fiquei muito feliz pelo gol do Silvinho, ele merecia.

  3. Samair disse:

    depois da dor de cabeça do ultimo domingo, fiquei mto chateado como qualquer torcedor, fiquei sem ver nada e ler nada da chape até o jogo de ontem…queria ter ido, mas tive que trabalhar, mas tava de ouvido ligado na radio, acho q a estreia nao podia ser melhor, jogo de virada, lances polemicos, time tendo que jogar contra o cruzeiro e a arbitragem…e no final veio a justiça um gol que nem consegui ouvir, pq depois do empate do cruzeiro me encomodei tanto com a arbitragem que desliguei o radio…mas na volta qdo liguei, só alegria….é isso que a gente quer, time jogando com vontade, honrando essa cidade e região, se vai ganhar ou não, é um detalhe, mas se jogar com vontade, sempre serão aplaudidos

Deixe um comentario