Arquivo para a categoria: ‘Sem categoria’

Novo momento

terça-feira, outubro 4th, 2016

 

Para o jogo de quarta-feira a noite, às 19:30, na Arena da Baixada em Curitiba, a Chapecoense estará modificada por escolha do seu técnico, Caio Júnior.

Predominantemente o jeito de jogar sofrerá a mudança mais drástica da temporada. Os esquemas 4-4-2 e o 4-3-3 estão sendo deixados de lado para a volta do outrora consagrado, hoje ultrapassado, para muitos, 3-5-2.

A Chapecoense entrará em campo para encarar o Atlético no gramado sintético da Arena da baixada com: Danilo, Neto, William Thiego e Felipe Machado, Gimenez, Matheus Biteco e Gil, Cleber Santana e Dener, Tiaguinho e Kempes.

A intenção é reforçar a marcação de meio de campo e desta forma proteger mais a zaga, que esteve escancarada no último jogo e ao que parece a paciência de Caio Júnior chegou ao final com as cobranças em cima da zaga mais vazada da competição.

A presença de Gil no meio de campo pode devolver uma conexão mais afinada com os atacantes.

A volta de neto na zaga é a grande novidade da temporada nacional. Zagueiro de muita qualidade e que não teve de reposição quando de sua ausência para tratar da lesão na coluna. Já voltou e mostrou segurança.

Já no Atlético-PR o técnico Paulo Autuori tratou de ignorar a chegada do G6 e disse que o foco segue sendo o G4, aquilo que foi traçado no começo da temporada.

Provável escalação do Atlético-PR: Santos; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Nicolas; Otávio e Matheus Rossetto; Hernani, Lucho González e Lucas Fernandes; Pablo.

Desfalques para om jogo de hoje: Weverton (suspenso e na Seleção), Lucas Macanhan (contusão no joelho direito), Cleberson (lesões na face e no joelho), Sidcley (lesão na coxa direita), Deivid (transição), Luciano Cabral (entorse no tornozelo direito), Nikão (transição) e André Lima (edema no joelho esquerdo).

Estarei na Arena da Baixada em Curitiba para transmitir pela Rádio Chapecó AM 1330 e Antena 1 FM 107,1.

Já estaremos no ar à partir das 17 horas.

Coletiva

segunda-feira, setembro 14th, 2015

Na tarde de hoje a diretoria da Chapecoense realizou uma entrevista coletiva para falar sobre a demissão de Eutrópio, o encaminhamento para o novo contratado, que naquele momento ainda não havia sido anunciado.

Como já foi antecipado, Celso Rodrigues não será interino.

O presidente Sandro Pallaoro se mostrou indignado com o comportamento de parcela de torcedores que após a derrota para o Flamengo, ameaçaram jogadores e dirigentes, criando um clima muito ruim do lado de fora da Arena.

O presidente se mostrou muito irritado com algumas notas da imprensa que dariam conta de que os atletas estariam pleiteando R$ 4 milhões como prêmio para o não rebaixamento. Ele classificou de criminosas as especulações que teriam apenas a intenção de desestabilizar a Chapecoense. O alvo principal foi Roberto Alves do Grupo RBS.

Sobre comportamento de atletas fora de campo, disse não ter recebido nada e que se alguém tiver alguma prova de comportamento inadequado que mostre para ele.

E sobre possíveis dispensas de atletas, disse que vai aguardar a avaliação do novo técnico, mas que se for preciso, mandará gente embora.

Mais três na conta

domingo, julho 26th, 2015

Chapecoense 2×1 Fluminense

 

Todas as vitórias têm seus significados e suas importâncias. Afinal, vencer, é sempre a meta.

A de hoje contra o Fluminense teve significados ainda maiores.

Em primeiro lugar por ter deixado a Chapecoense longe da zona de rebaixamento.  Tem a importância de afastar uma crise que viria com a derrota. E a afirmação de Bruno Rangel como o nome do time. Dos dois, fez todos.

Hoje foi um daqueles jogos para perder ou no máximo empatar, em casa, mas veio uma vitória ao final das contas. Imerecida? Não. Merecida pelas circunstâncias, por aquilo que foi desenhado ao longo do jogo.

A primeira etapa foi equilibrada, com intensidade de parte a parte. O segundo tempo de jogo foi de maior domínio da Fluminense, que foi mais organizado, mais competente em campo, marcou melhor, mas teve duas deficiências que decidiram o jogo. Em primeiro plano foi uma equipe que cansou, sofreu na parte física e perdeu espaços importantes. E também, quando empatou e depois teve um gol anulado, acreditou ser o empate um resultado justo e assim criou possibilidades ao seu adversário. Perdeu justamente, portanto.

