Deixa o guri trabalhar

O meia atacante da Chapecoense, Hyoran, está na berlinda, está sendo visto com outros olhos pelo mercado brasileiro.

Sobre Hyoran falam do interesse de grandes clubes de São Paulo. Até anteontem ele não tinha todo esse destaque, mas como recebeu boas chances e finalmente as soube aproveitar, mostrou suas qualidades e desta forma o mercado, carente de talentos, começou a analisa-lo de outra forma.

A maneira como Caio Júnior o tratou desde a sua chegada, a forma como o escalou e a valorização de seu talento e o reforço psicológico com elogios púbicos, surtiu efeito imediato.

Mas vamos com calma. Vamos deixar o rapaz trabalhar, sem criar expectativas exageradas, sem querer transforma-lo em craque, coisa que ele não é, criando apenas um ambiente de valorização, mas sem exageros.

Pais da criança começam a surgir. Normal. Quem valorizou em primeiro lugar o Hyoran foi a Chapecoense. Bancou ele, deu-lhe condições de trabalho e um contrato profissional.

Parte do seu passe foi sendo vendido, novos parceiros apareceram, a Chapecoense detém a maior parte e desta forma a sua valorização afeta a vários interessados.

O maior de todos os interesses está com Hyoran. Eles está na iminência de acertar um contrato longo e de valorização jamais sentida na sua carreira, dando retorno aos seus investidores, mas principalmente dando o salto financeiro que é sonhado por todos aqueles que ainda meninos escolheram o futebol como uma possibilidade de se profissionalizar, carregando seus sonhos e muitas vezes de toda uma família.

Pelo que sei Hyoran é um bom menino. Trabalhador e cumpridor de seus deveres. Merece ser reconhecido pelo talento nato que tem para jogar um bom futebol.

Neste momento, querer atribuir um valor ao seu passe, querer transforma-lo em patrimônio milionário, apenas atrapalha.

Fico feliz por Hyoran e por todos aqueles que acreditaram nele e investiram na sua carreira. O próximo passo será decisivo.

Deixe um comentario