Sobre a arbitragem. Foi corajosa e jogou como um time. Errou ao não ser efetiva, mas acertou ao ser coletiva. As decisões ao final das contas foram corretas.

Já diria o Rei Roberto Carlos: Detalhes tão pequenos de nós dois, são coisas muito grandes para esquecer…

FOTO- Cleberson Silva – Assessoria Chapecoense.

Animador

domingo, janeiro 25th, 2015

A Chapecoense encerrou a sua pré-temporada com uma vitória de 3×1 sobre o Passo Fundo. Nos quatro amistosos não sofreu nenhuma derrota, foram dois empates e duas vitórias.

O time ainda não está pronto, mas o estágio na organização tática parece bastante avançado, demostrando que o elenco assimilou a proposta do técnico Vinicius Eutrópio.

Com certeza é a melhor pré-temporada de todos os tempos. O grupo está maduro e coeso, determinado a realizar um trabalho diferenciado.

Fisicamente ainda se nota a necessidade de avanços, natural, mas mesmo assim é raro ver uma equipe jogar com tanta velocidade em começo de temporada.

A pré-temporada foi toda realizada em Chapecó, nos bons gramados do CT da Água Amarela e na Arena. Não houve a necessidade de sair, realizar o trabalho longe de casa, em gramados de times amadores e com muitas improvisações.

O resultado já aparece dentro de campo.

O nível de contentamento da diretoria é grande. Todos enaltecem a maneira profissional com que atuou a direção de futebol. O planejamento financeiro que possibilitou uma ótima base para investir. A escolha do comandante técnico que rapidamente se adaptou à nova realidade. E as escolhas dos atletas, que parecem se conhecer há muito tempo. Tudo isso somado não garante conquistas, mas deixa uma margem de acerto muito maior em comparação com o ano passado.

Agora é começar a jogar para valer, no sábado, contra o Inter de Lages. A temporada promete.

A Chapecoense venceu por 3×1 o Passo Fundo com a seguinte formação: Danilo; Apodi (Lucas Machado), Douglas Grolli, Rafael Lima e Dener; Wanderson, Gil (Jajá), Barbio, Camilo e Ananias; Roger (Yuri).

Gols: Quem abriu o marcador foi Camilo, que aproveitou o cruzamento da direita de Gil e escorou de cabeça. Na sequencia foi a vez de Camilo serviu Roger dentro da área e o atacante do verdão tocar na saída do goleiro. Ainda na etapa inicial Wiliam Barbio invadiu a área pela direita e chutou cruzado para ampliar. Cleverson, campeão estadual com a Chapecoense em 2011, descontou para o Passo Fundo.

 

FOTO – CLEBERSON SILVA/CHAPECOENSE.

 

Noite de Rogério Ceni na Arena Condá

terça-feira, outubro 21st, 2014

Na noite desta quarta-feira, pisará o gramado da Arena Condá o maior goleiro da história do futebol brasileiro e um dos maiores do mundo.

Os números de Rogério Ceni são impressionantes.

A começar pelos 41 anos de idade e jogando em alto nível. Sinal de total entrega profissional.

Começou no Sinop no interior do Mato Grosso e em 1990 foi para o São Paulo. Está lá até hoje e será no São Paulo que fechará sua vitoriosa carreira.

Nasceu aqui perto, em Pato Branco, mesma cidade do presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro.

Como goleiro marcou 123 gols, algo sem precedentes na história do futebol mundial.

Sempre foi um líder nato, chamou responsabilidades, ganhou e perdeu com elegância e colaborou para forjar uma casta de bons goleiros. Quando se aposentar vai abrir uma das vagas mais cobiçadas do futebol brasileiro.

Na noite de hoje o gramado da Arena Condá vai receber uma das maiores legendas do futebol em todos os tempos.

Olhando a galeria de prêmios que Rogério Ceni recebeu, seria necessário reservar o espaço de toda uma coluna para enumerá-los.

Tenho muito apreço pelo histórico da carreira de Rogério Ceni. Vejo nele um exemplo maravilhoso para jovens atletas e um incentivo gigantesco para aqueles que no começo pensam em desistir. 

Vrummmmmm

domingo, novembro 24th, 2013

Vai ficar assim.

Quem me mandou foi meu amigo Davi Dávi, da Nostra Casa, ao qual agradeço e reitero meus votos de agradecimento e respeito. 

Sugestões

quarta-feira, novembro 6th, 2013

As torcidas organizadas da Chapecoense já realizaram grandes eventos de apoio ao time e sempre tiveram resultados positivos.

Deixo como sugestão uma união de todas as organizadas, em um verdadeiro manifesto de apoio ao elenco, a comissão técnica e a diretoria nesta reta final.

Agora é a hora de fazer a diferença. Eles merecem e estão precisando deste apoio e desta demonstração de confiança para alcançar o maior de todos os objetivos que é o de subir para a Série A.

Antes do embarque para Curitiba seria muito importante que uma demonstração de afeto e apoio irrestrito acontecesse. O impacto seria muito positivo.

Outra sugestão que deixo é para o técnico Gilmar Dal Pozzo, grande comandante desta campanha brilhante e que será consagradora.

Deixe de lado, professor, o discurso que a equipe está a 10 jogos sem perder e adote a máxima de que a Chapecoense está a seis jogos sem vencer. Tenho certeza que o grupo responderá positivamente a esta salutar provocação.

Acusou o golpe

quarta-feira, novembro 6th, 2013

As vaias que emanaram das arquibancadas da Arena após o empate sem gols contra o América de Natal bateram forte, como um soco no estomago, dos jogadores da Chapecoense.

A entrevista de Paulinho Dias foi emblemática.

Ele chegou a pedir voto de confiança. A Chapecoense não precisa de nenhum voto de confiança ou o que quer que seja, precisa sim de apoio incondicional para a fase mais aguda da competição.

Uma sacudida não faz mal, um pouco de pressão pode fazer um bem danado neste momento, mas é preciso saber dosar, pois a diferença entre o remédio e o veneno é justamente a dose.

A ansiedade está estampada no rosto dos jogadores. Absolutamente normal, quando se leva em consideração o tamanho do passo que eles estão para dar.

O torcedor tem todo direito de vaiar, de se manifestar de forma democrática e ordeira, mas é preciso também saber reconhecer que a Série B é muito competitiva e que este grupo está realizando um trabalho magnífico.

O jogo de terça-feira em Curitiba será pesado e o Paraná Clube jogará todas as suas fichas.

O jogo seguinte será em casa e contra o Bragantino. Será  na tarde deste sábado que a Chapecoense vai definir seu acesso para a Série A de 2014.

É hora de abraçar o time e carregá-lo, com o carinho merecido, para o maior momento da história da Chapecoense.

Problemas e soluções

sexta-feira, julho 12th, 2013

Treinamentos abaixo de chuva. Dias de muita umidade.

Trocas bruscas de temperatura, muito aeroporto e avião, nem mesmo os atletas estão a salvo de um resfriado.

Jogos em sequência exigem muito da parte física.

Na Chapecoense Fabiano e Wanderson, justamente a dupla de maior regularidade e que dificilmente fica fora de algum jogo, foi derrubados pela gripe (Wanderson) e por uma lesão na coxa (Fabiano).

Com isso, Anderson Pico, está finalmente liberado pelo departamento médico e por Anderson Paixão e desta forma compõe o grupo que está em Joinville.

Problemas sérios para Gilmar Dal Pozzo.

Tanto Fabiano (foto), quanto Wanderson são titulares absolutos nas suas posições. Peças de reposição existem, mas mexe bastante na estrutura de time.

Será um jogo em que o elenco terá de mostrar que realmente pode suprir duas faltas tão significativas.

Opções existem, mas a capacidade de escolha de Gilmar Dal Pozzo será testada com alto nível de exigência.

Anderson Pico pode ser lançado desde o início na ala direita. Por ser ambidestro, tem a capacidade de jogar nas duas alas, mesmo sendo à esquerda a sua especialidade, porém, não é jogador para 90 minutos.

Para a vaga de Wanderson o normal seria a manutenção de Diego Felipe, que teria de jogar mais atrás, na primeira função, deixando para Paulinho Dias a armação. Ou ainda pode optar por Glaydson.

As opções existem, mas o fato é que a Chapecoense não terá sua força máxima em Joinville.

Foto – Sirli Freitas – Diário catarinense. 

Caixa pode patrocinar a Chapecoense

domingo, dezembro 30th, 2012

É quente. Informação que tive é que a Chapecoense pode sim ser patrocinada pela CAIXA. Os trâmites estão em andamento e segundo soube faltam algumas negativas por parte da Chapecoense para que o contrato seja fechado. A superintendência regional da CAIXA está tratando deste assunto com muita atenção. Chapecó é uma cidade de destaque e estratégica no mapa da CAIXA. O número de agências e a expansão imobiliária local são a prova disso.

A camiseta ficará maravilhosa, sem esquecer da AURORA que já fechou a renovação de patrocínio. A montagem é de Juliano Baggio Di Sopra.